postado por Matheus em 16 agosto 2015

O Que Passou Por Meus Fones #49

Boa noite, meus queridos hunters! Como está o domingo de vocês?
Com algumas semanas de atraso, aqui estou eu, mostrando-lhes os melhores discos que ouvi em julho. Realmente eu ouvi discos fantásticos, que agradarão os mais diversos gostos. Confiram e digam o que acharam destas novidades. 
Quer ver um disco que vocês gostam aqui na coluna? Sugiram-o nos comentários! Regrinhas gerais para sugestão aqui.


E•MO•TION | Carly Rae Jepsen
Eram muitos os que pensavam que Carly nunca sairia da sombra de “Call Me Maybe” seu grandioso sucesso. Mas agora ela nos apresenta “E•MO•TION”, e o resultado é simplesmente surpreendente! Com um poderoso time de produtores, a dona do pop chiclete de 2012 nos mostra um disco infinitas vezes mais evoluído e bem produzido, apostando fortemente no synthpop com forte pegada nos anos 80. O resultado não poderia ter saído mais apaixonante e incrível.
Melhores Faixas
  • Run Away With Me
  • All That
  • Making The Most Of The Night
  • LA Hallucinations
  • Warm Blood
  • Love Again
Confiram o ótimo trabalho de Carly Rae Jepsen em “Run Away With Me”.


Are We There | Sharon Van Etten
A proposta de Sharon Van Etten não é original. Músicas folk repletas de sentimentalismo não é nenhuma novidade, mas Sharon Van Etten consegue transformar o costumeiro em uma obra-prima. Suas composições pessoais e poéticas ganham uma força incrível com seus vocais melódicos, levando o ouvinte a um mundo paralelo onde quem reina é Sharon Van Etten. Num todo, um disco incrivelmente belo e tristonho, mas ainda assim revigorante.
Melhores Faixas
  • Afraid Of Nothing
  • Your Love Is Killing Me
  • You Know Me Well
  • Every Time The Sun Comes Up
Confiram a bela música de Sharon Van Etten em “Every Time The Sun Comes Up”.

Benji | Sun Kil Moon
“Benji” é um disco difícil. Não por sua sonoridade, mas sim por sua simplicidade, que pode soar rançosa para muitos. Repleto de músicas que soam como um vislumbre de artistas folk esquecidos da década de 1970, “Benji” está repleto de composições extremamente pessoais, num nível altíssimo. Porém, isso não o torna um álbum narcisista, pois a sinceridade de Mark Kozelek cria um vínculo perfeito com as melodias melancólicas, criando assim um disco sensível e muito bem realizado.
Melhores Faixas
  • Carissa
  • I Can’t Live Without My Mother’s Love
  • Dogs
  • Richard Ramirez Died Today Of Natural Causes
Se deixem levar pela melancolia do Sun Kil Moon com “Carissa”.

Heal | Strand of Oaks
É difícil dizer por que o Strand of Oaks continua sendo uma banda desconhecida. Seu som é um ótimo rock alternativo, que muito lembra Kings of Leon e The War On Drugs; ou seja, uma música extremamente acessível. Em “Heal”, lançado em 2014, vemos o melhor da banda desde a primeira até a última faixa; o começo exasperado e animadíssimo com “Goshen ‘97” prepara o ambiente para o restante do disco, repleto de músicas contagiantes, e por vezes melancólicas. Realmente um grande disco.
Melhores Faixas
  • Goshen ‘97
  • Same Emotions
  • Woke Up To The Light
  • JM
Contagiem-se com a maravilhosa “Goshen ‘97”.

July | Marissa Nadler
Neste seu disco mais recente, Marissa Nadler soa ao público como uma cantora poética e mística. Poética porque suas composições sentimentais transbordam um poetismo belíssimo, mística porque sua voz soa doce e profunda, envolta em magia. Ambas as características fazem com que “July” se torne este belo disco que é, capaz de agradar os amantes do folk tradicional e capaz também de agraciar ouvintes de músicas atuais, que não dispensam uma boa melancolia.
Melhores Faixas
  • Drive
  • Firecrackers
  • Was It A Dream
  • Nothing In My Heart
Vejam o belo poetismo de Nadler com a incrível “Drive”.

