postado por Matheus em 01 maio 2013

Resenha | Do Coração de TELMAH

Autor: Luís Dill
Editora: Artes e Ofícios
Páginas: 128
Skoob: ADICIONE
Compre: ENCONTRE O MELHOR PREÇO!

Sinopse

A história nasce a partir de uma pergunta que o autor se coloca: é possível escrever um romance usando o twitter? Com essa motivação Luís Dill escreveu essa novela, que vem do coração de Telmah.
Uma história em 500 tweets, que estabelece diálogo com Hamlet, peça de Shakespeare na qual a dúvida, a dor e a tragédia estão presentes da primeira à última linha. Essa também a história de Telmah: a dúvida sobre a morte do pai tomando conta de suas vísceras, alastrando-se por todo o corpo e, como em Hamlet, levando-a ao fim trágico.
O leitor acompanhará cada pulsação do coração de Telmah através de 500 tweets, nos quais ela vai contando sua história de vingança e dor.
O livro tem projeto gráfico e fotos de Tatiana Sperhacke.


Resenha

Nesse mundo cada vez mais globalizado em que vivemos as redes sociais tem um papel essencial na vida de milhares de pessoas. Facebook, Twitter, Instagram, Google+, essas e muitas outras redes sociais fazem (ou já fizeram) parte da vida de muitos de nós. Levando isso em consideração, a incompreendida Telmah (com H mesmo, por conta de sua mãe, como ela mesma fala) usa do Twitter para contar sua grandiosa história de vingança, tudo isso em apenas 500 tweets. Será mesmo que é possível fazer um bom livro nesse estilo? A resposta é sim!

Telmah mora no Morro de El Señor, junto com sua mãe. Seu pai morreu há pouco tempo; todos falaram que foi de ataque cardíaco, mas numa noite Telmah sobe até o terraço de sua casa e vê o fantasma de seu pai. Ela nunca foi de acreditar nessas coisas, mas há algo nisso que há deixa vidrada no que ele fala, ou no que ela pensa que ele está falando. Seu pai a diz que sua morte não foi causada por um simples ataque cardíaco, mas sim por um assassinato. Como se não bastasse ele ainda diz que os assassinos são sua esposa (mãe de Telmah, obviamente) e seu irmão Claudio; e sua intenção é clara: ele quer que Telmah vingue a sua morte. 
Trocar os pés pelas mãos, ver chifre em cabeça de cavalo. Coisas de adolescente.
18º tweet

Para Telmah, tudo aquilo tinha um quê de correto. Seu pai era o chefe do morro, e, consequentemente, com sua morte o futuro chefe seria o Claudio. Mas sua mãe? Como ela teria a capacidade disso? Acreditando seriamente no que o fantasma de seu pai diz ela segue em busca de vingança (vingança essa deliberadamente inspirada na vingança de Hamlet, de Shakespeare), isso com a ajuda de alguns poucos amigos e o Twitter, nada mais.
Segredo é como mentira. Sempre é preciso um novo segredo para esconder o anterior, uma nova mentira para justificar a primeira.

8º tweet


Talvez escrita na forma convencional essa história não teria a mesma graça e o mesmo impacto adquirido nesse seu formato tão diferente. Cada tweet é numerado e a cada vez que você percebe que os tweets estão se esgotando sua ansiedade por saber qual o final da história aumenta ainda mais, criando uma grande tensão durante sua leitura. Mas na parte da escrita não é apenas seu formato que chama atenção, a forma de escrita do Luís Dill também é perfeita. A história não é narrada na ordem correta, e há varias sub-histórias no decorrer do livro, o que poderia acabar num livro confuso se o escritor não tivesse o talento necessário. Em diversas partes é difícil entender se o que está sendo narrado foi o que aconteceu ou o que está acontecendo com Telmah, isso porque seus tweets são um pouco bagunçados, assim como sua vida.
Choro por tudo que ficou pra trás. Pelo medo de sentir medo.
86º tweet

Além da inspiração escancarada em Hamlet (o próprio escritor fala que essa foi a intenção) há diversas citações dos poemas de Álvares de Azevedo, escritor da geração ultrarromântica, e também o preferido de Telmah e que, segundo ela, escrevia os poemas que melhor expressavam seus sentimentos. Seu estilo meio gótico e muito melancólico e deprê fazem com que essas citações se adequem perfeitamente com a personalidade de Telmah. 

Visualmente o livro chama muita atenção. A começar pela capa, bem pop e estilosa, com um ótimo contraste entre o vermelho e o preto. Em suas páginas o estilo também continua. Suas bordas pretas e seus tweets sempre no centro da página faz com que a leitura em momento algum fique entediante, e ainda faz com que o livro fique mais cativante. O livro é dividido em dias, que servem como capítulos, e no começo de cada um deles sempre há uma fotografia (de autoria da Tatiana Sperhacke), minimalista e misteriosa, mas que sempre tem algo a significar.

Um livro estiloso, muito bem estruturado e de uma leitura rápida e gostosa: apresento-lhes Do Coração de TELMAH! Ótimo para aqueles que não gostam de livros grossos e de leituras demoradas, e igualmente perfeito para aqueles leitores que estão numa ressaca literária; a trágica história de Telmah pode agradar a qualquer um!   

Impulsos não podem ser dominados. Acho mesmo que não devem ser domesticados.
176º tweet
Avaliação: 



19 comentários:

  1. Nossa! 500 tweets parece ser pouco para um romance, já fiquei imaginando a personagem escrevendo.

    Enquanto lia sua resenha, estava de olhos arregalados pensando em como tudo isso seria louco se fosse fato real. Mesmo assim, está na cara que nos leva a uma leitura em um estilo bem Shakespeareano mesmo, acredito que irei gostar muito dessa história de romance/vingança. Achei o tema bem criativo! Só a capa que achei bem simples mas, se levar em contar o modo com é escrita a vingança (em tweets) seria algo mais simples mesmo. Simples mas, intrigante!

