postado por Matheus em 20 janeiro 2014

Resenha | De Coração para Coração

Autora: Lurlene McDaniel
Editora: Novo Conceito
Páginas: 208
Skoob: Adicione
Compre: Encontre o melhor preço!
Sinopse
Da autora best-seller Lurlene McDaniel, De coração para coração fala de perdas, amor e renovação. Fala também da maneira como esses sentimentos tão complexos se entrelaçam, nos momentos mais difíceis, nas relações familiares e de amizade. Elowyn e Kassey são grandes amigas, que dividem tudo. Mas uma coisa Elowyn não contou para Kassey: ao tirar a carteira de motorista, ela marcou a opção “doadora de órgãos”. Kassey descobre esse detalhe da vida da amiga da maneira mais trágica – quando o desejo de Elowyn está prestes a ser atendido. Arabeth nunca teve a sorte de ter uma melhor amiga. Com o coração doente, ela leva uma vida protegida de tudo e de todos. Até que, aos 16 anos, recebe o telefonema que tanto esperava — mas inicialmente ela e sua mãe não sabem a quem devem agradecer. Quando os mundos dessas três meninas e de suas famílias se cruzam, suas vidas se transformam de maneira nunca imaginada. Kassey, especialmente, encara os fatos como uma forma de manter viva a memória de sua querida amiga. Ela passa a compartilhar da nova vida de Arabeth, ao mesmo tempo em que ajuda a aliviar o sofrimento da família de Elowyn e a compreender a sua própria dor.



Resenha

Tratar de perdas já é algo extremamente difícil em um livro sobre pessoas na vida adulta. Com isso, Lurlene McDaniel assume um grande desafio ao tratar de perdas entre adolescentes, mostrando não somente o impacto da perda na família, mas também nos amigos, algo tão importante para um adolescente. Mesmo que com essa coragem ela não consiga escrever um livro impecável e inspirador, De Coração para Coração é sim um ótimo livro!
“Você não sabe o que tem até perdê-lo.”
Pág. 179

Toda menina adolescente tem uma melhor amiga. No caso de Kassey ela é Elowyn. As duas compartilham segredos, Kassey ouve os desabafos de Elowyn em relação ao seu namorado, Wyatt, as duas juntas jogam o mesmo esporte na escola, o vôlei... Resumindo, elas são típicas melhores amigas. Mas uma coisa que Elowyn nunca disse à Kassey foi o fato de ela ser doadora de órgãos. Infelizmente, Kassey soube disso da pior forma possível: uma fatalidade acontece e infelizmente Elowyn adoece. A perda foi dura para todos, seus familiares, seus amigos e seu namorado. Mas quem mais sofreu com essa perda foi Kassey, que sempre teve Elowyn como sua melhor amiga.
“Quando sua melhor amiga fica toda preocupada com o namorado e não sobra espaço para mais ninguém, você fica magoada.”
Pág. 18
Ainda arrasados com a perda da filha, os pais de Elowyn são questionados com a difícil questão: doarão ou não os órgãos de sua filha? Enfim, decidem que o desejo da filha seja atendido, e com isso o coração de Elowyn, que não sofreu com nada em sua morte, será transplantado para Arabeth, uma adolescente que desde criança sofria por não ter um coração capaz de mantê-la “por completo”.
O transplante ocorre bem, e Arabeth enfim é uma adolescente normal. Mas estranhas lembranças e hábitos tomam conta dela. Hábitos e lembranças essas iguais as que a própria Elowyn tinha. Seria isso mera coincidência ou há uma explicação médica para aquilo? Convivendo com isso, Arabeth aos poucos vai fazendo parte daqueles que já foram próximos à Elowyn, e isso pode mostrar a todos eles o sentido da vida e das perdas.