In The Silence | Ásgeir
Devido à internet, cada vez mais artistas longínquos conseguem o reconhecimento ao redor do mundo. Ásgeir se beneficiou muito dessa ferramenta. Por mais que seja desconhecido, o artista islandês conseguiu um pouco mais de conhecimento ao lançar este singelo disco em inglês. Repleto de músicas com um doce estilo melódico, “In The Silence” é uma ótima pedida pra quem procura algo novo no cenário indie; algo que consegue deixar a marca de Ásgeir mesmo sem apostar em nada novo.
Melhores Faixas
  • Higher
  • King And Cross
  • Torrent
  • Going Home
Conheçam o islandês Ásgeir com “King And Cross”.

Otherness | Kindness
Kindness é um artista de colagens. Jutando referências do jazz, rap, synthpop e com uma boa pitada de new wave ele conseguiu criar um disco autoral, porém desprovido de grandiosidade. Todas as faixas soam sorrateiras, pegando o ouvinte despreparado de toda a mistura que se vê aqui; isso não é algo ruim, pelo contrário, é algo muito bom. Aos poucos o disco vai surpreendendo o ouvinte, e é somente com o tempo que ele percebe a magnificência de faixas como “Who Do You Love? (feat. Robyn)”.
Melhores Faixas
  • World Restart (feat. Kelela and Ade)
  • I’ll Be Back
  • Who Do You Love? (feat. Robyn)
  • Why Don't You Love Me (Featuring Devonté Hynes & Tawiah)
Ouçam a bela e doce “Who Do You Love? (feat. Robyn)” logo abaixo.

Vibes | Theophilus London
O estilo de hip hop desenvolvido por Theophilus London neste disco não é novo, diversos outros rappers já utilizaram do mesmo “estilo”, por assim dizer. Mas mesmo assim London consegue ser uma brisa fresca, nos mostrando que música de hip hop boa não precisa ser inovadora. Letras não politizadas e melodias que sempre rondam o eletrônico são os dois elementos mais marcantes no álbum; álbum este repleto de participações grandiosas, como de Kanye West e Dev Hynes.
Melhores Faixas
  • Water Me (feat. Leon Ware)
  • Neu Law
  • Tribe (feat. Jesse Boykins III)
  • Figure It Out (feat. Devonté Hynes)
Se contagiem com a ótima “Tribe (feat. Jese Boykins III)”.

The Veronicas | The Veronicas
Há algum tempo atrás, as gêmeas da The Veronicas chegaram a fazer um sucesso moderado, mas respeitável. Algo extremamente merecido, visto o ótimo pop rock que faziam. Mas isso foi há muito tempo, porém elas continuam na ativa, fazendo aquilo que sempre fizeram de mulher: pop rock chiclete, mas bem feito. O disco homônimo vai de faixas pops como “Cruel” até baladas românticas belíssimas como “You Ruin Me”; ou seja, The Veronicas em sua melhor forma!
Melhores Faixas
  • Cruel
  • Teenage Millionaire
  • Always
  • You Ruin Me
  • If You Love Someone
Se deliciem com a despretensiosa (porém boa) “Cruel”.

SETEVIDAS | Pitty
A Pitty possui uma trajetória interessante na música. Começou com o puro rock e então depois foi experimentando cada vez mais, apostando em coisas novas não vistas no começo da banda. Desagradando a alguns, “SETEVIDAS” é o mais recente nascimento dessa fase “experimental”. Obviamente, vemos músicas que não se diferem do rock de sempre, mas o que prevalece são músicas com composições e ritmos bem diferenciados. Para o bem ou para o mal, Pitty não é a mesma.
Melhores Faixas
  • Pouco
  • Olho Calmo
  • Setevidas
  • Serpente
Reouçam a clichê e agradável “Serpente”.

Big Fat Lie | Nicole Scherzinger
Desde que saiu do The Pussycat Dolls, Nicole Scherzinger seguiu uma carreira irregular. Talento ela tem, porém falta algo para que consiga o sucesso; e é difícil saber o que falta. Em “Big Fat Lie” ela traz um R&B pop comum, mas extremamente vendável. Mas não foi isso que aconteceu: o disco não entrou no top 10 de nenhum país. Quem já ouviu “Killer Love”, seu outro disco solo, sabe que ela possui talento pra fazer algo realmente grande. É torcer e esperar...
Melhores Faixas
  • Your Love
  • God Of War
  • Just A Girl
  • Big Fat Lie
Ouçam a previsível, porém bem feita, “Your Love” logo abaixo.

