postado por Matheus em 06 janeiro 2015

O Que Passou Por Meus Fones #46

Boa noite, queridos Hunters! Tudo bem com vocês nesse comecinho de ano?
Preparados para mais uma enxurrada de músicas para atualizar a playlist de vocês? Preparados ou não, aqui mostrarei os melhores discos que ouvi em dezembro do ano passado. Em sua maioria, são lançamentos do ano passado, mas há também algumas sugestões de vocês, meus caros leitores do blog.
Quer ver um disco que vocês gostam aqui na coluna? Sugiram-o nos comentários! Regrinhas gerais para sugestão aqui.


Broke With Expansive Taste | Azealia Banks
Que a verdade seja dita: o cenário musical atual carece de mais artistas bons de hip-hop. Hoje em dia, onde praticamente tudo o que vemos na mídia musical é pop, Azealia Banks chama atenção por seu hip hop potente e extremamente autoral; com melodias únicas e muito bem produzidas (é incrível a mistura do hip-hop com dubstep), esse disco é algo imprevisível. Uma surpresa do começo ao fim!
Melhores Faixas
  • Gimme A Change
  • 212 (feat. Lazy Jay)
  • BBD
  • Ice Princess
  • Chasing Time
  • Nude Beach A Go-Go         
Confiram o fantástico videoclipe de “Chasing Time”.


They Want My Soul | Spoon
Bandas de indie rock são o que não falta por aí; muitas delas podem não fazer um sucesso estrondoso como Arctic Monkeys, mas ainda assim estão lá. Desta forma, é sempre bom perceber que esse estilo não está saturado, podendo se reinventar de inúmeras formas. Nesse disco fantástico, o Spoon mostrou que o indie rock é muito mais que melodias melancólicas, guitarras exasperadas e composições sobre amor: o indie rock é arte.
Melhores Faixas
  • Rent I Pay
  •  Inside Out
  • They Want My Soul
  • New York Kiss
Notem a magnificência do Spoon com a melancolicamente linda “Inside Out”.

The Voyager | Jenny Lewis
Com uma leve mistura de rock, indie e um pouquinho de country, esse disco serve perfeitamente para mostrar que Jenny Lewis merece mais reconhecimento. Sua voz doce encanta facilmente o ouvinte, enquanto a produção do Ryan Adams enaltece a qualidade do álbum, entregando-nos um trabalho coesamente produzido. Sem nenhum exagero e nenhuma grande ambição, “The Voyager” se mostra como um dos discos mais simples e belos de 2014.
Melhores Faixas
  • Head Underwater
  • She’s Not Me
  • Slippery Slopes
  • The Voyager
Confiram a belíssima "She’s Not Me" abaixo.

I’m Not Bossy, I’m the Boss | Sinéad O'Connor
Se na década de 1990 Sinéad O’Connor era vista como uma das figuras femininas mais poderosas da música, agora a situação se reverteu, e muito. Aos poucos, a popularidade da irlandesa foi descendo, e agora seus trabalhos já não atingem o #1. O que não se deve à falta de qualidade, já que este, seu último disco lançado, se mostra um trabalho muito satisfatório. Pode até conter alguns deslizes, mas os vocais fantásticos de O’Connor em algumas faixas mais emocionais fazem tudo valer a pena.
Melhores Faixas
  • How About I Be Me
  • Your Green Jacket
  • 8 Good Reasons
  • Take Me To Church
Relembrem-se de Sinead O’Connor com “8 Good Reasons”.


Dust in the Wind | Kansas

(Sugestão de Lorene)
Por mais que o Kansas tenha sido uma banda de grande fama há décadas atrás, agora eles estão próximos de caírem no esquecimento. Isso se não fosse por uma música: “Dust In The Wind”. A música, a mais famosa da banda, também dá nome a esse disco ao vivo, que faz uma retrospectiva com as melhores músicas da banda. Assim como boa parte dos discos ao vivo, ele não possui nada de sensacional; ainda assim, ele alcança com classe seu objetivo de mostrar o melhor do Kansas.
Melhores Faixas
  • Miracles Out Of Nowhere
  • One Big Sky
  • Dust In The Wind
  • All I Wanted
Se não reconhecem pelo nome, ouçam e relembrem da bela “Dust In The Wind”.