Por mais que a história se pareça extremamente piegas ela não é nada disso que aparenta ser. Lurlene McDaniel conduz a história por um caminho que não investe no melodramático. Ela retrata tudo de forma verdadeira, por assim dizer, sem nenhum exagero, sem nenhuma emoção forçada, sem nada que tornasse o livro clichê. Descrevendo sua escrita em uma só palavra: agridoce!
Essa forma “agridoce” de se escrever cai muito bem com a história, que tem como objetivo tratar da perda de forma não-dramática. Quando são necessárias emoções mais fortes elas aparecem lá, de forma singela e simples, sem nenhum exagero. E para amenizar essas partes mais duras da história Lurlene sempre guarda consigo algumas frases doces, inspiradoras ou engraçadas, soltando-as no livro sempre que necessário. Mais uma prova de que ela sabe conduzir uma história muito bem.
“-Eu preciso religar todos aqueles pequenos vasos. Mas eu sou muito bom com uma linha e uma agulha.
-Talvez você possa fazer um vestido de formatura para mim um dia.”

Pág. 55
Mas há um revés em tudo isso. Se por um lado essas emoções mais contidas e verdadeiras transpostas no livro podem impedi-lo de se tornar melodramático ele também não consegue passar grandes emoções ao leitor. Tudo o que podemos ver toca-nos de forma simples e modesta, nada capaz de derramar lágrimas. É claro que isso não diminui a qualidade do livro, mas é claro que aqueles leitores aficionados por um livro capaz de arrancar soluços não irão se sentir muito agraciados por De Coração para Coração.
Além da dor da perda, outro tema tratado no livro é a memória celular. Pouco se ouve sobre o fato, mas muitos receptores de órgãos já relataram ter lembranças e hábitos do doador do órgão transplantado. A comunidade científica nunca confirmou nem discordou do fato, mas grande parte dos médicos especializados diz que isso é impossível, já que a memória é armazenada apenas no cérebro. No enredo do livro, essa questão é muito bem levantada, utilizando de bons exemplos de Elowin em Arabeth, e também mostrando as consequências disso.
“-Acho que todos nós somos um pouco loucos.”
Pág. 114
No final de tudo, o grande trunfo de De Coração para Coração é a forma como ele trata os adolescentes. No livro estão expostos seus medos, seus sentimentos em relação ao amor, a forma como eles reagem às perdas, a rebeldia e outras coisas mais. Tudo isso tratado de forma simples, leve e agridoce (é impossível não usar essa palavra ao resenhar esse livro).

Como o livro é curto (apenas 207 páginas) a leitura sempre transcorre de forma leve. Em momento algum ele se mostra cansativo, e com isso a leitura acaba de forma rápida e agradável. Essa leitura leve também se deve às margens muito bem espaçadas e a fonte, agradabilíssima e de ótimo tamanho. Na capa, mais uma vez a Novo Conceito acerta, investindo agora em algo simples, mas significativo e belo.

Para leitores aficionados, De Coração para Coração pode ser incrível para curar uma “ressaca” literária. Sua leitura, rápida e nunca cansativa, é extremamente agradável, e a história, no mínimo que seja, consegue nos tocar de alguma forma. Uma leitura rápida e simples, mas que em momento algum desmerece as breves horas passadas entre suas agridoces páginas.
“[...]a vida é definida por momentos decisivos que, em sua maioria, não são planejados ou esperados.”
Pág. 122


Avaliação:








Top Comentarista
Caso ainda não esteja participando, se inscreva na promoção na seguinte postagem: Top Comentarista de Janeiro.





Sobre o Autor:
Matheus
Matheus é Colaborador do blog, cinéfilo de carteirinha, leitor compulsivo e aficionado por música. Quando não está lendo, pode-se vê-lo re-assistindo Kill Bill ou então ouvindo música com os seus fones inseparáveis.


19 comentários:

  1. Já li algumas resenhas sobre este livro e todas foram bem positivas. Nunca tinha lido nenhuma obra que abordasse esse mesmo tema e esta parece ser uma estória muito emocionante e cativante :)

    ResponderExcluir
  2. Eu não sabia muito sobre a história do livro, não tinha me interessada porque não gostei muito da capa mas agora depois de ler a sua resenha fiquei bem interessada, o livro parece ter uma história muito bonita, com certeza já tá na minha lista.

