postado por Funs Hunter em 17 agosto 2015

Resenha Premiada | Dois Garotos se Beijando


        

(...) A liberdade não é só uma questão de votar e casar e beijar na rua, embora todas essas coisas sejam importantes. A liberdade também é uma questão do que você vai se permitir fazer. (...)

Bem, Dois Garotos se Beijando não conta a história apenas de dois garotos, mas sim de vários garotos com uma característica em comum e que passam por diversas situações. Tem Harry e Craig que já foram um casal, mas não são mais, e estão participando de um desafio. Eles pretendem ficar 32 horas se beijando, para entrar no Livro dos Recordes. Enquanto isso tem Neil e Peter que são um casal a dois anos, e vivem de forma feliz e normal, porém a família do Neil finge que ele não é homossexual. Tem também a história de Avery e Ryan que acabaram de se encontrar e estão se conhecendo. E por último tem a história de Cooper, ele ainda não se assumiu e vive de trocar mensagens onlines com outros homens em sites de relacionamento. O pai de Cooper pega algumas dessas mensagens e não reage bem, fazendo com que Cooper fuja de casa. A história dele gira em torno da auto descoberta, da aceitação e das decisões que toma.


Tive poucos contatos com os livros do David, apenas com "Todo Dia", e esse é o primeiro livro completamente homoafetivo que leio dele. Além de ter histórias bem construídas e desenvolvidas, o que mais me atraiu nessa obra foi a escrita do Levithan. Os narradores são diversos "mortos" (não sei classificar melhor esses narradores, só acho que eles não estavam vivos) que provavelmente passaram por diversas provações quando vivos, o que me leva a crer que são narradores que são homossexuais, pois eles davam apoio por coisas que já passaram aos meninos, e isso é magnífico.
As histórias são bastante fluidas, e chegam a se conectar em algum momento. Entre as situações, a que eu achei mais comum foi a do Neil e Peter. Eles eram um casal, onde um dos pais fingia não saber sobre a opção sexual do filho, e tal. Pronto, só isso. Avery e Ryan estão se conhecendo, e em muitos momentos a história deles é o verdadeiro romance da obra inteira. A do Harry e Craig é toda a revolução da história: O beijo mais longo, a reação das famílias, a reação do público, e a força de vontade dos meninos durante o beijo é lindo. 
Há milhões de beijos para serem vistos, milhões de beijos a um clique de distância. Não estamos falando de sexo. Estamos falando de ver dois garotos que se amam se beijando. Isso tem muito mais poder do que o sexo. E mesmo se tornando lugar-comum, o poder ainda está presente. Todas as vezes que dois garotos se beijam, o mundo se abre um mais. Seu mundo. O mundo que deixamos. O mundo que deixamos para vocês. Este é o poder de um beijo: Ele não tem o poder de matar você. Mas tem o poder de trazer você à vida.
A única coisa que me incomodou nesse livro, foi o final aberto. David tem uma mania de deixar em aberto para a pessoa ficar pensando no que vai acontecer, e POXA! Eu só queria saber o que vai acontecer com o Cooper. Eu só queria um final para esses meninos, diferente dos narradores. Fiquei muito fula da vida quando o livro acabou e ficou com essa interrogação GIGANTESCA na minha cabeça.


A diagramação está ótima, com uma capa minimalista (e eu sou contra esses rapazes desse jeito, preferia que fosse pontilhismo e tal. A boca deles ficou deformada.) e sem erros de concordância e tal, se tiver é porque não notei. Muitas pessoas vão olhar para essa resenha e vão dizer: "Urgh! É um livro Gay!", ou não vão nem olhar devido ao título do post. Muitas pessoas vão olhar para a lombada desse livro, ou pra sua capa e não vão levar, pois está falando de Dois Garotos se Beijando. Mas digo a vocês que essa não é APENAS uma história de Dois Garotos Se Beijando, é a história sobre o amor. O amor entre duas pessoas do mesmo sexo, o amor entre o pai e um filho. É uma história sobre aceitação, descoberta e principalmente, uma história sobre O PRECONCEITO. E como ele mexe com a vida deles. Saber o sentimento dos garotos por serem ridicularizados por AMAR. E foi isso que eu mais gostei na obra. O fato dele nos mostrar que eles sofreram, sofrem e vão sofrer pelo simples fato da sociedade não aceitar o AMOR. E David quer tentar fazer com que isso acabe, mostrando que o amor move muita coisa.
É difícil parar de ver seu filho como seu filho e começar a vê-lo como ser humano. É difícil parar de ver seus pais como pais e começar a vê-los como seres humanos. É uma transição bilateral, e pouquíssimas pessoas conseguem fazê-la com tranquilidade.