Royal Blood | Royal Blood
A dupla Royal Blood foi um dos destaques do rock internacional em 2014. Por mais que por aqui eles sejam pouquíssimos conhecidos, eles alcançaram grande fama no Reino Unido, onde seu disco homônimo alcançou o #1 lugar e ainda foi tido como um dos melhores discos do ano por alguns críticos. Exagero ou não, é certo dizer que esse disco não se deixa passar despercebido. Sua capa misteriosa e todas as suas dez faixas não deixam negar: a dupla Royal Blood deve ser levada a sério.
Melhores Faixas
  • Come On Over
  • Figure It Out
  • Careless
  • Ten Tonne Skeletons
Vejam o videoclipe da fantástica “Figure It Out” logo abaixo.

Songs of Innocence | U2
U2 é uma daquelas bandas que podem até fazer um trabalho mediano, mas nunca serão esquecidas. Felizmente, esse não é o caso do tão comentado “Songs of Innocence”. Tão comentado quanto sua própria música foi a forma como foi lançado: sendo disponibilizado gratuitamente na internet. Mas sua música fala mais alto e, mesmo que não seja um dos melhores trabalhos da banda, esse disco mostra uma naturalidade bela aos ouvidos, principalmente nas faixas mais amenas.
Melhores Faixas
  • Every Breaking Wave
  • Song For Someone
  • Volcano
  • The Troubles
Vejam “Every Breaking Wave” e contemplem a extrema qualidade do U2.

Ryan Adams | Ryan Adams
Esnobem a capa de gosto extremamente duvidoso e então vocês têm diante de si um dos discos mais grandiosos (e subestimados) de 2014. A amenidade de certas faixas se completa com o country alternativo e animado de outras, fazendo com que o disco seja agradável a diversos públicos. A leveza das composições de Adams se adequa perfeitamente à produção também do Adams, fazendo assim com que “Ryan Adams” se mostre um trabalhado magnificamente bem construído.
Melhores Faixas
  • Gimme Something Good
  • Kim
  •  I Just Might
  • Tired Of Giving Up
Confiram o videoclipe também de gosto duvidoso de “Gimme Something Good”.

Angus & Julia Stone | Angus & Julia Stone
Se vocês precisam de um motivo para conhecer essa dupla esse motivo é os vocais de Julia Stone. Leves e de certa forma sempre parecendo saídos de sessões acústicas, seus vocais sempre chamam a atenção, mesmo que as melodias folk também sejam ótimas. Repleto de músicas simploriamente românticas, esse disco homônimo da dupla é um relato singelo dos sentimentos dos irmãos Stone.
Melhores Faixas
  • A Heartbreak
  • Grizzly Bear
  • Heart Beat Slow
  • Do Without
  •  All This Love
Confiram a leve “A Heartbreak” logo abaixo.

Certa Manhã Acordei de Sonhos Intranquilos | Otto
(Sugestão de Arthur)
Otto, assim como diversos artistas brasileiros atuais, faz sua música baseando-a na simplicidade. Não há exageros nesse disco, não há apetrechos para torná-lo mais bonito. É um trabalho cru e não nega isso, o que podemos notar através de todas as composições fortes e das melodias típicas do MPB. Juntando tudo isso aos vocais sinceros de Otto temos então um disco coeso e muito bem realizado, feito do mais belo e puro MPB.
Melhores Faixas
  • Crua
  • O Leite (part. Céu)
  • 6 Minutos
  • Naquela Mesa
Ouçam a já conhecida música “Crua” logo abaixo.

These Things Happen | G-Eazy
2014 não foi um bom ano para o hip hop. Diferente de 2013, não tivemos nenhum hit do gênero (“Thrift Shop”) e também nenhum disco genial (“Yeezus”). Mas tivemos esse ótimo disco, o segundo de estúdio do rapper G-Eazy. Por mais que num geral ele não se diferencie da grande maioria dos discos do gênero, ele possui um quê a mais, o que o torna um disco delicioso de se ouvir em qualquer momento.
Melhores Faixas
  • Far Alone (feat. E-40 & Jay Ant)
  • Opportunity Cost
  • Downtown Love (feat. John Michael Rouchell)
  • Let’s Get Lost (feat. Devon Baldwin)
  • Tumblr Girls (feat. Christoph Andersson)
Conheçam o rapper G-Eazy com a ótima “Far Alone (feat. E-40 & Jay Ant)”.

