postado por Funs Hunter em 10 março 2014

Resenha | Príncipe da Noite: Sete Mulheres e Meia

Autor: Germano Pereira
Editora: Novas Páginas
Páginas: 368
Skoob: Adicione
Compre

Sinopse: Toda manhã, o psicanalista Gabriel se surpreende ao acordar: sempre encontra uma mulher diferente dormindo ao seu lado. Ele nunca se lembra do seu nome, nem da maneira como a conheceu. A única coisa que resta de suas aventuras noturnas é um lapso de memória. Mas esta noite tudo se repetirá: quando cruzar com uma bela mulher, na noite seguinte, perderá o controle de quem é, porque o seu outro “eu” é capaz de tudo para satisfazer seus desejos mais primitivos. Mantendo esse segredo somente para si, Gabriel leva uma vida aparentemente normal na grande Londres, ouvindo diariamente os problemas de seus pacientes, enquanto tenta fugir das loucuras de sua ex-namorada. Mas nada é verdadeiramente normal para um homem que pode ser controlado pelo Príncipe da Noite...



Ninguém nunca conviveu tanto com a expressão “monstro interior”, quanto o personagem dessa história. Gabriel, psicanalista, uma pessoa comum, com comportamento social inquestionável, exceto quando ELE surge.

O livro traz o drama vivido por Gabriel. Um cara “gente boa”, com boa índole, com bons valores e inquestionável caráter. Porém, existe uma segunda personalidade vivendo dentro dele. Esta, o seu oposto, faz com que realize coisas inimagináveis para ele, principalmente tratando-se de mulheres.
Apesar de em vários momentos o autor chamar o Príncipe da Noite, segunda personalidade de Gabriel, como serial killer do sexo, o livro não apresenta em momento algum passagens impróprias, o que o torna passível de leitura para qualquer idade.

O drama da história fica por conta das atitudes que essa outra personalidade do protagonista realiza. Gabriel, em certo momento, percebe que não possui controle nenhum sobre si, até mesmo as lembranças das noitadas do Príncipe são apagadas de sua memória, ficando apenas relances, os quais ele lhe permite lembrar.
Tudo fica pior quando fatos estranhos, bom, mais estranhos ainda começam acontecer. Objetos aparecem em sua residência sem que ele saiba da sua origem, entre outras coisas...

O Príncipe da Noite é um Drácula que suga meu ser, meu sangue e o de todos que passam por ele, mesmo que eu não saiba. É assustador. Do que mais o Príncipe seria capaz? Tenho medo de mim mesmo.
Página 338

A história tem uma base muito boa, achei interessantíssimo o fato de um psicanalista ter essa vida tão conturbada, porém, o desenrolar da história não me foi muito agradável. Respeito muito o autor, porém, achei a história meio monótona e em alguns momentos repetitiva demais. Com acontecimentos idênticos e até mesmo óbvios.

Ao caminhar para o final, a história ganha ares de suspense e as coisas começam a ficar mais atraentes. O Príncipe da Noite mostra toda sua perversidade, deixando de ser apenas um maníaco por sexo.
Para o desfecho da história, apenas digo que o autor coloca a imaginação do leitor para funcionar. Quem gosta de histórias que fazem imaginar possibilidades, vai gostar de como a mesma fora finalizada.


Confesso que criei uma expectativa muito grande para ler esse livro e, talvez devido a isso, não tenha achado tão bom. A capa é perfeita! Gosto dessas imagens que geram um certo suspense e nos levam a imaginar uma ótima história. Parabenizo a editora pelo trabalho de diagramação, pois nesse quesito o livro é impecável. 

Boa leitura e até a próxima!










Sobre o Autor:
Evandro
Evandro é Colaborador do blog, fascinado por Animes, tecnologia e games. Apaixonado por leitura e professor nas horas vagas. Nada criativo para terminar essa biografia e apressado para assistir e ler logo após.


