postado por Matheus em 27 março 2012

Resenha | A Menina Que Roubava Livros

Autor: Markus Zusak
Editora: Intrínseca
Páginas: 384
Skoob: Adicione

Sinopse

(Não vou colocar a sinopse, pois é muito grande e diria tudo o que vou falar no decorrer da resenha)












Resenha

     "Uma verdade. Você vai morrer"! Esse é a melhor frase para começar essa resenha, mesmo sendo triste é a mais pura verdade. Não há uma frase melhor do que essa para descrever o que a Morte quer nos falar. Mas nesse livro ela fala muito mais do que isso.
     O livro é inteiramente narrado pela Morte. Sim, a Morte. É ela que nos mostra os fatos mais importantes da pequena Liesel Meminger, a protagonista do livro. Liesel Meminger foi adotada por um casal da cidade de Molching, mais precisamente da Rua Himmel. Era para ser ela e seu irmão adotados, mas no caminho ele morreu. Não se sabe a causa. A história inteira se passa na Alemanha Nazista, em um tempo de guerras, bombas e sofrimento. 
     Os pais de criação de Liesel eram muito amorosos com ela, apesar de sua mãe sempre estar xingando-a. O seu pai, Hans Hubermann, era um pintor, mas com poucos trabalhos. Sua mãe, Rosa Hubermann, era lavadeira, lavava as roupas das famílias ricas da cidade. Mesmo sendo sustentada por essas famílias, Rosa sempre maldizia eles, chamando os de vagabundos e preguiçosos. O melhor amigo de Liesel era Rudy Steiner, um vizinho com quase a sua idade. Mesmo sendo muito amigos, Rudy nunca perdia a oportunidade de pedir a Liesel seu tão sonhado beijo.
     A personagem com maior importância no livro é Hans. Foi ele que ensinou Liesel a ler e escrever. Os livros que ele usava era os que Liesel roubava, mas ele não sabia. Uma coisa muito legal do livro é a divisão de capítulos. Cada parte tem o nome do livro que Liesel roubou, e os capítulos eram os títulos dos maiores acontecimentos de sua vida até o próximo livro roubado. Foi com Hans que Liesel tomou gosto pelas palavras, sem nem saber que seriam elas que salvariam sua vida.
     Como todos sabem no tempo do nazismo os judeus eram procurados. Mas Hans, como tinha um ótimo coração, teve que abrigar um em sua casa. Teve que fazer isso pois Max (que é o nome do judeu) era filho de um antigo amigo seu, que salvou sua vida na 1ª Guerra Mundial. Sendo assim ele prometeu ajudar sua família quando fosse preciso. E aquela era a hora.
     O livro se tornou mais interessante depois que Max entrou na história. Agora Liesel não tinha apenas Rudy como amigo, e, além disso, ela ainda tinha alguém para ler seus livros. É pelo Max que observamos as poucas e lindas imagens dos livros, já que ele também escreveu um livro para Liesel. Outra importante personagem do livro é a mulher do prefeito, Ilsa. Sempre que Liesel ia levar as roupas que Rosa lavou a mulher do prefeito a convidava a entrar na biblioteca da casa. E, claro, Liesel aceitava. Ela ficou maravilhada com a magia das palavras, tanto é que depois de Ilsa cancelar os serviços de Rosa, Liesel continuou indo a sua casa, mas para roubar os livros. Mas a mulher do prefeito também deu um livro a Liesel, mas nem sabia ela que esse livro salvaria sua vida.

     Ao mesmo tempo que a Morte narra a história ela é descrita por Liesel. O livro que a Liesel escreveu serviu de base para a Morte contar sua história. 
     A leitura do livro é cativante, mesmo contando com os palavrões em alemão falados por Rosa Hubermann. A história nos mostra de uma maneira bem interessante o poder que as palavras tem em nossa vida. Ele nos faz viajar até a Alemanha, pois as histórias de Liesel são bem detalhadas, e, muitas vezes, emocionantes. Há partes que enquanto você não acaba você não consegue parar de ler. O final da história é bem triste e dramático. Mas uma coisa boa aconteceu, Liesel beijou Rudy.
     Eu recomendo a todos vocês esse livro, pois ele é ao mesmo tempo engraçado, dramático, emocionante e real. Não é aquelas historinhas que estamos acostumados a ouvir sobre o nazismo, em que, na maioria das vezes, o protagonista morre. O final é surpreendente, e espero que surpreenda você também! 

Avaliação:
   






9 comentários:

  1. Hum... O livro parece ser interessante. Adoraria lê-lo, mas nunca tive a oportunidade de comprá-lo, mas agora com essa resenha quem sabe eu não adquira o livro. Gostei!

    ResponderExcluir
  2. Matheus Silva Pereira28 de março de 2012 08:41

    eu tbm nunca tive a oportunidade de compra-lo, só li pq na biblioteca da minha escola tem 2 prateleiras só deste livro!

    ResponderExcluir
  3. Eu li quando foi lançado e é um dos meus favoritos!
    Já até reli.
    A história é realmente incrível, emocionante! ,
    Quem ainda não leu, não perca mais tempo! :D

    ResponderExcluir
  4. Sempre vi boas coisas sobre este livro, mas ainda não li.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  5. Ah, esse livro... Eu comecei a ler e não faço ideia do porque mas acabei desistindo. Sei lá, não lembro mt bem o motivo. O fato é que essa sua resenha me fez ficar com vontade de lê-lo, dessa vez por completo!

    ResponderExcluir
  6. Sem dúvidas é um dos meus livros favoritos. Eu comprei porque a vendedora havia me indicado. Eu deixei o livro por meses na estante até que minha mãe leu e falou que era muito bom ( eu tinha lido umas 50 páginas e abandonado) e agora me arrependo de não ter continuado a leitura da primeira vez. O livro me prendeu de uma maneira que eu não conseguia parar de ler. Sem contar que eu desidratei no final rs. Ótima resenha =)

    ResponderExcluir
  7. mtooo bom esse livro... amei dms!!! recomentdo mtooo...

    ResponderExcluir
  8. Eu tenho e li esse livro, mas a história é muito profunda e deveras de mais para mim triste, digo que o livro é maravilhoso, mas nunca mais vou lê-lo

    ResponderExcluir