Encarnado | Juçara Marçal
Mais do que um simples disco de MPB, “Encarnado” é uma verdadeira jornada musical com destino aos pensamentos mais profundos de uma artista de verdade. Pois é essa a sensação que se sente ao ouvir esse disco autoral e único. As composições tratam de temas fortes sem nenhum medo; as melodias, sempre com a presença de guitarras “arranhadas”, são imprevisíveis; os vocais de Marçal são maravilhosos! Um disco extremamente artístico para ser levado para toda vida.
Melhores Faixas
  •  Velho Amarelo
  • Ciranda Do Aborto
  • E O Quico?
  • Não Tenha Ódio No Verão
Se seus nervos aguentarem, ouçam a magnífica “Ciranda Do Aborto”.

St. Vincent | St. Vincent
Na atual situação do mundo da música onde qualquer música “diferente” é considerada alternativa, “St. Vincent” se destaca por trazer ao gênero alternativo uma vitalidade poucas vezes vista. Repleto de melodias extremamente bem produzidas e diferenciadas, o disco é praticamente uma loucura bem estruturada, onde vocais divertidos se misturam a melodias potentes e versos criativos (como “eu prefiro o seu amor à Jesus”). Com tudo isso, St. Vincent alcançou seu objetivo: fazer arte.

Melhores Faixas
  • Birth In Reverse
  • Digital Witness
  • I Prefer Your Love
  • Psycopath
Vejam o senso artístico de St. Vincent no inusitado videoclipe de “Digital Witness”.

Na Loucura e Na Lucidez | Tatá Aeroplano
Esse é um disco que se destaca por sua humanidade. O segundo trabalho solo do Tatá Aeroplano é um disco difícil de digerir, repleto de composições amarguradas e melodias aterradoras. Ainda assim, é um disco viciante, difícil de cansar o ouvinte, o que se deve principalmente aos tons psicodélicos que permeiam todas as faixas. Você pode ouvi-lo acompanhado ou então sozinho num dia melancólico, mas não pode deixar de ouvi-lo.
Melhores Faixas
  • Na Loucura
  • Mulher Abismo
  • Entregue A Dionísio
Confiram a faixa “Na Loucura” logo abaixo, faixa essa que resume muito do disco.
  
Contraband: The Best of Men at Work | Men at Work
(Sugestão de Lorene)
Nos dias de hoje, é difícil acreditar que, em seu auge, o Men at Work foi considerada por muitos a melhor banda dos anos 1980. De toda forma, suas músicas continuam sendo adoráveis aos ouvidos, mesmo sendo deliciosamente datadas. Nessa compilação de sucessos (no total são nove compilações lançadas!) podemos ver aquilo que levou muitas pessoas da época a pensarem aquilo: a banda captou o melhor de sua época para fazer música de qualidade, porém também rentáveis.
Melhores Faixas
  • Who Can It Be Know?
  • Down Under
  • Still Life
  • Upstairs In My House
  • Maria
  • Overkill
Sintam toda a nostalgia de “Who Can It Be Know?”.

Joyland | Trust
“Joyland” é um típico disco de synthpop, mas ainda assim possui suas excentricidades. Por trás de toda a pirotecnia que permeia boa parte das melodias eletrônicas há fortes traços de algo obscuro, quase medonho, o que dá ao disco um delicioso gosto de mistério. Por mais tenha como base a música eletrônica, ele não é um disco para a massa, e sim um disco de difícil concepção, onde cada um enxerga nele o que quer enxergar.
Melhores Faixas
  • Capitol
  • Are We Arc?
  • Rescue, Mister
  • Lost Souls/Eelings
Se sintam envolvidos pela melodia única de “Capitol”.

