postado por Matheus em 15 maio 2013

Resenha | O Advogado da Vida

Autor: Jean Postai
Editora: Novos Talentos da Literatura Brasileira
Páginas: 416
Skoob: ADICIONE
Sinopse

Quando começa o direito à vida? Essa pergunta fica quase impossível de ser respondida quando o médico Arthur Galanidel é preso por supostamente realizar abortos ilegais em sua clínica, inclusive em uma menor de idade. O advogado David é escalado para defender o caso, sofrendo a pressão da imprensa e da sociedade, que discutem se uma mulher tem ou não o direito de abortar e se o médico é ou não um criminoso. Será que David conseguirá convencer os jurados a inocentar o médico? Em quais situações é permitido a uma mãe optar por dar ou não à vida a seu filho? Neste emocionante thriller jurídico, as perseguições, tramas e provas são misturadas a todo momento, criando um romance fantástico, de tirar o fôlego. Tudo isso para, no final das contas, o caso ser julgado por sete jurados que decidirão onde começa e até onde vai o mais fundamental dos direitos: o direito à vida.



Resenha


Há varias maneiras de aquele livro com uma história "simplesinha" se tornar um livro muito bom. Uma forma de escrita diferente (Uma Questão de Confiança); um layout descolado (Do Coração de Telmah) e o status de clássico (Orgulho e Preconceito) são apenas algumas maneiras de transformar um livro comum numa leitura fantástica. O Advogado da Vida não se encaixa em nenhum dos tipos acima, mas a questão polêmica da qual ele trata (a legalização do aborto) faz com que o livro fique incrivelmente bom.

O livro começa contando a história de Arthur Galanidel, um renomado médico que, não demora para sabermos, cometia abortos nos mais diversos casos em sua própria clínica. Depois de uma grande reportagem do jornal da cidade ele é então preso por cometer tais atos. Já na cadeia ele pensa em qual advogado chamar. Obviamente, ele tinha o contato de renomados advogados da cidade, mas ele fez uma escolha questionável chamar o inexperiente David Puskas, um sobrinho que há muito não via. No começo David hesita e por muitas vezes pensa em desistir do caso. Mas ele acaba superando isso e seguindo em frente no caso, guiando o livro em torno de um suspense muito interessante e com essa questão polêmica ainda mais interessante.
"O que os outros vão falar é problema deles, nós não podemos nos deixar levar."
Pág. 238
Mas nem tudo é fácil como ele imaginava. A promotora do caso, Morgana, é incrivelmente antiética, não medindo esforços para conseguir o que quer: a condenação do Dr. Arthur. A sociedade num geral também não estava do seu lado, já que a esmagadora maioria era contra a prática. Para piorar ainda mais o seu cliente (Dr. Arthur) confessou o crime logo na primeira audiência, o que fez com que o caso fosse decidido por um júri formado por sete pessoas comuns. Até a decisão final, o livro terá várias reviravoltas, dando ainda mais prazer ao ler o livro.

Mas mesmo que haja partes com mais ação o que chama mais atenção no livro é a ótima discussão conosco mesmo sobre a legalização do aborto. No decorrer do livro diversas opiniões diferentes sobre o tema aparecem, fazendo que rapidamente seu pensamento sobre o assunto possa ser mudado, vendo o que realmente é o melhor para a sociedade. Particularmente, minha opinião sobre a legalização do aborto ficou completamente abalada depois de lê-lo, fazendo com que até agora eu não tenha tido uma opinião concreta sobre o tema.
"Este livro não buscou, em momento algum, formar ou induzir o leitor sobre o direito à vida, e não é uma defesa a favor ou contra o aborto, mas sim um debate saudável sobre a questão que tanto nos assola e que é um problema de saúde pública."
Pág. 413
Além desse grande atrativo para a leitura a emoção sentida em diversas partes do livro também faz com que nos prendemos ao livro. Há partes com grande ação (como a voraz perseguição de moto do David), ou cheias de tensão (a invasão do Téo na casa de um desconhecido) ou aquelas partes com uma grande carga de emoção humanista, simplesmente natural. No caso, isso pode ser encontrado nas alegações finais do David no caso, sendo essa uma das passagens mais emocionantes que eu já vi num livro.

Um dos poucos pontos negativos do livro é o uso de diversos termos jurídicos. Mesmo que eu tenha a noção de que isso foi necessário (o livro é um thriller jurídico) as vezes eu me cansava, não pela história, mas pelos termos utilizados no decorrer da mesma.

