postado por Funs Hunter em 05 junho 2014

Resenha | A Mulher Silenciosa

Autora: A. S. A. Harrison
Editora: Intrínseca
Páginas: 256
Skoob
Compre

Sinopse: Jodi e Todd estão juntos há 20 anos e, aparentemente, levam uma vida invejável. Todd é um empreiteiro bem-sucedido que pode bancar alguns luxos, como o enorme apartamento com uma vista deslumbrante para o lago, um Porsche (dele) e um Audi (dela) na garagem, e o estilo de vida de Jodi. Psicoterapeuta, ela atende em casa apenas dois clientes por dia, e tem tempo de sobra para as sessões de pilates, as aulas de arranjos florais, os passeios com Freud, o golden retriever do casal, e o preparo das refeições gourmet de que tanto gosta. Jodi ainda fica ansiosa ao ouvir a chave do marido abrindo a porta. Todd diz que nunca encontrará uma mulher igual a ela. Essa fachada perfeita, porém, está prestes a ruir. Todd é um adúltero incurável, e Jodi sabe disso. Ela é a esposa silenciosa, preparada para tolerar as traições do marido com o intuito de manter as aparências. Até que Todd sai de casa - para viver com uma mulher com metade da idade dela, filha de seu melhor amigo. Magoada, humilhada e, por fim, financeiramente abalada, Jodi começa a contemplar o assassinato como uma opção razoável. Contado alternadamente nas perspectivas dele e dela, 'A mulher silenciosa' é um livro sobre um casamento à beira do fim, um casal na direção da catástrofe, concessões que não podem ser feitas e promessas que não serão cumpridas. Um thriller psicológico sofisticado, que seduz o leitor desde a primeira página.



Qualquer um que possua um conhecimento um pouco elevado sobre livros, dos mais diversos gêneros, pode reconhecer os diversos clichês que estão incluídos nos gêneros literários. No romance, sempre o mocinho viverá um grande amor com a personagem principal da história. Na ficção, por mais árduos que sejam os caminhos, sempre o final se mostrará com a vitória do bem contra o mal. Nos thrillers sempre haverá um mistério inesperado, envolto em mortes, policiais e investigações incansáveis. Mas um livro sempre tem que seguir os mesmos padrões de seu gênero? Não! Mas o grande problema é que, na maioria das vezes, quando um livro foge do comum, ele não consegue agradar a maioria dos leitores. E por isso livros que fogem de suas narrativas convencionais já podem ser considerados um tanto superiores por sua coragem; e quando, mesmo fugindo do convencional, ele consegue agradar o público, aí ele pode ser considerado um livro incrível! Caso óbvio de A Mulher Silenciosa.


Mas ninguém pode viver sua vida segundo as regras de outra pessoa.
Página 169


Jodi não poderia desejar uma vida melhor. Ela vive o “sonho americano” da melhor maneira possível: vive em um apartamento de alto nível com vista para um lago; cozinha seus pratos gourmets sempre que deseja, não importando o quanto gastará; trabalha esporadicamente como psicóloga e mantém um casamento completamente estável com Todd. Bem, “estável” pode não ser a melhor palavra para descrever seu casamento... 

Todd é um mulherengo convicto, que não quer mudar sua atitude tanto quanto não consegue. Estranhamente, Jodi sabe a verdade sobre Todd. Sabe que ele a trai. Sabe que ele gasta o seu salário de empreiteiro bem sucedido com outras mulheres enquanto ela fica em casa pensando no que vai cozinhar no próximo jantar. 
Mesmo sabendo de tudo, Jodi sempre achou melhor não contrariar tudo isso. Sendo a ótima psicóloga que é, ela sabe que Todd não poderia mudar tão facilmente, e também sabe que discutir com ele sobre isso não ajudaria em absolutamente nada. E por isso ela mantém esse casamento “feliz”, morno e, por certo ponto, falso.
Ainda assim, Todd ama Jodi, e há “n” motivos para amá-la. Sua beleza delicada e simplória, sua calmaria constante e seu grande afeto que demonstra como esposa: esses são apenas alguns motivos para Todd continuar casado com ela. Mas talvez ele esteja enganado, talvez ela não seja como ele realmente a vê. Na mente de Jodi há um turbilhão de pensamentos anormais à vida do casal, e algum deslize grande demais talvez seja o necessário para fazer com que ela libere tudo aquilo que guardou para si. Será que o fato de Todd sair de casa para ir morar com a filha de seu melhor amigo é um deslize suficiente para que Jodi libere aquela parte de sua psique que ninguém conhecia?