Goddess | Banks
Ainda desconhecida do grande público, Banks tem tudo para mudar isso em breve, e esse seu disco de estreia mostra por que. O disco fez um sucesso moderado, o suficiente para expandir o alcance da boa música da cantora. Apostando num eletrônico contido (que em muito lembra AlunaGeorge) a cantora engrandece as simples produções com seus vocais grandiosos, dignos de uma verdadeira cantora de R&B. Um disco simples, mas que mostra sua grandeza nessa simplicidade.
Melhores Faixas
  • Goddess
  • Brain
  • You Should Know Where I’m Coming From
  • Stick
  • Beggin For Thread
  • Under The Table
Confiram todo o poder vocal de Banks com a excepcional “Brain”.

Encyclopedia | The Drums
Apostando no indie pop de sempre, esse mais recente disco da banda The Drums tem tudo para agradar aos mais diferenciados públicos. As melodias de suas músicas sempre contam com um ar de melancolia animador, o que se completa com os vocais de Jonny Pierce, que em muito lembram remotas bandas de new wave. Por mais que não apresente nada novo do começo ao fim, “Encyclopedia” vale a pena ser ouvido devido à sua melancolia deliciosamente indie.
Melhores Faixas
  • Magic Mountain
  • I Can’t Pretend
  • Kiss Me Again
  • Deep In My Heart
Ouçam toda a melancolia do The Drums com “I Can’t Pretend”.

Glorious | Foxes
Após lançar diversos singles de sucesso (como a incrível “Youth”) Foxes tinha uma grande tarefa: lançar um disco que alcançasse a expectativa do público. Para muitos, essa expectativa foi alcançada. Apostando no pop-quase-indie-quase-synthpop de seus singles já lançados, Foxes então nos entregou um bom disco, com músicas pop muito boas e nem um pouco chicletes. As ótimas composições de certas faixas, como “Youth”, engrandecem “Glorious” ainda mais.
Melhores Faixas
  • Youth
  • White Coats
  • Night Glo
  • Shaking Heads
  • Clarity
“Motivacionem-se” com a ótima “Youth”.
  
Xen | Arca
(Sugestão de Arthur)
Mais conhecido como produtor de artistas como FKA twigs e Kanye West, Arca se aventurou lançando um disco próprio de música instrumental. Assim, após alguns EPs, em 2014 ele lançou “Xen”. Esse disco pode ser considerado de música eletrônica, mas não se enganem, nada aqui é fácil: há batidas gritantes, há arranjos extremamente experimentais e há faixas sem nenhum grande significado. É difícil dizer o que o Arca queria mostrar ao lançar um álbum tão multifacetado...
Melhores Faixas
  • Held Apart
  • Sisters
  • Family Violence
  • Wound
  • Bullet Chained
Ouçam toda a experimentação de Arca com “Sisters”.

The Fault in Our Stars (Music from the Motion Picture) | Vários Artistas
E aqui temos diante de nós mais uma trilha-sonora repleta de músicas de artistas indies, seguindo assim o padrão de diversas outras trilhas-sonoras de adaptações literárias para os cinemas. Por mais que boa parte das músicas desse disco soe extremamente piegas, há ótimas faixas que fogem do clichê. Esse é o caso da faixa chiclete (mas boa) de Charli XCX, da bela faixa folk de Ray LaMontagne, da faixa tipicamente tristonha de Lykke Li e de todas as agridoces faixas de Birdy.  
Melhores Faixas
  • All Of The Stars – Ed Sheeran
  • Boom Clap – Charli XCX
  • Without Words – Ray LaMontagne
  • Not About Angels – Birdy
  • No One Ever Loved – Lykke Li
  • Wait – M83
Contagiem-se com a animação grudenta de “Boom Clap”.

rose ave. | You+Me
Foi extremamente corajosa a iniciativa de Pink em trabalhar num disco completamente diferente do que ela está acostumada. Juntamente com Dallas Green, ela gravou as 10 faixas que compõem esse delicioso trabalho folk. O mais incrível de tudo é perceber como dois artistas de gêneros tão diferentes conseguiram gravar um disco tão homogêneo e conciso. Para Pink e Dallas Green, um projeto paralelo, para nós, uma grande colaboração que rendeu um disco magnífico.
Melhores Faixas
  • Capsized
  • Gently
  • Break The Cycle
  • Open The Door
Confiram a ótima colaboração dos artistas com ”Break The Cycle”.