E como eu amei esse livro de paixão, convenci o Paulo a sortear esse livro para vocês. 


Regras
- Residir ou possuir endereço de entrega em território nacional;
- Deixar um comentário nessa postagem com a sua opinião sobre a resenha/livro e e-mail para contato;
- O período da promoção será de 17/08/2015 a 17/09/2015;
- Não serão aceitos perfis utilizados unicamente com fins promocionais;
- O vencedor terá o prazo de 48 horas para responder o e-mail enviado. Avisarei nas redes sociais quando enviar;
- Na chance extra de visitar a página no facebook, o leitor deverá seguir. O facebook mudou as regras e o aplicativo não pode apresentar a opção de seguir.
- O blog não se responsabiliza por extravio dos Correios;
- Caso o prêmio retorne, o novo frete será por conta do leitor sorteado;
- O prazo para envio será de 60 dias úteis;
- Dúvidas podem ser retiradas pelo twitter ou email (@funshunter - funshunter@gmail.com)









Sobre a Autora: 
Tamiris
Tamiris é blogueira do Pausa Para Um Livro e depois de fã do Fun's Hunter, veio acrescentar um toque feminino no blog favorito. Lê tudo que o Paulo indica, mas também tem uma séria paixão por romances. Quando não está lendo, está cozinhando. Então não se assuste se ver um pouco de comida nas fotos.


30 comentários:

  1. Participando!!!!

    Bjs Joi Cardoso
    estantediagonal.com.br

    ResponderExcluir
  2. Thaís Dória de Góes26 de agosto de 2015 14:36

    Falam muito desse livro e eu queria muito conhecer essa historia. Estou bastante curiosa, na verdade estou curiosa para conhecer todas obras desse autor.
    Muito interessante os narradores serem pessoas que já morreram.
    Também não gosto de finais abertos, então te entendo.

    ResponderExcluir
  3. Oi Tamiris *_*
    Eu tenho certo interesse em ler este livro, parece ser muito bom. Só que eu não entendi esta coisa do narrador, como assim narrados por mortos? haha
    Outra coisa que eu não sabia era que o livro envolvia mais casais homossexuais, pra mim era somente o casal protagonista. Achei bem diferente isto.
    Quando você disse sobre finais abertos imediatamente eu lembrei de John Green haha!
    Eu ainda não li nada do David e o que eu mais tenho interesse de ler neste momento é justamente o primeiro livro que você leu dele: ''Todo Dia''.
    Enfim, quem sabe eu ganho o livro e não leio antes né?
    Beijocas flor!
    umlugarparaleresonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Parece ser um ótimo livro! Mostra que esses jovens tem sua própria história, segredos e desejos! Uma liberdade de escolhas, mesmo que ainda tenham que passar por dificuldades! Amei o enredo da história e sua resenha!

    Marcela.Jake.Bells.20@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. David Levithan é um autor que gosto bastante. Todos os livros que já li do autor obtive experiências maravilhosas. Abrirei mais uma vaga para ler esse livro, que parece ser maravilhoso.

    ResponderExcluir
  6. OI! Não gosto muito de escritor, não gostei muito dos outros livros dele e esse não chegou a me conquistar. Estou na fase de ação, suspense e terror e finais abertos nunca é o meu forte, tem alguns que até ficam bem, mas outros deixam a sensação de que o autor não soube como terminar.
    Boa sorte para quem vai concorrer.

    ResponderExcluir
  7. Oi,
    Estou lendo o livro Invisível do David e estou gostando bastante. Sempre ouvi bons comentários sobre ele.
    Nunca li um livro homoafetivo. Mas mesmo não tendo lido um livro nesse estilo, é necessário parar e refletir sobre as ideias que eles trazem. Entendo sua "raiva" em relação a livros com finais abertos. Eu pelo menos fico um bom tempo tentando imaginar o que aconteceu.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Eu não me lembro de ler lido uma resenha desse livro.
    Achei interessante o fato do narrador ser pessoas homossexuais que já morreram. Eu acho que nunca li um livro com esse tipo de narração.
    Eu não gosto de finais abertos, acho bem desanimante.
    Pretendo ler futuramente esse livro.


    Email: keliscristinaps74@hotmail.com

    ResponderExcluir
  9. Thiago Roza Ferreira26 de agosto de 2015 14:37

    Pretendo ler esse livro mas não no momento.
    Eu odeio finais abertos, eu não quero imaginar o que aconteceu eu quero que o autor me conte o que ele imaginou para historia. Sempre que leio um livro 'sem fim' fico muito decepcionado.