    ResponderExcluir
  3. Quando vi esse livro pela primeira vez fiquei encantada ao ler a sinopse dele. Uma história forte, que fala de amor, amizade, de perda e humanidade. Adorei seus comentários sobre a história e fiquei mais ansiosa ainda pra saber dessas personagens tão incríveis. Vou tentar ler logo, logo. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Comprei este livro e é uma das minhas próximas leituras, simplesmente me apaixonei assim que o vi, bem o estilo de livro que eu gosto, estou ansiosa para lê-lo. *.*

    ResponderExcluir
  5. Sinceramente, nem tinha conhecimento sobre o tema rs
    E sim, o livro é bem cativante, e para alguns pode ser sim bem emocionante! :D

    ResponderExcluir
  6. O que eu falei com relação ao fofinho, é porque: A melhor amiga de uma garota morre, e doa seus orgãos, uma garota recebe o coração e começa a se aproximar da família da garota,e sentir coisas. Sei lá, é como se a garota morta nunca fosse deixar de existir, e passasse a viver nos pedaços das pessoas que ajudou. Não sei.

    ResponderExcluir
  7. jurava de pé juntinho que era mais um livro de auto ajuda. maravilhoso saber que não é, pelo contrário, me pareceu uma história bonita, emocionante, e bem humana sabe. os personagens tem um aprendizado difícil, acredito que o livro apesar de curtinho, passe uma mensagem linda. vou marcar como desejado com certeza, sua resenha me fez mudar de opinião.

    ResponderExcluir
  8. O livro é bem fofo, mas me deixou no meio termo até agora. Havia me encantado pela capa que é tão simples e bonita ao mesmo tempo e tem uma cor tão marcante, fiquei querendo só por ela. Mas depois de ler a resenha tive noção do quanto o livro é emocional. Mesmo que não tenha a "dose" exata de emoção que faz a maioria chorar, estou realmente fugindo deste gênero agora rsrsrs Tô gostando tanto de histórias mais leves e também de distopias, que será bem difícil ler algo assim durante um bom tempo.

    ResponderExcluir
  9. Confesso que não imaginava que esse livro era tão legal assim. Realmente trata de assuntos bem reais e atuais e, por isso, acabei me interessando por ele. Só que para mim, ele não funcionaria como um "reabilitador" de ressaca literária, seria mais provável que eu entrasse em depressão na mesma hora. Rsrsrs

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  10. Ao ler a sua resenha percebi que apesar do tema é um livro leve. Ainda não li nenhum livro que abordasse a doação de órgãos, é uma atitude linda e que deveria ser incentivada com mais frequência.

    ResponderExcluir
  11. Esse não é o tipo de livro que eu gosto de ler, mas a sinopse é interessante e o livro parece ser muito lindo e emocionante!!

    ResponderExcluir
  12. NUNCA li um livro desse tipo. Mas eu gostei bastante por esse fato dele ser diferente! ♥

    ResponderExcluir
  13. Sim! A mensagem que o livro passa é linda! *--*

    ResponderExcluir
  14. Mas msm q vc esteja fugindo de livros do tipo faça um esforcinho e leia esse! É uma leitura rapidinha! Vale a pena! ;)

    ResponderExcluir
  15. Sorte q comigo isso ñ aconteceu hahaha

    ResponderExcluir
  16. Eu vi esse livro la na saraiva, naquela sessão de "amo ler". Estava com vontade de ler, mas não sabia se era bom, então estava olhando umas resenhas... E me simpatizei com a ideia do livro. Bem fofinha.
    Uma vez eu assisti um filme que tinha uma história assim, só que era de terror. A mulher recebia um olho em transplante, e começava a ver o que a antiga "dona" via... Era bem tenso. kkkk
    Mas esse parece ser levado para um lado mais social, e com uma história bonita. Enfim, gostei. E parabéns pela resenha.

    ResponderExcluir
  17. Não considerei o livro tão fofinho. Por vezes ele pode ser duro e cruel, mas é a vrdd, então não há do q reclamar.
    Já ouvi falar desse livro q vc falou. Não me lembro o nome, mas não me senti interessado em assistir rs

    ResponderExcluir
  18. Vc não gostou da capa? Eu achei ela tão linda... simples e combina com o livro. Pode ler q vc ñ vai se decepcionar ;)

    ResponderExcluir
  19. Leia e não se decepcionará ;)

    ResponderExcluir