Sobre o Autor:
Matheus
Matheus é Colaborador do blog, cinéfilo de carteirinha, leitor compulsivo e aficionado por música. Quando não está lendo, pode-se vê-lo re-assistindo Kill Bill ou então ouvindo música com os seus fones inseparáveis.


15 comentários:

  1. Pra começar, eu adoro Indie Rock. Logo, adorei conhecer a banda Spoon. Obrigada pela indicação.
    Gostei muito de ouvir Sinead O'Connor novamente. Muito bom! Bem diferente o som.
    Kansas e U2 eu ouço com frequência. E adoro!!
    Men at Work é clássico. Adoro o som deles.
    Eu adoro Boom Clap. Mais chiclete impossível. kkk'
    A Pink é uma das minhas artistas favoritas e, nem preciso dizer que, eu amei esse projeto. =)
    Beijos!! AMEI as indicações!

    ResponderExcluir
  2. Fabio Maurer Nonnemacher7 de janeiro de 2015 10:43

    Gostei muito das indicações. Alguns eu já conhecia e outros foram novidade pra mim. A melhor novidade pra mim foi Spoon. Gostei muito do som. Goste de Indie e vou tirar um tempo pra ouvir as músicas com calma. Obrigado pelas dicas.

    ResponderExcluir
  3. Kansas é o clássico do rock que eu mais curto, então não poderia deixar de ficar entusiasmada quando vi essa banda na sua lista.
    Realmente o cenário musical atual carece de musicas boas em hip hop. Apesar de gostar, não conheço muito. Então a dica é bem vinda.

    ResponderExcluir
  4. Estou totalmente viciada em Boom Clap mds kkk'
    Além de ser de ACEDE <3

    ResponderExcluir
  5. Curti as indicações. Não conhecia a maioria das músicas e bandas da sua lista. Gostei de Jenny Lewis, Otto e Foxes.
    Kansas é muito bom, Dust In The Wind foi uma das músicas que mais ouvi em um dos semestres do meu curso de inglês, gosto demais.
    Essa trila sonora de TFIOS é muito amor, mas a que eu mais gosto é a música de Ed Sheeran, o amo muito <3

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia a maioria das músicas, mas gostei de poder ouvi-las.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  7. De nada! =)
    Sempre que quiser mais indicações, é só dar uma garimpada aqui no blog hahaha

    ResponderExcluir
  8. Pra quem curte indie, Spoon é uma ótima pedida mesmo! =D

    ResponderExcluir
  9. Não posso dizer muita coisa, meu gosto musical se resume à Katy Perry e músicas do momento, mas a trilha sonora de ACEDE é muito boa, gostei da maioria das músicas, minha preferida é Not About Angels.

    ResponderExcluir
  10. Matheus!
    Quanta música boa, hein?
    Amo as baladas rock.
    Amo 'Dustin in the Wind' e o Kansas, claro.
    Magnífico!
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  11. As únicas músicas que conhecia era as do filme ACEDE *-*
    O resto não kkk

    ResponderExcluir
  12. Algumas das músicas já curtia, outras amei conhecer agora!

    ResponderExcluir
  13. É horrível ter de admitir kkkk mas não conheço nenhum! kkkkk
    Menino, minha vida se resumi a três coisas: Ira!, Queen e Elvis Presley! kkkkk e só bandas de rock supeeeerantigas, aquelas do tempo que minha vó era mocinha~! rsrsrs
    E aí vc curte algum destes meus lindos??? bjoos

    ResponderExcluir
  14. Desbravadores de Livros26 de agosto de 2015 14:48

    Oi, Matheus. De sua lista, o que mais gosto é U2, fantástico!

    ResponderExcluir
  15. Seus fones tem muito bom gosto, viu? hahaha

    Eu adorei ver Kansas, Angus & Julia Stone, Royal Blood na sua lista, Matheus.

    Agora A Heartbreak não sai mais da minha cabeça. hahaha

    Beijos,

    Amy - Macchiato

    ResponderExcluir