postado por Matheus em 06 novembro 2012

O Que Passou Por Meus Fones #13

    

Mais uma vez eu venho aqui, atrasadamente, para mostrar a vocês tudo o que eu ouvi pela semana. Nessa semana eu ouvi alguns discos clássicos e outros que não são clássicos mas também não são lançamentos. Mas mesmo assim os discos, aqui citados, podem agradar a muitos de vocês.
Não viu o post da semana passada? Olhe aqui.
Leu, gostou e comentou? Participe do Top Comentarista do mês de novembro clicando aqui, lembrando que o prêmio do mês é o livro distópico "Divergente", que é muito bom por sinal . =D




Em “A Night At The Opera” o Queen teve o seu momento mais artístico, em “The Works” eles tiveram seu momento mais tecnológico e em “News Of The World” eles tiveram seu momento mais rock ‘n’ roll, o que pode ser percebido através do ritmo de todas as músicas desse álbum.
O disco já abre da melhor forma possível. Aquela batida de “We Will Rock You” se tornou um clássico. Ela é tão boa que não precisou de muito mais pra deixar a música ótima, mas quase no final entra outros instrumentos em cena, deixando-a com o estilo rock ‘n’ roll já descrito anteriormente. Depois desse clássico entra outro clássico, ainda mais emocionante. “We Are The Champion” se tornou um hino para a humanidade por sua letra inspiradora ao extremo, que na voz do Freddie ela se tornou uma lenda. Depois dessas duas faixas catastróficas o disco não aparece com nenhum outro grande hit, mas isso não significa que ele fique ruim. “Sheer Heart Attack” têm uma batida muito rock ‘n’ roll contagiante, mas ela peca por alguns gritinhos um tanto bizarros que contém. Nos vocais do álbum todos os integrantes tiveram seus momentos. O que mais brilha, sem dúvida nenhuma, é o Freddie Mercury, mas os outros também têm seus momentos bons. Em “All Dead, All Dead” o Brian May (mais conhecido como guitarrista da banda) solta sua ótima voz para cantar a letra emocionante, acompanhado apenas por um piano clássico do Queen.   

“Spread Your Wings” é mais uma das músicas com letras perfeitas do álbum. Sua letra é tão inspiradora quanto a de “We Are The Champion” e sua melodia também é ótima, misturando um tom bem rock ‘n’ roll com um pouco de melancolia. A última faixa do álbum, “My Melancholy Blues”, é, como o próprio nome diz, um blues melancólico ao extremo. Mas o destaque dessa música fica com o piano simples do Freddie e com a voz potente e super afinada do mesmo.   
“News Of The World” não contém vários hits maravilhosos (hits de verdade são apenas as duas primeiras músicas), mas ele contém ótimas canções, algumas animadas e outras mais melancólicas, mas todas com boas letras. É impossível que alguém não goste de nenhuma música desse álbum, ele é tão eclético em relação ao ritmo que é impossível que alguém o despreze completamente!