    ResponderExcluir
  10. Estou querendo ler esse livro a um tempo. Gostei muito das historias e estou bem curiosa para saber como o autor as desenvolveu.
    Só não gostei de saber que tem um final aberto, mas de qualquer forma isso não me desanima a ler o livro.


    thaisasilvadg@hotmail.com

    ResponderExcluir
  11. Tamiris, já tinha ouvido falar desse livro, não li ainda nem o will e will, também do David. Gostei muito da história que aborda o preconceito, valores, o amor. O que todos deveriam ter é liberdade de expressão, de expressar suas escolhas, seus parceiros, de expressar seu amor. Enfim, deve ser muito bom. Pena o final não ser do jeito que imaginava, mas quero ler. Um beijo

    ResponderExcluir
  12. Já tive a oportunidade de ler Dois Garotos se Beijando e David Levithan me conquistou. Assim como você me emocionei diante da história, pois vai muito além de um beijo, ela fala de preconceito, fala de sofrimento, mas acima de tudo de amor. Suspirei, chorei e sorri com essa história e como você fiquei chocada ao ver o final aberto. Foi tortura! Mas ainda sim, foi um livro perfeito, uma pena que era emprestado. E por isso, tentarei a sorte para ter meu exemplar, pois essa história quero ter a chance de ler novamente e guarda-la comigo.

    E-mail: karinavalshe@gmail.com

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Tenho muita curiosidade sobre os livros do David Levithan, mas infelizmente ainda não li nenhum... Dois garotos se beijando parece ser uma história linda sobre o amor em diversas formas, não tem como não ficar curiosa sobre o que vai acontecer com esses garotos. O único problema foi a capa mesmo, também não gostei muito, a boca ficou mesmo deformada.
    Participando!
    sobrelivrosesonhos@gmail.com

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Ainda não li nada do David Levithan mas sempre vejo muitos elogios para sua escrita li alguns resenhas desse livro e fiquei com muita vontade de ler adorei a forma que o David constrói a historia e o jeito que ele consegue explorar o mesmo assunto de tantas formas diferentes !!

    ResponderExcluir
  15. Tenho vontade de ler esse livro há algum tempo, mas ainda não deu para comprar. Tenho lido várias resenhas sobre ele e cada uma me dá uma ideia diferente. Não tinha ideia de que a narração era feita por mortos e nem que o final ficava ligeiramente aberto. Agora fiquei mais curiosa ainda. Quero ainda mais ler.

    ResponderExcluir
  16. Estou doida pra ler esse livro, gosto muito da escrita do David Levithan, é ótima, curto muito a temática LGBT, a história parece ser bem emocionante e essa resenha me deixou ainda mais interessada em conferi isso tudo que está dizendo.

    ResponderExcluir
  17. Nunca li nada do autor, menos ainda onde os protagonistas sejam um casal de meninos, mas quero e devo ler em breve =D


    Miquilis

    ResponderExcluir
  18. Vania Correa Dias Mota26 de agosto de 2015 14:38

    Que história forte, com personagens marcantes, envolvendo preconceito, drama, descobertas, nossa fiquei fascinada, a capa está muito linda, gostei demais, ainda não tinha lido nada desse autor, fiquei curiosa com essa livro, quero muito ler.

    ResponderExcluir
  19. Tamires!
    O Leviathan levanta mesmo a bandeira do homossexualismo e o admiro demais por isso, afinal, mesmo em pleno século XXI, o preconceito anda solto.
    Não li esse livro dele ainda e gostaria muito.

    Rudynalva Correia Soares

    rudynalva@yahoo.com.br

    Participo e mais tarde
    sairá divulgação no blog.

    Desejo uma ótima
    semana, cheia de luz e paz!

    “A alegria evita mil
    males e prolonga a vida.”(William Shakespeare)

    cheirinhos

    Rudy

    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  20. Já ouvi falar muuuito bem do David Levithan (tanto desse quanto dos outros livros dele), mas ainda não tive a oportunidade de ler nenhum. Quem sabe essa não é a minha vez? :D

    ResponderExcluir
  21. David Levithan é um autor que gosto muito, adorei Todo dia, gostei tbm de Garoto encontra garoto, ele tem um jeito bem facil de ler, os livros nao sao cansativos né, pelo menos eu nao acho...

    Esse parece muito bom tbm, fico imaginando... um beijo tao longo assim deve ser muito cansativo heim.... hahahahahahha

    participando!!
    Douglas Fernandes
    douglas_bouvier@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  22. Já li várias resenhas mas nenhuma me fez querer ler tanto quanto essa! Não sei se faz mto meu estilo de livro, mas fiquei bem curiosa! Como nunca li nada do autor não posso dizer se gosto ou não!

    ResponderExcluir
  23. Oi Tamiris ^^
    Terminei a leitura desse livro há cerca de três ou quatro dias e amei demais. <3
    Antes de dar inicio a leitura eu me peguei pensando o porque do título, qual a relação dele com a história. Como não havia lido nenhuma resenha estava livre de expectativas e abracei abertamente esse livro.
    Não é pelo fato de ser gay que eu amei essa obra. Não. É pelo fato de que mostra a vida de jovens que se não fossem gays ainda estariam sofrendo com pais que não o olham nos olhos, que não os tenta entender. Claro que há alguns pais no enredo que entendem os seus filhos e os aceitam, mas quantos jovens não se veem sozinhos nesse mundo pelo fato de seus pais não os verem como seres humanos? Como feitos de carne e sentimentos??
    Confesso que fiquei bastante surpreso com esse desafio que o Craig e o Harry se propuseram a fazer. Nunca iria conseguir ficar por horas beijando, ainda mais beijando alguém que eu amo,mas que tivemos que terminar para ficar no campo da amizade. Seria por demais doloroso (não estou falando de dor física, só pra deixar claro).
    Dos personagens com o que eu mais me identifiquei foi o Ryan. Essa motivação de querer sair da cidade e nunca mais voltar eu tenho e muito.
    Já havia lido Will & Will e tb amado o enredo, mas Dois Garotos Se Beijando me pegou de uma forma profunda. Várias passagens me deixaram pensativo pra carai. Foi impossível não suspirar durante a leitura. Fechei os olhos em vários momentos para refletir.
    Tb não curti o final, mas fazer o quê, né? Levithan escreve de forma simples e isso me encanta.
    Parabéns pela resenha, Tamiris. Tb não curti o formato do desenho dos guris se beijando. Espero que façam uma nova edição o quanto antes.
    Bjs :*


    http://peregrinodanoite.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  24. Não li nenhum livro do David mas sempre vejo varias resenhas positivas sobre os livro dele, talvez algum dia eu leia algum para ver se eu gosto ou não

    ResponderExcluir
  25. Oieeeeeeeeeeee Miris meu amor, coração!!

    Você sabe que eu sou completamente louco pelo David Levithan é? Eu li esse livro assim que ele foi lançado e nossa que leitura maravilhosa, o David sempre consegue me surpreender e encantar com sua escrita. Por isso se hoje alguém me pergunta quem é meu autor preferido eu respondo David Levithan!

    Quanto ao livro eu já sabia que não se tratava da história de dois garotos se beijando eu ja tinha visto a sinopse no goodreads e já tinha lido o primeiro capitulo que a Galera liberou antes do lançamento. Não nego a você que um dos motivos de eu ter amo o livro
    é que houve identificação, sim é verdade, as vezes cansa não ter algo para ler com que você se identifique, mas acima disso também amei o livro pela forma leve e verdadeira que o David retrata a tematica abordada pelo livro e ele simplesmente aborda mais de uma tematica ele fala do preconceito, fala de aceitação, fala de trasnsexualidade, fala de famila (as que dão suporte e as que não), falo sobre o amor. Ele vem para desafiar a sociedade, mostrar que aquilo é real e que todos merecem seu devido respeito.

    Os personagens do livro são simplesmente encantadores e marcantes e além do mais muito bem trabalhados isso é uma marca do David ele sempre escreve personagens profundos, e de todos os personagens o que mais me marcou foi o Cooper, porque é triste ver uma pessoa perdida e porque varios jovens vivem como ele, inclusive o garoto que inspirou o personagem de Cooper não teve a mesma sorte, ele pulou, semplesmente desistiu da vida, não encontrou ninguem o impedisse.

    Quanto aos narradores eles são a melhor coisa domlivro para mim, sendo sincero! Por que como eles mesmo dizem eles foram a gereção passada, a geração que mais sofreu preconceito, a que lutou pelos nossos direitos atuais, a que sofreu quando a AIDS se espalhou dentro da comunidade LGBT, sofreu por perecer pela doença, sofreu por perder grandes amigos, sofreu por ser rejeitado por seus familiares ou per vê-los sofrer pela perda.

    Esse livro tem uma tarefa importantissima e impactante perante a sociedade. Ao parar para escrever esse comentário que basicamente virou minha segunda resenha do livro, eu voltei a pensar, a vida é dificil hoje, mas aind assim ela é boa e eles sofreram tanto par termos o que temos hoje, juro que estou com olhos cheios de lágrimas.