    ResponderExcluir
  2. Thielen Borba da Costa1 de maio de 2013 23:23

    Que legal, adorei a ideia do livro. O autor bem bem ousado. hehe

    Fiquei bastante curiosa com o jeito que a leitura deve fluir e de como é descrita.

    Com certeza é mais um livro que vai pra minha lista de desejados. A inspiração que o autor também contribuiu para que o livro pareça agradável. Apesar da simplicidade, eu gostei da capa.

    ResponderExcluir
  3. Nossa eu estou louca por este livro, só leio resenhas positivas. Essa ideia de 500 tweets para um romance me assustou e me deixou super curiosa.
    beijos

    ResponderExcluir
  4. Jéssica Ribeiro2 de maio de 2013 20:34

    Não sei porque, mas não consegui me interessar por esse livro. Acho que foi pelo conteúdo, ou pela forma de ter sido escrita a narrativa (em tweets). A ideia é sim muito interessante e pode até conquistar muitos leitores, e a capa acaba por ajudar muito nisso, porque apesar de simples, é bonita. Mas, certamente, esse livro não é o tipo que aprecio.
    Boa resenha, beijos :*

    ResponderExcluir
  5. Manuela Cerqueira3 de maio de 2013 09:29

    Escrever uma história baseada em tweets!!! 500!!!

    Gostei da idéia de se criar um livro baseado em algo moderno como Twitter e fazendo relação com a história de Hamlet escrita por Shakespeare. Não posso deixar de dizer que isso é super criativo.

    Acho que minha vontade de ler vem principalmente disto. Ver como vai se formar uma história juntando todos estes pontos.

    ResponderExcluir
  6. Ainda não tinha ouvido falar do livro, ja li em formato de SMS, de e-mail, mas de tweet ainda não tinha visto.
    E ele tem projeto grafico..perfeito, ele deve ser lindo.
    Nossa sera que no final foi quem o pai falou que foi mesmo...fiquei aqui pensando com meus botões rsrs, deve ser bem rapidinho de ler, gostei de sua resenha,
    beijos.

    ResponderExcluir
  7. Mas como a leitura é bem rápida vc pode até se interessar por ele!! fica a dica =D

    ResponderExcluir
  8. essa mistura de épocas cria um ótimo contraste na história, além de que tudo tem uma relação com a conturbada vida de Telmah.

    ResponderExcluir
  9. realmente, eu nunca tinha visto um livro nesses moldes, nem em SMS, e-mail nem em nada. Mas esse livro mostra que não se precisa de um formato comum para se criar um livro fantástico!!!

    ResponderExcluir
  10. Gostei muito da ideia do livro, escrever-lo com 500 tweets é interessante, mas não gostei muito do drama todo. Acho que se a ideia central não fosse tão trágica eu me interessaria muito em ler.

    ResponderExcluir
  11. Inês Gabriela A.4 de maio de 2013 19:57

    Esse não é um livro que eu leria.

    Sim, eu acho esse tema bacana pois de fato vivemos em mundo cercado por redes sociais e aquela coisa toda da internet, mas o livro não chamou minha atenção.
    Acho que não faz bem meu gênero de leitura e apesar de ver que você gostou eu continuo sem nenhum interesse em realizar a leitura.

    ResponderExcluir
  12. mas dentro desse quê trágico há muito realismo no livro, isso é o q faz com q fiquemos tão vidrados com a história!!!

    ResponderExcluir
  13. mas que viagem! rsrs o autor se arriscou com um livro que tinha tudo pra ser confuso,mas pelo visto, é rápido e como vc disse,com estilo! eu fiquei curiosa como é que Telmah(com H rs) vai conseguir vingar a morte do pai em 500 tweets! achei bem interessante e se aparecer a oportunidade,vou ler com certeza. =)

    ResponderExcluir
  14. Vi esse livro inúmeras vezes na biblioteca da minha escola e nunca o peguei para ler. Pelo jeito, terei que voltar lá e pedir se alunos já formados podem pegar livros para ler... haha
    O que mais chama a atenção é a criatividade do autor. Além disso, não tem nem 200 páginas, portanto deve ser rapidinho de ler.


    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Não sei o motivo, mas não fiquei interessada nesse livro. Não sei se é por ser baseado em tweets mas o livro não me interessou!!

    ResponderExcluir
  16. Adriane Rodrigues Silva26 de agosto de 2015 14:41

    Caraca!! Adorei a ideia do livro. Muito criativo e eu adoro criatividade, vou coloca-lo na minhs wish list do Skoob.

    Quero saber que fim levou a história, ler os tweets e saber como a menina vincou a morte do pai. Imagine, só? Saber que seu pai foi morto pelas pessoas mais próximas.

    ;)
    http://pseudonimoliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  17. Acho essas adaptações muito perigosas, mas quando o trabalho é bem feito, chega dá um alívio. Gosto dessas misturas de linguagens nas tramas. Só não gostei muito da capa. Pode ser que ao vivo deve ser mais bonita, mas por essa foto, não achei legal. Fiquei bem curioso pra ler.


    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  18. irei ler só estou esperando o computador da biblioteca da escola fucionar é bem legal eu já vih e me interessei pela capa rsrs,e o titulo é uma piada interna entre mim e minha amiga
    -REYNIELLE

    ResponderExcluir