Chiaroscuro | Pitty

Um dos desafios de uma banda (principalmente brasileiras) é fazer músicas com boas letras e com batidas que agradam a todos os fãs. Nos seus dois primeiros álbuns (“Admirável Chip Novo” e “Anacrônico”) a Pitty conseguiu fazer isso perfeitamente, mas em “Chiaroscuro” ela deu uma escorregadinha nas “boas batidas”. Não que o disco tenha um ritmo ruim, mas eles não embalam grandes hits empolgantes, mas nem por isso as músicas perdem sua qualidade.
As letras das músicas tratam do mesmo tema dos álbuns anteriores: o ser humano e a sociedade. No grande hit “Me Adora” a letra (um tanto romântica) completa a melodia perfeita e contagiante de toda a música. Sua letra (uma das melhores composições do álbum) é como um desabafo a sociedade e o seu ritmo é de um soft rock indescritível. A próxima faixa, “Medo”, lembra muito o início da carreira da banda, com uma batida bem hard rock e com uma letra simples, mas muito boa. Um pouco à frente vem a música “Só Agora”. Com uma boa dose de melancolia e de romantismo ela faz um contraste bem legal em relação às outras músicas. Sua melodia lembra muito a melodia contida no álbum “Agridoce” do projeto paralelo da Pitty que leva o mesmo nome, bem calma e relaxante. Depois de toda essa tranquilidade “Fracasso”, com seu ritmo pesado e nem um pouco calmo, muda completamente o estilo do álbum. Sua letra lembra muito a letra de “Pais E Filhos”, do Legião Urbana, com versos sem sentidos e que, de primeira vista, não se completam. Mas assim como “Pais E Filhos” com uma boa observação percebemos que a letra é maravilhosa. Não é novidade que a voz da Pitty é muito potente e boa, mas na última faixa, “Todos Estão Mudos”, ela alcança um nível de “emocionalidade” nunca antes alcançado. No refrão da música sua voz está diferente de tudo que eu já ouvi, podendo emocionar muitos de seus ouvintes.
A sonoridade de “Chiaroscuro” é ao mesmo tempo diferente e idêntica à sonoridade dos dois álbuns anteriores da Pitty. Sendo assim, ele agradou a grande maioria de seus antigos fãs e ainda levou de brinde alguns fãs novos, que se deixaram levar pelas ótimas letras contidas no álbum ou por suas melodias contagiantes e por vezes calmas.


The Rolling Stones | The Rolling Stones

Nos dias de hoje, para muitas pessoas, músicas de rock devem ter batidas pesadas e vários instrumentos estonteantes. É por isso que poucos roqueiros atuais gostam do início da carreira dos The Rolling Stones, já que suas músicas daquela época eram muito alegres e com melodias sempre contagiantes.
“The Rolling Stones” está cheio de músicas contagiantes, sempre embaladas pela voz única de Mick Jagger. A melodia dessas músicas é sempre composta por um toque de guitarra meio escondida ao fundo, um toque de bateria (também escondida ao fundo) e um toque de gaita, mas que não está escondida ao fundo. Pelo contrário, quando a gaita entra muitos dos outros instrumentos param, deixando apenas ela brilhando. Pode parecer estranho hoje, mas naquela época a gaita era um dos instrumentos mais importantes para as bandas da época. As músicas, em um todo, são quase sempre iguais, com uma melodia contagiante e com vocais potentes do Jagger, que deixam as músicas sempre dançantes e naquele estilo nostálgico de rock ‘n’ roll. De todas as músicas “Carol” é destaque. Seu ritmo é super dançante, e sua batida no início é um clássico, conhecido por todos por sua utilização em diversos programas de TV. “Tell Me (You’re Coming Back)” é ainda mais nostálgica do que as outras faixas do álbum. Sua melodia é um pouco mais calma que as demais, e até um pouco romântica, sendo assim ela é perfeita pra dançar coladinho com alguém.

O restante das músicas segue o mesmo estilo rock ‘n’ roll anos 60. Para os acostumados a ouvir músicas de rock atuais, com batidas pesadas e não dançantes, “The Rolling Stones” pode parecer obsoleto demais. Mas para aqueles que apreciam boa música, sendo ela do estilo que for, “The Rolling Stones” é uma verdadeira obra-prima. Então o melhor a fazer é você ouvi-lo e tirar suas próprias conclusões. 