    Esse livro é uma indicação perfeita para toda e qualquer pessoa, mas nem todos terão a capacidade de ver e sentir o quão grande, verdadeiro e marcante esse livro é. O Favid ganhou dois prêmios importantássimos (Stonewall Book Award e um Lambda Literary Awards, premiações de literatura LGBT) devido a esse trabalho e eu sinceramente me orgulho de ser fã desse autor e fico feliz que ele existe para lutar e me representar em seus livros.

    Quanto a capa eu inicialmente a repugnei, assim como uma gama de pessoas, o pessoa queria a capa americana que tinha dois garotos se beijando, rolou até treta coma editora dizendo que rolou censura, mas eu não vi isso, via penas uma capa feia, que ficou mais bem vista por depois que li o livro e entendi que ela realmente se encaixa perfeita mento para o que o livro transmite.

    Miris amei a sua resenha e fico realmente muito feliz que você tenha gostado do livro, espero que você leia mais livros do autor e que assim como eu se apaixone por ele! E quanto ao Connor, ele teve sim um final e um feliz, ele foi impedido, seus pais foram busca-lo e demostraram arrependimento, e isso é um sonho para todo e qualquer pessoa do meio LGBT, ser amado e respeitado pela família!

    Xo
    Alisson
    Re.View

    ResponderExcluir
  26. Fernanda Rodrigues Mendonça31 de agosto de 2015 23:28

    Oooi!!
    Normalmente eu não gosto de romances, então nunca li nada desse autor...Porém eu achei a proposta do livro - o casal gay e tal - bem diferente e importante...Afinal, representatividade importa. Quero muito ler e por isso participarei da promo. Bejas!

    ResponderExcluir
  27. Oi Alisson querido !
    Nossa, seu comentário foi o maior comentário já visto por mim no mundo literário. E me sinto honrada por fazer você expressar seus pensamentos a partir do que eu escrevi. Sabe Alisson, eu concordo em gênero, número e grau com o que disse. E acredito que todos, sendo ou não homossexual deve ler a obra. Motivo? Aqueles que são, vão se inidentificar e ver que não são os primeiros a passar por qualquer uma das situações. Aqueles que não são, vão entender o sofrimento e a alegria causada em diversos momentos, e talvez (apenas talvez) vão passar a ver com outros olhos a relação homoafetiva que pra mim nada mais é que uma relação padrão. Amor é amor, independente de qualquer coisa. Então acredito que o que o Levithan quis passar fez com maestria. E obrigada por sua resenha. Ops, comentário. Kkkk te amo lindo.

    ResponderExcluir
  28. Olá Bruno.

    Primeiramente quero agradecer pelo seu comentário. Acredito que cada um tem um pouco a falar sobre o tema. Realmente, ser gay ou não, não muda a escrita magnífica do Levithan e todo o sermão que ele quis passar. Não sou Gay, mas nem por isso me senti menos tocada ou algo parecido. Esse livro é intenso, é forte, é magnífico. Ele retrata pessoas que se amam. No caso do Levithan ele falou sobre homossexuais pois assim como ele, existe tantos que tem seus direitos recusados por serem assim, que tem privações graças ao que são. É isso chega a ser ridículo a um ponto que nem da pra discutir. E a forma de Levithan fazer seu "manifesto" é através de seus livros. E tem feito muito bem. Se pelo menos as pessoas recebessem o livro E O LESSEM. (Um booktour Mundial), talvez pensariam diferente após a obra. Parariam de rotular tanto. E apenas viveriam o amor intensamente.

    ResponderExcluir
  29. Já li dois livros do David Levithan ("Garoto Encontra Garoto" e "Todo Dia") e gostei de ambos. A escrita dele é muito boa. É fluida e simples, mas trás tramas bastante interessantes. Confesso que essa parte de ter romances homossexuais passa despercebida. Em nenhum momento parei pra pensar ou criticar se era hétero ou homo. Ele escreve com uma verdade incrível. Então é claro que quero ler esse livro dele também. E que bom que você conseguiu convencer o Paulo a nos presentear com esse sorteio.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  30. Não consigo expressar direito o que senti depois desta resenha, mas ele é maravilhoso e tudo o que posso fazer é recomendá-lo para vocês. Eu amei praticamente tudo, começando pelo narrador, que foi uma sacada genial. Eu me senti próxima daqueles personagens como se fossem meus amigos e me preocupei muito com eles. Já posso dizer que foi uma das melhores leituras do ano

    ResponderExcluir