Ao afirmar que as pessoas não mudam, o que ela quer dizer é que não mudam para melhor; quanto a mudanças para pior, isso nem se fala. De alguma forma a vida consegue mudar a pessoa que você pensava que fosse.
Página 29

A. S. A. Harrison merece todas as honrarias possíveis por ter conseguido desenvolver A Mulher Silenciosa sem que ele se tornasse uma leitura arrastada ou previsível! 
Convenhamos que não é comum encontrar um thriller que deixa explícito na sinopse o que acontecerá nos capítulos finais do livro. E A Mulher Silenciosa é assim! Já na sinopse, podemos perceber que o assassinato de Todd seria uma solução para aquilo que Jodi procura. Tudo bem, aquele que poderia ser o “mistério” deste livro já foi revelado, mas como isso irá acontecer? O que levará os personagens a se submeterem a tais atos? São perguntas como essas, feitas muitas vezes mentalmente pelo leitor, que tornam a leitura tão viciante e empolgante. 

Para que a história fique ainda mais embasada em algo palpável, algo que pode realmente acontecer, a escritora cria descrições psicológicas altamente introspectivas para seus personagens. No início do livro cada capítulo é contado sobre a perspectiva de um personagem: Jodi e Todd. Com isso, Harrisson tinha um mar de possibilidades de esmiuçar toda a psique dos personagens principais. E ela faz isso de forma certeira! Todos os pensamentos e sentimentos, vindos de Jodi ou Todd, são narrados com uma humanidade extremamente convincente, sem que nada nos pareça anormal ou exageradamente desumano. E toda essa descrição ainda tem o mérito de aguçar ainda mais a curiosidade do leitor, que anseia em descobrir aquilo que se esconde por trás de pensamentos muitas vezes enigmáticos.
Ainda assim, há um revés. Se por um lado o fato de não haver nenhum mistério no livro aguça a curiosidade do leitor para saber como tudo aconteceu por outro lado isso faz com que o clímax da história se mostre sem sal e até mesmo decepcionante. Na verdade, é até difícil dizer onde está o verdadeiro clímax. O ato final ocorre quase que inesperadamente, sem aviso prévio, e depois disso toda a história passa a ser contada sobre a perspectiva de um único personagem, que conta tudo o que se passou após o “ato final”. Ou seja, não há espaço para clímaces mirabolantes e extremamente emocionais. Mas alguém esperava por isso após ver a premissa de A Mulher Silenciosa?


As palavras são como ferramentas, facilmente transformadas em armas, criando limites onde não é necessário.
Página 114

A capa do livro, mesmo sendo simplíssima, consegue captar com perfeição todo o espírito da história, isso num estilo excessivamente elegante, com fontes simples e uma imagem sombreada normal, que ressalta a coloração prata-azulada-fosca que corresponde à parte cinza da capa. A fonte, por mais que seja de um tamanho pequeno, não se mostra cansativa, algo que pode ser consequência das boas margens e das boas divisões dos capítulos.

Talvez A Mulher Silenciosa se mostre um livro para poucos. Sua forma de narrativa diferenciada e um tanto complexa (é comum se deparar com palavras de um português mais culto, palavras que quase nunca usamos) talvez possa assustar alguns leitores que estão acostumados aos thrillers repletos de mortes e investigações. Mas também é bem provável que ele agrade todos que o lerem por completo. Esse agrado talvez nem seja consequência de uma história emocionante ou de um final arrepiante, talvez ele seja consequência de uma história verdadeiramente bem escrita.


Fazemos nossas escolhas quando somos jovens demais para entender as implicações do que decidimos, e, a cada escolha que fazemos, o campo de possibilidades se estreita. Escolher uma carreira é abrir mão das outras. Escolher um companheiro é se comprometer a não amar nenhum outro.
Página 246






Sobre o Autor:
Matheus
Matheus é Colaborador do blog, cinéfilo de carteirinha, leitor compulsivo e aficionado por música. Quando não está lendo, pode-se vê-lo re-assistindo Kill Bill ou então ouvindo música com os seus fones inseparáveis.


28 comentários:

  1. Que bom que gostou Matheus, eu já estava intrigada, porque vi várias resenhas dizendo que o livro não era tão incrível assim, que era arrastado e complicado de ler. Enfim, cada uma com sua opinião. Mas fico feliz que tenha gostado, acho que aumentou minha vontade de ler. Acho engraçadinho a forma como você fala. Uma pena que você não tenha encontrado o clímax da história, espero que eu consiga.


    beijos

    ResponderExcluir
  2. Fiquei empolgada depois de ler sua resenha. Não esperava que fosse tão eletrizante assim. Adoro história deste tipo. São mais emocionantes e prendem mais minha atenção. Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Nossa o livro parece ser bastante interessante, fiquei doida pra ler!