The Best Damn Thing | Avril Lavigne

Depois de ouvir tudo o que a Avril Lavigne tem pra dar eu estou quase chegando a conclusão de que ela é bipolar, musicalmente falando. Ela não tem uma sonoridade sempre no mesmo estilo, pelo contrário, em uma música ela cantarola muito alegremente e na outra parece que está sofrendo depressão. E em “The Best Damn Thing” essa sua “bipolaridade” está em extrema evidência.
Já no começo do disco damos de cara com uma musiquinha de adolescente não muito animadora. “Girlfriend” tem um estilo bem contagiante, mas a voz da Avril soa muito “patricinha”, deixando a música enjoadinha demais. “Runaway” é um dos destaques do álbum. Seu ritmo fica entre o contagiante e o depressivo, mas ela não é nem um pouco melosa, e a voz da Avril também não está ruim. A faixa título tem o mesmo estilo de “Girlfriend”, se juntando ao grupo das músicas desprezíveis do álbum. Mas como eu disse depois de toda animação vem a tristeza e a melancolia. A primeira faixa do álbum com esse estilo é “When You’re Gone”, mas nem por isso ela deixa de ser boa. Por incrível que pareça ela é muito boa. Diferente de outras músicas românticas da Avril essa combinou perfeitamente com sua voz, dando a ela um dos seus melhores vocais. A melodia também é boa, não levando ao extremo a tristeza que está contida na voz da Avril. O disco segue no mesmo estilo pop/rock de sempre, às vezes mais alegremente e outras mais depressivamente. Mas lá nos 45 do segundo tempo nós vemos uma luz no fim do túnel. “Keep Holding On” não é uma música espetacular, mas ela é realmente muito boa. Ela não se agrupa nem nas músicas animadas e nem nas músicas depressivas, sendo uma exceção do álbum. O destaque da música fica com a letra, inspiradora e sem nenhum pingo de tristeza. A qualidade da letra foi comprovada quando essa música foi a escolhida para fechar todos os dias os episódios de “The Glee Project”, o reality show para escolher novos integrantes para o elenco do Glee.

Com uma grande variedade de ritmos diferentes “The Best Damn Thing” pode se perder no meio de singles sem grande qualidade. Mas se você procurar bem poderá achar algumas músicas muito boas no álbum, que podem agradar aqueles que gostam de músicas agitadas e também aqueles que adoram uma música calminha e por vezes depressiva. 





30 comentários:

  1. Avril sempre bipolarizando *-* açlkslkaçls
    http://leitoraobsessiva.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Gostei do cd do Queen que, acredite, eu não conhecia. O da Pitty parece ser legal, mas como vc escreveu as músicas antigas dela eram melhores, tinham uma batida mais legal, também achei interessante o do Rolling Stones, mas não gosto da Avril.

    www.entrepaginasdelivros.com

    ResponderExcluir
  3. SEmpre gostei muito e Avril Lavigne.Mas ultimamente tenho ouvido pouca musica. E quando ouço são aqueles flashbacks...adoro!

    ResponderExcluir
  4. eu tbm adoro músicas flashbacks!!! principalmente Bonnie Tyler e outras cantoras dos anos 80!!!! rsrs

    ResponderExcluir
  5. Esse disco do Queen ñ é tão conhecido, mas ele tem ótimas músicas. E Referente a Pitty é vrdd, as músicas antigas dela eram um pouco melhores! ¬¬'

    ResponderExcluir
  6. E como é desafiante fazer músicas com boas letras e com batidas que agradam a todos os fãs, principalmente aquelas bandas nova, até essas com um pouco mais de idade sofre pra caramba. Faz um bom tempo que não ouço Pitty, falta de vibe. Concordo com você, Avril é bipolar musicalmente falando. haha

    http://sobreimportancias.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  7. Nossa. Só rock. Eu até curto esse estilo, mas depende do meu estado de espírito e não escolho pelo artista, vai pela música que euro no momento mesmo. Eu gosto do ritmo da Pitty (algumas músicas) e da Avril. Mas Rolling Stones é demais pra mim...

    ResponderExcluir
  8. Pra quem gosta de Piity e Avril é bem difícil ouvir Rolling Stones msm!! hehehe

    ResponderExcluir
  9. A Pitty deu uma forte decaída em suas músicas, mas vc já ouviu as músicas do projeto paralelo dela, o Agridoce?

    ResponderExcluir
  10. Sem dúvida, muito eclético..rsrs...
    Eu gosto de todos. Músicas diferentes para momentos diferentes.

