postado por Funs Hunter em 06 junho 2013

Resenha | Apegados

Autores: Amir Levine e Rachel S. F. Heller
Editora: Novo Conceito
Páginas: 304
Skoob: Adicione
Compre: Encontre o melhor preço.
Avaliação: 

Sinopse: Cada vez mais fazemos uso da pesquisa científica para conquistar melhor qualidade de vida. Sabemos o que devemos ou não comer, conhecemos o tipo de exercício que devemos praticar e por quanto tempo devemos fazê-lo, aprendemos alternativas viáveis para conquistar o sono revigorante... No entanto, nossos relacionamentos amorosos, parte importante de nossa vida, não parecem tão avaliados e estudados. Geralmente temos a sensação de que essa coisa de amor é um assunto da sorte.
Mas será possível que a ciência explique por que algumas relações são produtivas e enriquecedoras, enquanto outras nos deixam perturbados e alienados? Pode a ciência explicar como muitos criam vínculos amáveis sem esforço algum, enquanto outros têm que lutar tanto pelo amor? Para o psiquiatra Amir Levine e a psicóloga Rachel Heller, a resposta é um evidente “sim”.
Em "Apegados" — livro baseado nas pesquisas da Teoria do Apego, de John Bowlby —, os autores revelam como compreender os mecanismos de afeição que se criam entre os adultos, o que certamente nos ajudará a encontrar e a manter o amor. Seja você do tipo “ansioso”, “seguro” ou “evitante”, Levine e Heller se encarregam de oferecer instrumentos suficientes para que você possa construir relações mais fortes e reparadoras com as pessoas que ama.




Eis que com o livro em mãos, resolvo dar aquela olhadinha entre as folhas antes de começar a leitura. De imediato, ao ver algumas atividades para serem feitas, já imaginei que seria mais um daqueles livros de autoajuda chatos que geralmente não resultam em nada.
Confesso que agora, ao finalizar o livro, estou extremamente feliz em dizer que eu estava completamente enganado. O livro é muito bom! Eu diria até que é indispensável para qualquer pessoa que tenha, teve ou terá um relacionamento.
Mas, vamos ao que interessa.

O livro baseia-se na teoria do apego de John Bowlby e busca explicar, através de exemplos reais, como é o comportamento das pessoas em determinada situação de apego. Comportamento esse, diretamente influenciado pelo estilo de apego a qual o individuo se enquadra. Sendo eles: estilo evitante, estilo ansioso e estilo seguro. Mais do que isso, explica o porquê de necessitarmos de alguém que se enquadre corretamente ao nosso estilo.

Fomos criados para sermos dependentes de outro ser significativo...ao longo da evolução, a seleção genética favoreceu as pessoas que se apegavam, porque isso proporcionava uma vantagem para a sobrevivência.                      
Pag. 22

Utilizando vários fatos vividos por pessoas normais, os autores explicam claramente o que aconteceu e qual foi a influência do estilo de apego no desfecho da situação. Deixa claro também, qual poderia ter sido o desfecho em caso de um estilo diferente.

Para mim, o mais importante do livro é mostrar que para ter um relacionamento feliz, não é simplesmente “se jogar no mundo” a procura daquela pessoa especial e, quando acha que encontrou, ignorar todos os sinais de que há algo de errado, deixando seu futuro nas mãos da sorte.

Os autores, mostram muito bem como é o relacionamento entre os diferentes estilos de apegos. Em alguns casos, parece que nos conhecem e estão descrevendo alguma situação que vivemos, pois como eu disse, são situações vividas por pessoas reais, assim como eu e você que esta lendo essa resenha.

Enfim, antes de afundar num momento depressivo com aquelas, sempre presentes perguntinhas: “Por que nunca dá certo comigo?” “O que eu fiz de errado?” “Por que ela (ele) é assim?” entre outras, aconselho a ler esse livro e encontrar cientificamente as respostas para tais questões.
Com toda certeza esse entra para minha lista de favoritos e leva 5 estrelas!








Top Comentarista
Se ainda não está participando, faça sua inscrição AQUI através do aplicativo e leia as regras para não ser desclassificado!






12 comentários:

  1. Gabrielle Roveda6 de junho de 2013 21:01

    Faz um bom tempo que quero ler, agora que já comprei uma infinidade de livros, estou esperando pra quem sabe mês que vem tê-lo em mãos e sim, estou mais louca para ler do que antes. Primeira resenha que acompanho sobre Apegados!

    ResponderExcluir
  2. Muito bem escrito, vc não vai se arrepender de lê-lo

    ResponderExcluir
  3. pois é,acho que mesmo ele sendo bem escrito, e pelo visto os autores tiveram carisma em escrevê-lo,esse tipo de leitura não funciona pra mim. =/

    ResponderExcluir
  4. Ana Carolina Lopes7 de junho de 2013 10:48

    Eu não acho os livros de auto-ajuda tão ruins assim , tipo eu li , só o amor é real , de Brian weiss , é de um psicologo também , assim como apegados , e eu consegui tirar uma boa lição dele .
    Acho que seria uma leitura bem prazerosa ;)


    *_*

    ResponderExcluir
  5. Eu também imaginava que esse livro era mais um desses de auto-ajuda que só falam da mesma coisa, mas a sua resenha me fez ver que é diferente.
    E achei bacana também as atividades pra fazer, fiquei super curiosa... rsrs


    Bjok

    ResponderExcluir
  6. Eu tenho ele e estou doida pra ler. Pelo visto vale a pena mesmo! É diferente, eu achei. Tem um modo bem legal de ser escrito, não fica chato de ler, acho.

    ResponderExcluir
  7. Não tinha muito interesse nesse livro, pois sempre tive a sensação que seria um manual.

    Ganhei esse livro e estou esperando chegar.

    Graças a sua resenha darei uma chance à leitura, :)

    ResponderExcluir
  8. Ketelin Natieli Wochner10 de junho de 2013 17:29

    Parece até interessante e sua resenha ficou muito boa, mas ainda assim não cheguei a ficar com vontade de lê-lo... :S


    Abraços!

    ResponderExcluir
  9. Samuel Lima Moreira11 de junho de 2013 14:07

    A Resenha é ótima, mas não me interessei muito, por enquanto a minha meta de leitura é Bruxos e Bruxas

    ResponderExcluir
  10. Eu não sabia que esse livro poderia ser tão bom! Acho que é a primeira resenha legal que vejo sobre ele. Quando a NC anunciou o lançamento eu fiquei super desanimada, porque não gosto mesmo do gênero, mas depois dessa resenha super empolgada eu acho que posso rever minhas opiniões.
    biejos

    ResponderExcluir
  11. Lendo a sinopse, imaginei que se tratava de uma daquelas revistas teens com direito aqueles testes superficiais e tudo o mais. Mas pela sua resenha, de superficial esse livro não tem nada. Confesso que não faz meu estilo, e só leria se ele aparecesse como um passe de mágica na minha mão. E seria em um futuro beeeeem distante, pois minha listinha de próximas leituras está enorme.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  12. Não gosto de livros de auto ajuda! Prefiro livros que os autores deixam lições de moral ou exemplos de vida de uma forma implícita, fazendo a gente refletir! Por isso não interessei pelo livro!
    http://meufilmeviroulivro.blogspot.com/

    ResponderExcluir