    ResponderExcluir
  4. Acho que o livro em si não chamou minha atenção.
    Um livro tem que ter um ponto alto, tem que ter climax..mas este livro tem uma trama que não chama a minha atenção e saber que o final não tem um grande desfecho me deixa..quem sabe se tivesse bem barato no sub eu leria..
    beijos.

    ResponderExcluir
  5. faz tempo que tô de olho nesse livro. ele é muito interessante. nesse caso, eu acho que o fato de que o "mistério" do livro seja dito já de cara, ajuda ao leitor entender as situações que uma pessoa como Jodi (apesar de não justificar) chega ao extremo. uma vida sufocada de humilhações e aparências. e olha que pela resenha vi que tem vários a capa é belíssima. simples e direta. ta marcado no meu skoob com certeza.

    ResponderExcluir
  6. Desde que a Intrínseca lançou esse livro, estou doida para lê-lo. A começar pela capa. Ela é linda, mesmo simples desse jeito. Li algumas resenhas, e confesso que foi um banho de água fria, porque uns falaram que não curtiram tanto o livro e aí vem você falando que curtiu... Pelo jeito vou ter que ler para tirar minhas próprias conclusões.

    ResponderExcluir
  7. A escrita foi feita com maestria pelo que eu pude ver. Para ser sincera, eu não leria esse livro se não fosse explicitamente obrigada, mas agora eu percebi que leria sim, parece ser envolvente e viciante ^^ adicionado na listinha.
    Beijocas ^^

    ResponderExcluir
  8. Katia Costa Schwanke (katiaeli8 de junho de 2014 23:30

    Matheus, pelo que entendi, a mulher que é abandonada, marido é morto, quem cometeu o assassinato. Não é meio filme de sabado a noite ? MAs sabe que até certo ponto eu faria o mesmo que ela, continuaria com o marido adultero para manter certo conforto.

    ResponderExcluir
  9. Já tinha observado este livro e visto alguns comentários positivos a seu respeito. O fato de não se posicionar dentro dos famosos clichês e de trazer um estiolo de narrativa diferente, chama muito a atenção e me faz querer saber um pouco mais. Acho que é mais um que vai para a minha lista. Ótima resenha, Matheus. Um abraço,


    Ilmara Fonseca
    Blog Conversa de Livro

    ResponderExcluir
  10. A primeira vez que eu reparei neste livro foi em seu destaque na área de best-sellers mas não achei que valeria a pena, mas conferindo a sua resenha confesso que me surpreendi e minha expectativa em relação ao A Mulher Silenciosa cresceu relativamente. Imagine viver uma vida cercada pela falsidade do marido? Uma vida de luxo à preços altos? Fiquei curioso e com certeza vou lê-lo para saber onde essa história acabará!

    ResponderExcluir
  11. Realmente, Mateus! É complicado você ler um thriller em que a parte do mistério já está desvendado antes mesmo de começar a leitura. Pelo menos a autora se mostrou ousada em percorrer esse caminho na construção desse livro. A melhor parte é saber que a condução da história é tão forte, que não deixou que a leitura se tornasse chata em momento algum. Se já queria ler esse livro, agora quero mais ainda.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  12. Aline Ramos Costa25 de junho de 2014 12:52

    Ae minha nossa..vc conseguiu me deixar com vontade de ler o livro..srsr..Mateus, confesso que quando tinha visto a sinopse, achei que seria comum , igual a tantos outros, mas agora percebo que me enganei totalmente...Vou a caça desse livro....


    Parabéns pela resenha..bjs

    ResponderExcluir
  13. Preciso confessar, que o 1º parágrafo resenhado + a capa do livro me assustou um pouco.... A resenha ficou bem detalhada ao ponto de me fazer viajar, como se estivesse dentro da história e pudesse ver de perto o que acontecia. Parece ser uma historia muito interessante e instigante do começo ao fim com intuito de devorar o livro; porém eu ainda estou com "receio" de Jodi. Essa história de uma Psicologa aparentemente calma de repente se rebela desa forma, me deixou com "a pulga atrás da orelha" (se é que me entende), enfim, é um livro que com certeza irei ler, mas preciso de um tempo de adaptação (que tristeza kk)....


    Bjsss

    ResponderExcluir
  14. Eu não gostei. Esse tipo de história me faz passar longe apesar de agradar muita gente. Só que a resenha foi tão bem feita que quase me convenceu. Assassinatos não bem minha praia e lendo a sinopse ja tenho noção dos acontecimentos. Mas a escrita parece ser realmente boa.

    ResponderExcluir
  15. Antes tinha lido algumas resenhas negativas sobre este livro e desanimei bastante, mas fiquei mais animada depois de ler sua opinião. O enredo deste livro me deixou curiosa, parece ser mesmo uma leitura bem diferente. Gostei de saber que a autora soube desenvolver um enredo imprevisível que prende o leitor!