Fisicamente, o livro é perfeito! A começar pela capa, com um layout bem feito e uma imagem igualmente boa. Por dentro o livro continua igualmente bom, com uma boa divisão de capítulos, margens no tamanho certo e uma fonte confortável e nem um pouco cansativa. Não vindo de uma editora renomada eu realmente tinha medo do que poderia encontrar, mas além de todas essas boas características citadas, o livro também não contém erros ortográficos! O que podemos ver são pouquíssimos erros de digitação, mas nunca erros grotescos como os que estamos acostumados a ver em tantos outros livros.

Mesmo que o livro tenha uma ótima história sua sustentação só ocorre por causa do pano de fundo polêmico e facilmente discutível. É impossível não ver suas opiniões abaladas depois da leitura do livro. Igualmente abalados ficarão seus nervos depois de partes emocionantes e cheias de tensão, dignas de um romance policial americano.   

Avaliação: 




16 comentários:

  1. Bom, é um livro bem diferente, que aborda um tema realmente polêmico. Eu tenho a minha opinião já formada a respeito do aborto, mas gostaria de ver se ela mudaria depois de ler o livro.


    Abraços!

    ResponderExcluir
  2. Adoro livros desse gênero!

    Beijos

    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  3. Pode ser q a sua opinião ñ mude, mas com certeza os seus conceitos sobre o assunto ficarão um pouco abalados! vale a pena ler!! ;)

    ResponderExcluir
  4. Super polemico! Apesar de ter minha opinião formada sobre o tema, realmente sua resenha me fez ter vontade de ler esse livro.


    Ótima resenha!

    ResponderExcluir
  5. Pelo que tenho visto, acho que o livro é sim um pouco tendencioso em favor do aborto. Mais colocando os dois (médico e advogado) como vítimas das circunstâncias e a promotora como uma megera... MAS, como ainda não li posso estar enganada, já que sou indiscutivelmente uma pró-life então também sou tendenciosa, né rsrsrrsrs. A capa realmente é belíssima e pelos termos técnicos acho que supero, afinal, é até bom aprender coisas novas.
    Bjs


    Roberta


    Visite e siga também: http://umamamaeemapuros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. realmente, no decorrer da leitura podemos notar que o livro pende mais para o lado da legalização. mas, no final ele não se decide bem, deixando que nós mesmos tiremos nossas conclusões.

    ResponderExcluir
  7. é um livro com um tema polêmico é verdade,mas não sei se leria. não é muito meu gosto de leitura esses dramas judiciários. a capa é ótima,e ´´e de um autor nacional =) bom saber.

    ResponderExcluir
  8. Realmente é um tema extremamente polêmico. Só achei estranho essa questão de colocar o Drº Arthur como uma "vítima", sendo ele um assassino (sim, eu acho que tanto os médicos, como as mães e enfermeiras que participam do aborto, são assassinos). Enfim, gostaria de ler pra sentir a vibe dele.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  9. Polêmico mesmo, é um assunto delicado, não é todos que se intrigariam em querer ler um livro com esse tema pois a verdade dói e muitas vezes não queremos enxergar.
    Gostei da resenha e principalmente do tanto que você se mostrou impressionado por não esperar um livro tão bom e por ter vindo de um editora não renomada.

    ResponderExcluir
  10. no primeiro momento eu tbm classificava o Arthur como um assassino, mas no decorrer da leitura tem tantas provas de q ele ñ era tão culpado q eu fiquei pensando mt se o q ele faz é realmente errado. Mas ainda assim há diversas comprovações de q o q ele fazia era errado. Ou seja, o livro foi feito para dividir opiniões!!

    ResponderExcluir
  11. Não consegui me interessar pelo livro. Li algumas resenhas positivas para ver se minha opinião mudava, mas não mudou =/

    ResponderExcluir
  12. Thielen Borba da Costa31 de maio de 2013 19:43

    É um assunto muito delicado pra fazer. Com certeza tem que saber o que esta escrevendo e creio que seria melhor o autor já saber se é ou não a favor do aborto.
    Eu, sinceramente, não sei se conseguiria ler esse livro. Uma que ele parece ter um linguajar bem de advogados mesmo. hehe
    Anyway, parece bom, mas não pra mim.

    ResponderExcluir
  13. Ketelin Natieli Wochner26 de agosto de 2015 14:40

    Bom, é um livro bem diferente, que aborda um tema realmente polêmico. Eu tenho a minha opinião já formada a respeito do aborto, mas gostaria de ver se ela mudaria depois de ler o livro.


    Abraços!

    ResponderExcluir
  14. Adoro livros desse gênero!

    Beijos

    Rizia - Livroterapias

    ResponderExcluir
  15. Um tema polêmico que com certeza vai dividir muito as opiniões.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir