postado por Matheus em 14 julho 2014

Resenha | Seis Coisas Impossíveis

Autor: Fiona Wood
Editora: Novo Conceito
Páginas: 272
Skoob
Compre

Sinopse

Dan Cereill levou um encontrão da vida: seu pai faliu, assumiu que é gay e separou-se de sua mãe, tudo de uma vez só. Enquanto isso, sua mãe recebeu de herança uma casa tombada pelo patrimônio histórico que cheira a xixi de cachorro, mas que não pode ser reformada... E, agora, Dan está vivendo em uma casa-relíquia que parece um chiqueiro, com uma mãe supertriste e sem conseguir falar com o pai — que ele ama muito. Suas únicas distrações são sua vizinha perfeita, Estelle, e uma lista de coisas impossíveis de fazer, como:

1. Beijar a garota. 
2. Arrumar um emprego. 
3. Dar uma animada na mãe. 
4. Tentar não ser um nerd completo. 
5. Falar com o pai quando ele liga. 

6. Descobrir como ser bom e não sair abandonando os outros por aí...

Mas impossível mesmo será:

1. Não torcer para que Dan supere seus problemas. 
2. Não rir muito com os devaneios dele. 
3. Não querer ter um cachorrinho como Howard. 
4. Não desejar que a mãe de Dan encontre a felicidade. 
5. Parar de ler este livro. 
6. Não querer abraçar o livro depois de tê-lo terminado...


Resenha

É inegável que, seja qual for, um livro sempre tem algo a nos passar. Ele pode transmitir emoção, conhecimento, uma lição de vida, tédio ou até ódio. Quando lemos um livro que não é capaz de nos emocionar ou de nos passar conhecimento é óbvio que ficaremos frustrados, entediados. Ainda assim, há algumas raras exceções de livros que, mesmo não passando emoção ou conhecimento, conseguem captar a atenção do leitor devido a grande “diversão” que é lê-lo, seja pelo seu estilo diferenciado ou por sua história completamente diferente. Esse é o perfeito caso de Seis Coisas Impossíveis, que mesmo contendo uma história pra lá de bobinha se mostra uma ótima leitura, envolvendo o leitor numa realidade que ao mesmo tempo em que se mostra possivelmente verdadeira também se mostra completamente ficcional. Só lendo para saber do que estou dizendo!

Dan Cereill (não é “cereal”, como ele mesmo diz) é o típico adolescente que fica fora de todas as panelinhas. Sem muitos amigos, seu único amigo que o acompanha sempre é Fred. Tudo piora quando ele e sua mãe são despejados de casa após seu pai se divorciar e assumir que é gay. Isso tudo é demais para Dan, que tem sua vida virada de cabeça para baixo por tudo isso. Mas ele não é o único a sofrer com isso, sua mãe também não está em seu melhor estado de espírito, e seu repentino fanatismo por Radiohead comprova isso. O ambiente em que eles são obrigados a morar também não ajuda muito em animá-los: a casa foi herdada de um parente falecido, e por isso eles não podem vendê-la ou reforma-la, mas o pior é o cheiro de xixi de cachorro que está por toda casa. O pobre cão Howard, que estava incluído na casa, consegue amenizar um pouco toda essa tristeza, mas nem tanto.
Em sua escola nova sua situação não melhora, pelo contrário, só se complica. Ele mal consegue se enturmar com seus colegas, e os poucos colegas com que conversa não são nem de longe os populares. Pelo contrário, os caras mais populares da escola não param de se intrometer na vida de Dan, além de fazerem tudo o que for possível para constrangê-lo na escola. O fato de ele começar a gostar da Estelle, sua linda vizinha e uma das meninas que fazem parte do grupinho das “descoladas” da classe, não melhora em nada a vida escolar de Dan. Mas aos poucos ele vai percebendo que sua vida não está de toda assim tão ruim, e logo sua vida e de sua mãe entrará nos eixos, mas isso não parece ser tão fácil...
-Não existe problema no mundo que não possa ser resolvido ao discutir o assunto. Na sua idade, às vezes as coisas parecem piores do que realmente são.
Pág. 20