12 comentários:

  1. Eu ainda não tinha visto comentários sobre esse livro, mas fiquei bastante surpresa com a história. Gosto dessa coisa de suspense com um segredo. Seilá, parece atraente. Acho a capa divina, e estou louca para ler agora. kkk


    beijos

    ResponderExcluir
  2. Mesmo possuindo uma parte previsível, o livro em si parece ser muito bacana. Além disso o ar de mistério que a capa passa me deixou louca por esse livro.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  3. adriana wolf bastos12 de março de 2014 13:35

    Adoro livros de suspense...em que posso ficar imaginando mil e uma coisas para o desfecho! livros que tenho que "bancar a detetive" me prendem de uma forma que não consigo largar o livro!rsrs
    Espero ter a oportunidade de fazer essa leitura e chegar ao desfecho que fiquei curiosa!rsrs

    ResponderExcluir
  4. olha... eu até pensava que esse livro tinha um algo a mais, mas pela sua resenha, acredito que caiu no clichê e na mesmice. ficou repetitivo. e o autor tinha um plot muito bom nas mãos, tipo um "médico e o monstro" sabe. a capa é misteriosa, e vendeu bem a história, uma pena que o livro ficou meia boca. claro que ainda quero ler, mas já vou sem expectativa.

    ResponderExcluir
  5. Concordo que a capa é bem misteriosa e acho o enredo bem interessante. Achei uma pena você ter comentado que algumas partes da estória foram repetitivas, já tinha lido algumas resenhas e a maioria comentou a mesma coisa, mas parece ser uma boa leitura. Se eu for ler, acho que começarei sem altas expectativas! :)

    ResponderExcluir
  6. Bom, também imaginei o "medico e o monstro" quando iniciei a leitura. talvez por isso esperava mais do livro.

    ResponderExcluir
  7. Assim que vi a capa, me interessei, pois, como você disse, ela tem um tom de mistério bem legal. É realmente uma pena que o livro não tenha te agradado tanto assim, mas, pelo menos, com o decorrer da trama, ela vai ganhando mais "corpo". Já sabendo desse probleminha, irei lê-lo com expectativas mais baixas.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  8. A ideia e premissa do livro me pareceram muito boas, teria tudo para ser uma história arrebatadora se fosse bem desenvolvida, não sou muito fã de livros que deixam o final em aberto para o leitor imaginar o que acontece, gosto de livros que tenham um fim, mesmo assim com a mesmice e o clichê, a repetição que você menciona, ainda tenho vontade de ler só pelo suspense que o livro adquiri, espero não me decepcionar tanto.

    ResponderExcluir
  9. Giovanna Territsen20 de março de 2014 20:32

    Ah eu detesto finais do tipo "interprete você mesmo". Serio, detesto! E essa resenha me lembrou o "Dark Passenger" do Dexter. A diferença é que o psicanalista não se lembra desses momentos. Acho que a ideia de 'medico e o monstro' é bem obvia na historia. Pena o livro não ser tão bom quanto suas expectativas...

    ResponderExcluir
  10. Impossível não associar essa resenha com o Médico e o Monstro. Adoro um suspense e esse parece ser bom. Tirando as partes monotonas e repetitivas ainda quero ler.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  11. Esse livro parece ser muito bom, uma pena você ter se decepcionado um pouco. Gostei do que o livro trata, gosto de livros que falam de conflitos do personagem com o seu próprio anterior, e acho bem interessante finais que deixam o leitor imaginar o que aconteceu, mas só quando eles deixam uma linha de raciocínio em que você consegue imaginar algo próximo do que o autor tenha imaginado. O que eu não curti muito foi a parte que você falou que o livro era um pouco monótono e repetitivo, isso realmente me incomoda em uma leitura.
    Acho que eu leria esse livro, mas ele não vai ficar no topo da minha lista, acho que colocaria ele na categoria "se eu tiver tempo e muita vontade, lerei".
    Beijos!

    ResponderExcluir
  12. Quando eu vi este livro pela primeira vez (que acho que foi aqui), senti que precisava lê-lo, mas fiquei triste por saber que você se decepcionou um pouco e talvez por ter criado expectativas com o livro, mas não vou desistir e vou comprar o livro, não consigo diminuir minha expectativa, mas vou tentar não ir com tanta sede ao pote, hehe. =)

    ResponderExcluir