postado por Matheus em 26 agosto 2012

O Que Passou Por Meus Fones #5

     Hoje eu estou aqui, no dia correto, pra colocar as críticas de tudo que ouvi pela semana. Na minha semana ouvi clássicos, discos atuais e outros que não se encaixam em nenhum desses dois grupos. Se você não viu o post da semana passada veja aqui. Espero que gostem e mostrem suas opiniões nos comentários. Se você comentou não esqueça de participar do Top Comentarista, o mês tá acabando mas corre lá que ainda dá tempo!



Goodbye Lullaby | Avril Lavigne

     É muito difícil para um cantor amadurecer durante o trabalho e fazer com que todos os antigos fãs continuem gostando de suas músicas, mesmo sendo elas num tom completamente diferente. Em “Goodbye Lullaby” Avril tenta ficar mais madura do que nos seu álbuns anteriores, mas não sei se ela conseguiu. A sua maturidade soa um pouco estranha pra quem estava acostumada a ouvir aquela Avril divertida e alegre do “The Best Damn Thing”, já que (quase) todas as músicas são extremamente melancólicas, tristes e românticas. “Quase” porque há uma música que não tem nada a ver com o resto do álbum, “What The Hell”. Ela não é ruim, mas sua sonoridade é tão estranha que temos a impressão que foi uma música descartada de seu álbum anterior e utilizado nesse, apenas para ocupar o espaço.  
     “Wish You Were Here” é a música mais famosa do álbum, mas nem por isso é a melhor. Sua letra é muito emotiva e o clipe então nem se fala. Mesmo assim sua batida é envolvente e, com certeza, todos aqueles apaixonados adoram ela. A próxima, “Smile” relembra um pouco a antiga Avril, com um tom bem pop rock, utilizando muito bem a guitarra. Pra mim essa é a melhor faixa do disco, já que conseguiu equilibrar emoção e amor num tom bem animado. O resto do álbum segue o mesmo estilo romântico e melodramático, com músicas que podem agradar os não fãs e desagradar os fãs antigos.


Aretha: Lady Soul | Aretha Franklin

     Não é pra qualquer uma ser nomeada como a melhor cantora do mundo de todos os tempos. Mas Aretha Franklin é essa pessoa. A revista americana Rolling Stone a nomeou como a melhor cantora de todos os tempos, isso mesmo: a MELHOR! É só ouvir “Lady Soul” que percebemos que eles não erraram nisso. Em todas as faixas sua voz se destaca mais do que os instrumentos, o ritmo, as letras e tudo mais. Você pode até não gostar de R&B, blues ou soul, mas tenho certeza que você adorará as faixas desse ótimo disco. O álbum começa com “Chain Of Folls” que, assim como o resto das músicas, têm uma letra que fala sobre amor, não de uma forma dramática, mas de uma forma forte. De forte o álbum não tem somente suas letras, a voz da Aretha é completamente forte. Em “People Get Ready” suas notas alcançadas são surpreendentemente altas! O solo de guitarra do Eric Clapton em “Good To Me As I Am To You” deixou a faixa próxima do estilo rock ‘n’ roll muito comum da época, mas o disco inteiro é uma verdadeira obra-prima do soul e do R&B.    


Loud | Rihanna 

     A Rihanna não difere muito das outras cantoras de pop de hoje em dia, mas o seu talento é bem maior que de muitas outras por aí. Em “Loud” esse seu talento entra em evidência, mas nem todas as faixas combinaram com o seu tom de voz. O álbum começa com a super-polêmica “S&M”. Se você tiver menos que 18 anos eu não te aconselho a ver a tradução (rsrs)! Mesmo tendo a letra bem pesada a batida é bem empolgante. O dueto entre ela e o Drake em “What’s My Name?” é perfeito! A próxima faixa, “Cheers (Drink To That)” não tem um ritmo tão bom quanto os das outras músicas, sem contar que aquele sample da Avril Lavigne no refrão não caiu muito bem. “California King Bed” é uma música emocionante! A voz da Riri tá perfeita e no último refrão a voz dela é de arrepiar! 
     No meio de tantas músicas pop a faixa meio reggae “Man Down” soa estranha. A música fica no meio termo, não é nem maravilhosa e muito menos péssima, é razoável! Na balada “Complicated” o ritmo em que a Rihanna canta não se encaixa com a batida, que parece que saiu de uma música eletrônica. O álbum acaba muito bem, com “Love The Way You Lie (part II)”. Mesmo sendo muito boa a música não chega nem aos pés da versão original. Ouvindo essa música percebemos que faltou um pouco mais de Eminem. O álbum não é espetacular, mas no meio de tanto álbum de pop ruim lançado hoje em dia “Loud” se destaca pelo grande talento da Rihanna.


Franz Ferdinand | Franz Ferdinand

Ninguém esperava que uma banda de “art rock” independente que misturava diversas influências em músicas contagiantes fizesse sucesso. Mas fez. E muito! Com esse álbum de estréia o Franz Ferdinand ficou conhecido em todo o mundo, vendendo cerca de 3,2 milhões de discos e emplacando vários hits. Mas a faixa mais conhecida é “Take Me Out”. É incrível como essa música muda de ritmo tão rapidamente e tão bem. O começo é um tanto desanimado, até que a música quase para e aparece a bateria, com uma batida bem marcante. Depois disso é quase impossível ficar parado. A voz do vocalista, Alex Kaprano, tanto nessa faixa quanto nas outras, soa um pouco retrô, mas a batida é bem moderna, deixando as músicas contagiantes. No meio de faixas alegres a “Auf Achse” se destaca por sua melancolia imensa e seu início um tanto quanto triste, mas era só um alarme falso. No refrão a música fica agitada como todas as outras, mas depois cai na melancolia como antes. “Franz Ferdinand” pode agradar tanto os amantes de rock quanto aqueles que adoram músicas pop agitadas, mostrando que é um álbum para múltiplos gostos.


The Black Parade | My Chemical Romance

Ouvindo “Three Cheers For Sweet Revenge” e depois “The Black Parade” nós percebemos a grande mudança de estilo da banda. Enquanto no álbum anterior eles faziam um som emotivo ao extremo e, por vezes, melancólico em “The Black Parade” eles fazem músicas muito menos emotivas, se importando mais no som do que nas lágrimas. O álbum é conceitual, falando sobre a morte. Entre todas as faixas a que mais se destaca em relação ao conceito do álbum é “Welcome To The Black Parade”. No começo ela pode parecer dramática tanto quanto as músicas do álbum anterior, mas não demora muito pra ficar bem mais animada. Mesmo com o ritmo mais animado a letra continuou fúnebre, falando sobre a marcha para a morte enquanto se está na beira da morte em um hospital. 
     Na faixa “I Don’t Love You” o amor toma conta, mas nem com esse tema a música não é tão emo quanto alguma outra do disco anterior. Mesmo beirando o rock ‘n’ roll o álbum tem uma recaída para a melancolia em “Cancer”. Nessa faixa a voz do Gerard Way (vocalista do MCR) soa muito triste, triste ao ponto de quase nos fazer chorar. Mas depois disso o álbum volta à seu estilo inicial. Com músicas que agradam tanto os fãs do disco anterior quanto os novos ouvintes “The Black Parade” soa muito melhor que o álbum anterior, sem tanta emotividade! 