Um dos motivos que mais convencem o leitor a ler Seis Coisas Impossíveis é a pequena listinha de “coisas impossíveis” que está na sinopse do livro. Essa lista dá ao livro um tom muito despretensioso e, digamos, “amorzinho”. Realmente, é difícil pensar que alguém, depois de ler essa sinopse, esperará uma leitura complexa e de alto nível. Se esse alguém ler este livro com toda certeza se decepcionará. O que não acontecerá com aqueles que esperarem justamente o contrário.
A escritora Fiona Wood consegue conduzir essa história morna de forma excelente! Cheio de um humor delicioso de se ler, sua escrita rápida e não sensacionalista cativa facilmente um leitor despretensioso. “Não sensacionalista” porque a Fiona tem pleno conhecimento de que sua história não é lá das mais complexas, e por isso ela nem tenta investir em passagens extremamente emocionais. Isso foi extremamente correto, pois se ela introduzisse passagens assim na história com certeza ela soaria ainda mais “superficial”.
Outra boa sacada da escritora é a inserção de algumas listas de “seis coisas impossíveis” no decorrer da história. Elas conseguem descontrair ainda mais a história, e, é claro, fazem jus ao título do livro. Além disso, o fato de serem citados diversas bandas e filmes durante todo o livro torna a leitura ainda mais agradável.
A narração em primeira pessoa feita por Dan não atrapalha em nada a leitura, como comumente acontece em certos livros. Muito pelo contrário, com a história sendo contada assim podemos ter o prazer de ler todos os hilários devaneios de Dan. Na maioria das vezes ele conta tudo o que lhe acontece de forma despreocupada, sem muita seriedade, e esse é um dos grandes defeitos do livro.
Se por um lado toda a hilaridade da história imerge o leitor numa ótima leitura por outro lado a falta de um quê sério na narrativa exclui qualquer chance de o livro se mostrar com algum conteúdo. Os capítulos vão passando e em alguns momentos é comum se perguntar: o que me valerá ler esse livro? Sua história bobinha (já disse que ela é um tanto superficial?) é incapaz de fazer com que o leitor tire dela qualquer tipo de conhecimento. A não ser que você seja um adolescente que quer viver a vida como num filme protagonizado pela Lindsay Lohan este livro não acrescentará nada em sua vida.
Mas, felizmente, todo o tom despreocupado e engraçado da história se sobressai à visível falta de conteúdo, não deixando a leitura cansativa ou supérflua, mas sim muito agradável. É bem provável que qualquer um que se aventurar neste livro o lerá com um sorrisinho no rosto, e também é bem provável que em determinados momentos apareçam boas risadas.
-Mas você mesmo disse que aparência não transforma ninguém numa pessoa legal.

-Claro que não é a única coisa, no entanto, é uma das coisas. É um desses paradoxos estranhos que a vida inventa[...]
Pág. 123

A capa do livro, por mais que tenham alguns desenhos bem bonitinhos, decai completamente com sua fonte realmente feia. Será que não poderiam caprichar um pouco mais nesse quesito? Mas internamente o livro está de parabéns. Além de sua fonte agradável e de bom tamanho e de suas margens bem espaçadas há também alguns desenhos inseridos no início de cada capítulo. Um pequeno detalhe que dá um tom bem alegre ao livro.

Enfim, é redundante dizer que Seis Coisas Impossíveis é um livro para poucos. O leitor tem que ter total certeza de que não espera nada grandioso durante a leitura, pois esperando isso com certeza a decepção não demorará a chegar. Mas àqueles que o lerem despreocupadamente, talvez apenas como cura de uma ressaca literária, se sentirão bem felizes quando acabarem de lê-lo. E com isso boa parte dos itens descritos na última listinha da sinopse se mostrará completamente correta.
Se os seus próprios pais não deixam você ser quem você é, então quem é que vai fazer isso?
Pág. 129


Avaliação:






Sobre o Autor:
Matheus
Matheus é Colaborador do blog, cinéfilo de carteirinha, leitor compulsivo e aficionado por música. Quando não está lendo, pode-se vê-lo re-assistindo Kill Bill ou então ouvindo música com os seus fones inseparáveis.