    Thais Vianna
    @dathais

    ResponderExcluir
  11. Já ouvi algumas musicas da Pitty e da Avril, mas ainda não ouvi a do outros. Gosto muito da Avril mas confesso que ando não ouvindo muito, prefiro mais essas musicas que estão na moda

    ResponderExcluir
  12. tem algumas músicas q eu gosto mt, como Dançando e Upside Down. pra quem tá acostumado com o estilo da Pitty essas músicas são muito calminhas!!!! rsrs

    ResponderExcluir
  13. EU AMO QUEEN \o/ A voz do freddie mercury
    Gosto muito de Pitty, também. Porém odeio essa música "Me adora", a música "Fracasso é muito boa". E meu Deus! Estou amando esse projeto paralelo da Pitty, as músicas são tão calmas e gostosas de ouvir. Já gostei muito de Avril Lavigne, hj não curto mais

    ResponderExcluir
  14. Ouvi Queen, é uma das melhores bandas que já existiram

    ResponderExcluir
  15. Verdade, as músicas desse projeto estão uma delícia de escutar. A minha preferida também é "Dançando"

    ResponderExcluir
  16. Queen é o melhor \o/
    Avril, tá muito pop, gostava mais das músicas dela do começo, uma fase meio skatista kkk

    ResponderExcluir
  17. Você não ficou surdo ao ouvir The Best Damn Thing né? Ninguém merece a Avril Lavigne mudando tanto de estilo o quanto ela mudou nesse cd, sou muito mais os outros cds dela.

    ResponderExcluir
  18. Finalmente uma musica que já ouvi muitas vezes! Eu gostava bastante de Chiaroscuro, falar nisso, faz tanto tempo que não ouço....

    ResponderExcluir
  19. kkkkkkkkkk ri mt com o seu comentário!!!
    mas então... eu, por sorte, ñ fiquei surdo!!! mas realmente eu gosto mais desse CD do q dos outros dela. Eu acho Under My Skin e Goodbye Lullaby tão sem sal!!! ¬¬'
    mas como cada um tem a sua opinião, eu ñ posso falar nada!!! rsrs

    ResponderExcluir
  20. Queen é unânime!! todo mundo gosta!!! ñ sei pq vc ñ gosta d "Me Adora", pra mim é uma das melhores músicas da Pitty.
    Mas tenho q concordar q o projeto paralelo da Pitty, o Agridoce, é mt bom. A maioria das músicas são daquelas que a gente ouve ouve e não se cansa!!!

    ResponderExcluir
  21. Acabei de perceber que temos um gosto bem parecido. Queen, Legião Urbana e Pitty abitam a minha lista de musicas preferidas com seus hits. Não consigo não me animar escutando We Will Rock You. Queen é eterno ♥

    ResponderExcluir
  22. Nao gosto especialmente de nenhuma das bandas que vc colocou..

    Pitty nao é muito ruim, mas eu prefiro o primeiro CD, no máximo o segundo xD

    =**

    ResponderExcluir
  23. Prefiro Queen e The Rolling Stones, nao sou tão fan assim de Avril. Prefiro mais os rock antigos.

    ResponderExcluir
  24. KKKKKKKKKK Mas não falei por mal, eu gosto de algumas músicas desse cd. O problema é que ela mudou completamente de estilo de uma hora para outra. Mas como você disse, o cd tem muitos estilos e não é muitas músicas que são muito diferentes do que os outros cds dela.
    Sério??? Eu amo Under My Skin, para mim é o melhor. E Goodbye Lullaby é meio sem sal mesmo. Mas de qualquer jeito, eu gosto muito da Avril. KK

    ResponderExcluir
  25. Eu adoro Queen e Pitty, o restante eu não curto muito. Mas gostei do seu gosto musical ;) Eu ouço um pouco de tudo.

    ResponderExcluir
  26. É a primeira vez que conheço todos os artistas e bandas que você lista nessa coluna. Gostei dessa seleção, e posso dizer que escuto todos eles. Mandou super bem.


    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  27. As musicas da Avril realmente eram nenos chatas antes kk

    ResponderExcluir
  28. Queen... tem nem o que falar né! “We Will Rock You” e “We Are The Champion nunca serão esquecidas. Apesar de não ser tão bom quanto os primeiros, ainda gosto de algumas músicas de Chiaroscuro! Não acompanho muito Avril Lavigne, só ouço as mais conhecidas.

    ResponderExcluir