    ResponderExcluir
  16. Matheus!
    Tenho certeza que esse livro é para mim...
    Gosto demais quando um autor explicita e esmiuça os aspectos psicológicos das personagens e das situações. O livro se torna forte e profundo, mesmo que o thriller não seja de grandes expectativas, já que a própria sinopse o denuncia.
    Muito boa resenha, gostei demais.
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  17. Ahhh eu quero muiiiito ler este livro! hahaha
    Confesso que não tinha lido nada a respeito, mas desde a sinopse fiquei com aquela pulguinha atrás da orelha para lê-lo e agora com sua resenha elogiando a forma escrita da história entrou para minha wishlist!

    ResponderExcluir
  18. Antes tinha lido algumas resenhas negativas sobre este livro e desanimei bastante, mas fiquei mais animada depois de ler sua opinião.

    ResponderExcluir
  19. Me interessei quando li uma a sinopse desse livro, mas logo em seguida li uma resenha um pouco negativa e tirei ele da lista. Mas depois de ler sua resenha, fiquei interessada de novo. Parece ser a história que eu esperava que fosse. Com certeza será um livro que não conseguirei largar enquanto não souber o final. Parabéns pela resenha super bem escrita, reacendeu meu desejo de inclui-lo na lista de desejados.

    ResponderExcluir
  20. Nossa narrativa diferenciada e um tando complexa, já gostei do livro, fiquei doida pra ler, já foi pra minha lista de leitura.

    ResponderExcluir
  21. Eu entendo o que você disse, sobre o livro ser pra poucos, já li livros que amei e todo mundo que conheço detestou ou vice-versa. A compreensão do leitor é base fundamental para que se possa estabelecer uma linha entre o gostar e odiar.

    Por diversas vezes essa linha acaba sendo tênue demais e o livro é visto de maneira diferente por cada leitor.

    Mas tenho certeza que esse livro parece ser bem fácil de se ler, já que todo o clímax do livro é abordado abertamente logo em seus primeiros capítulos, de certa forma gosto de livros assim, já que não enrolam o leitor em tramas mirabolantes e extensas que acabam apenas se tornando um amontoado de palavras e frases que nada acrescentam ao livro.

    Acho que um livro para ser bom deve despertar no leitor o interesse de continuar lendo, e se esse livro for mesmo como você falou, acredito que ele agradara a mim e muitos outros leitores.

    Julielton Souza

    http://dialeticaproposital.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Letícia Rodrigues27 de agosto de 2014 09:52

    Esse tipo de livro não me chama muita atenção não, porém gostei da resenha talvez ainda leia.

    ResponderExcluir
  23. Livro com um enredo interessante, como você disse, foge dos padrões convencionais. Onde todos terminam felizes para sempre...
    Eu particularmente prefiro os "felizes para sempre.." rsrs. Pra mim a vida real já é dura e cruel o suficiente, gosto de ler livros que me levam a outro mundo e me faz acreditar em tudo que é belo.
    Mas uma coisa que condiz com a realidade esse livro mostra: Cuidado com uma mulher traida!
    Hehe...

    ResponderExcluir
  24. Adorei a forma como você escreve, me deixou empolgado para lê esse livro, apesar de muitos o terem achado arratado e tal

    ResponderExcluir
  25. Adorei a forma como você escreve, me deixou empolgado para lê esse livro, apesar de muitos o terem achado arratado e tal.

    ResponderExcluir
  26. uau, o livro parece ser bem intenso mesmo, gostei mt da resenha em geral
    só uma dica é que acho que foi usado muito a palavra "talvez" ao longo da resenha aiuefhuihfeuihaeifuhaef
    mas está muito bom o texto, viu? :}
    fiquei super curiosa pra ler e acho que a Intrinseca é uma das poucas editoras que SEMPRE acerta, consegue ter uma lista enormes de livros e serem praticamente todos bons!!!

    ResponderExcluir
  27. Bom, achei meio estranho você falar que o livro foge ao comum ao ler a resenha. Para mim, isso é mais que comum e previsível: é extremamente real. Cansei de ouvir falarem que quem tem tudo, provavelmente não é feliz. Sempre tem alguma coisa, algum conflito ou drama que destrói a vida de alguém, e "ter tudo" nesses casos, não significa nada. No caso de Jodi é a infidelidade do marido.
    Mas entendi bem o que você quis dizer com o passar do desenvolvimento da resenha. O caminho tomado por esse livro para narrar essa estória é diferente, um diferente que envolve e cativa o leitor. Para escrever assim, tem que ter muita habilidade. Bato palmas para o/a autor(a) (não consegui identificar se é homem ou mulher >.<). Já está na lista de tenho que ler.

    Abraços, Mallú Ferreira
    semclichesporfavor.blogspot.com

    ResponderExcluir