12 comentários:

  1. Uma das histórias que estou louca pra ler , é esta. estou bastante curiosa a respeito do personagem e sua paixão pela vizinha. Parece ser divertido e envolvente. Preciso ler este romance logo. Não me aguento de curiosidade a respeito do pobre rapaz. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Dan está na pior, mas eu ri.... adorei o resumo hahahahahahaha
    Não posso deixar de me questionar se na minha adolescência tbm fui assim, cheia de problemas, neuras, conflitos amorosos, dilemas... enfim, o problema é que não tenho mto saco pra mimimi

    ResponderExcluir
  3. Essa é uma história que está na minha lista a um tempão, e cada dia essa vontade aumenta e muito. Ela parece ser muito leve e engraçada. kkkk
    Adorei sua resenha, é interessante como na adolescência todo tipo de problema aprece e você tem que tomar de conta sozinho. Só sei que Dan sofre demais.... kkkkk tanta coisa que esse menino parece passsar.

    ResponderExcluir
  4. com sinceridade, é uma das melhores resenhas que li no blog esse ano. simples, direta, sincera e sem ser ofensiva. então Matheus, Seis Coisas Impossíveis como vc bem disse, me pareceu um livro raso, meio bobo até, mas com um mensagem positiva que não o deixa cai na pieguice e no clichê chato. Dan é um personagem simpático, rs apesar das situações que ele enfrenta, eu o acho um cara legal =) apesar do enredo ralo, a autora soube tocar em assuntos que eu achei interessante como o homossexualismo do pai de Dan. no meio de tantos YAs, vampiros, anjos, eróticos e dramas, é um livro "bobo" mas é uma leitura agradável =) eu nem digo nada da capa, não me surpreende vindo da NC. rs.

    ResponderExcluir
  5. Gostei bastante da resenha (muito criativa) e não conhecia o livro.
    Parece ser uma trama envolvente. Quero muito saber como todos os problemas de Dan vão se resolver.

    ResponderExcluir
  6. Oi, tudo bem?
    Eu ainda não li esse livro, mas tenho muita vontade de ler, pelo que deu para perceber dessa resenha o livro tem muito o que nos ensinar, e creio que ele irá agradar muitas pessoas, podemos ver coisas simples, mas que possuem muita importância, acho que a simplicidade dessa lista me prendeu desde o inicio, e eu não vejo a hora de ler o livro e me encantar com ele.
    Beijos!!!!

    ResponderExcluir
  7. Rafaela Saturnino23 de julho de 2014 17:15

    Confesso que quando vi esse livro meio que virei a cara pra ele, achava essa capa muito feia e não me chamou a atenção,mas quando vi na livraria ele assim de pertinho e depois de ler a resenha, mudei totalmente de ideia. Acho que também vou gostar do livro mesmo sendo um tanto superficial.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Gostei bastante da sinopse e mais ainda da resenha, com certeza vou add na minha lista. Gosto deste tipo de leitura despretensiosa. Logo de cara quando vi a lista percebi que vou gostar dos personagens. O ponto negativo que achei foi a capa do livro, meu Deus que capa mais feia. Pela capa, ninguém compraria esse livro. Ainda bem que não sou das que julgam o livro pela capa.rs

    ResponderExcluir
  9. Eu não tenho vontade de ler este livro, ja tinha lido muitas resenhas bem negativas,
    e agora lendo sua resenha eu entendo que o livro é bom, mas mesmo assim não tem nada tão empolgante por tras,
    E a capa dele, concordo com você podiam ter caprichado masi, não é nada atraente aos olhos, uma pena, mas quem sabe ele saia em alguma promo no sub e eu acabe comprando,
    beijos.

    ResponderExcluir
  10. Gostei muito desse livro, achei a história interessante, bem divertida e leve!

    ResponderExcluir
  11. Gostei da ideia do livro, e odiei saber que ele é tão decepcionante como você disse.
    Li a pouco tempo um livro parecido, que me deixou com uma impressão bem negativa e tenho medo de me lançar em outra leitura do tipo.
    É uma pena que Editoras brasileiras ainda lancem livro assim, sendo que há tantos autores nacionais com mais talento e muitas histórias pra contar. Fazer o que, a moda é literatura estrangeira...

    ResponderExcluir
  12. Ri muito ao ler a sinopse, admito. Sim, que coisa feia da minha parte. Mas me identifiquei com o Dan, e acredito que muitas pessoas também se identificarão. Quem nunca passou por uma fase na vida estilo Lei de Murphy? Nessas horas a coisa certa a fazer é rir, e tentar levar tudo com calma. Achei muito fofinha a ideia das seis coisas, adoro livros com listas. Por ser tão real, acho esse livro muito atrativo para mim. Quero muito ler.

    Abraços, Mallú Ferreira
    semclichesporfavor.blogspot.com

    ResponderExcluir