Femme Fatalle | Britney Spears

     “Femme Fatale” foi um dos álbuns mais esperados do ano passado (2011), e não desagradou em nada quem estava esperando ansiosamente por ele. Diferente de todos os outros álbuns da princesinha do pop, esse álbum é mais eletro e dance. Não há uma música que não seja feita pra cair na pista até o mundo acabar (me desculpe pelo trocadilho mas eu não aguentei rsrsrs). O álbum começa com a super-dançante “Till The Worlds Ends”, uma das melhores (senão a melhor) faixa do disco. Ela tem uma batida bem eletro e um bom vocal da Britney. A próxima faixa, “Hold It Against Me”, tem uma ótima batida. O videoclip dessa música é muito bom, mostrando a recuperação da Britney depois de seu momento trash, se é que vocês me entendem. 
     A música “Inside Out” tem um ritmo lento, mas continua eletrônica como todo o álbum. “(Drop Deat) Beautiful” é a faixa mais contagiante do álbum. Ela começa como todas as outras mas o refrão é muito diferente. Para acabar bem o álbum fecha com “Criminal”. A letra tem uma história de amor meio adolescente, mas é o ritmo dela que se destaca. Ela é bem diferente do resto das músicas, tendo umas passagens de flauta, sem contar que tem muito menos “sintetizadores” que as outras faixas. Concluindo, “Femme Fatale” é um álbum muito bom que conseguiu trazer novamente aquela Britney de antigamente, mas com músicas mais bem produzidas. 


14 comentários:

  1. Você escuta de tudo um pouco rs
    Eu só gosto de Avril Lavigne e gostava de My Chemical Romance, mas já parei de gostar faz tempo. Achei que o estilo deles mudaram bastante.

    ResponderExcluir
  2. Gostei do post e achei bem interessante a variação de músicas que você ouve, gosto um pouco de cada cantor e banda citados acima, mas os meus cantores prediletos mesmo não estão ai :/ Mesmo assim, os citados são muito bons.

    www.entrepaginasdelivros.com/

    ResponderExcluir
  3. é MUITO variado msm o q eu ouço. Mas só é assim pq eu ouço os discos q tão lá naquele livro "1001 discos pra ouvir antes de morrer". é de lá q eu tiro tantos clássicos assim! rsrsrs

    ResponderExcluir
  4. eu ouvi duas músicas do álbum mais recente deles e é bem diferente dos álbuns antigos, mas ainda parece legal!!!

    ResponderExcluir
  5. Gosto muito das músicas da Avril Lavigne.Britney Spears e Rihanna são mais ouvidas pelo meu irmão.

    Um leve bater de asas para todos!!!!!!

    ResponderExcluir
  6. Faz tempo que não ouço Britney, hehe. Mas Avril, Rihanna e My Chemical estou sempre ouvindo.

    ResponderExcluir
  7. Como eu havia comentado eu não sou uma pessoa que ama um artista nem uma produção dele, mas aquela música que mexe comigo. Gostei de ver alguns cantores que conheço, mas outro não escuto e não gosto, mas adorei a postagem e até...

    ResponderExcluir
  8. Bem nenhum desses passou pelo meu ouvido o que passou foi flo rida , colplay e assim vai !

    ResponderExcluir
  9. Flo Rida eu ñ gosto mt mas eu adoro Coldplay!!! Qualquer dia desses eu ouço um disco deles e coloco a resenha aki!!!!

    ResponderExcluir
  10. Já ouvi falar desse livro, pelo jeito então ele deve ser muito bom.. Estou precisando escutar mais clássicos kk.

    ResponderExcluir
  11. se vc for louco p/ entrar nessa d ouvir todos os discos desse livro vc vai descobrir td d melhor q já teve na música!!!

    ResponderExcluir
  12. Sempre achei a Avril Lavigne, uma graça. Adoro o estilo dela. A voz de Rihanna, tb me impressiona muito. Agora Britney, afff...nem vou comentar.Bjksss

    ResponderExcluir
  13. Mais uma vez Avril Lavigne e My Chemical Romance, adorei, e Britney Spears e Rihanna não poderiam faltar, já outras músicas eu não conheço mais vou mudar isso agora mesmo, estou indo escutá-las vejo se gosto.

    ResponderExcluir
  14. são poucos os q gostam da Britney mas nesse álbum as músicas são boas. Vale a pena escutar!!!

    ResponderExcluir