JHUD | Jennifer Hudson
Desde sua premiada atuação em Dreamgirls, Jennifer Hudson chama a atenção por sua voz. Suas músicas nunca ganharam um reconhecimento grandioso, mas sua voz sempre foi ressaltada. Em “JHUD” podemos descobrir por que. Mesmo que, na maioria das faixas, o disco aposta em um R&B comum, a voz de Hudson se mostra incrível, com um alcance vocal realmente alto. Num geral, “JHUD” é um disco que se sustenta pela voz de sua intérprete, mas que ainda assim guarda algumas pérolas.
Melhores Faixas
  • He Ain’t Goin Nowhere (feat. Iggy Azalea)
  • Walk It Out (feat. Timbaland)
  • I Can’t Describe (The Way I Feel) (feat. T.I.)
  • Just That Type Of Girl
Vejam o videoclipe da ótima “Walk It Out (feat. Timbaland)” logo abaixo.

Carne Doce | Carne Doce
“Carne Doce” é um disco inusitado. As composições tratam dos temas mais diversos, as melodias brincam com a experimentação e até mesmo os vocais de Salma Jô soam camaleônicos. Mas mesmo assim o disco soa coeso, aparentando ser uma obra que se complementa a cada faixa. E também que se enaltece a cada ouvida! Se primeiramente nos sentimos estranhados pelo som ouvido, aos poucos nos acostumamos com a música do casal goiano Salma e Macloys.
Melhores Faixas
  • Idéia
  • Passivo
  • Canção De Amor
  • Benzin
Conheçam a banda Carne Doce com a música “Canção De Amor”.

Evergreen | Broods
Assim como a Suécia tem nos mostrado grandes revelações do pop, a Nova Zelândia também tem nos mostrado ótimas novidades. Pouco tempo depois de nos depararmos com a icônica Lorde, a dupla Broods nos aparece como uma dupla que merece ser reconhecida. Este seu disco de estreia, produzido pelo mesmo produtor de “Pure Heroine”, ministra muito bem diversas batidas indie pop, nos lembrando de Lorde, mas ainda mostrando a identidade única e apaixonante de Broods.
Melhores Faixas
  • Mother & Father
  • Never Gonna Change
  • Evergreen
  • Superstar
Deliciem-se com os ótimos vocais de Georgia em “Mother & Father”.

Z | SZA
SZA é uma artista que adora brincar com referências. Juntando um pouco de R&B, vocais que remetem ao soul, uma pitada de synthpop e muita coragem para a experimentação, a cantora consegue desenvolver um trabalho conceitual e autoral. “Z” é um disco para ser degustado calmamente, sozinho ou num encontro sensual; um disco onde cada música transborda vocais hipnóticos e melodias envolventes. Mais um ótimo registro desta nova safra de cantoras R&B estadunidenses.
Melhores Faixas
  • Child’s Play (feat. Chance the Rapper)
  • Julia
  • HiiJack
  • Green Mile
Envolvam-se pelos lindos vocais de SZA em “Child’s Play (feat. Chance the Rapper)”

Complètement Fou | Yelle
Aos poucos o mundo está abrindo seus olhos pra música pop que vem de países diferentes de EUA e Inglaterra. E o grupo francês Yelle vem se aproveitando disso. Eles têm um público considerável ao redor do mundo, o que se deve a seu pop despretensioso, mas extremamente bem produzido, no melhor estilo feito pra vender. Repleto de músicas pop feitas pra cair na pista e de baladas românticas clichês e adoráveis, “Complètement Fou” é aquilo que faltou no mainstream do pop em 2014.
Melhores Faixas
  • Complètement Fou
  • Coca Sans Bulles
  • Moteur Action
  • Florence En Italie
  • Un Jour Viendra
Vejam o pop adorável de Yelle com a faixa-título do álbum.

Food | Kelis
Por mais que tenha mais de 15 anos de carreira, Kelis nunca conseguiu um reconhecimento grandioso. Ainda assim, continua lançando discos com frequência. Discos muito bons, assim como este seu último lançamento. “Food” brinca com referências que faziam parte da trajetória da cantora desde o princípio, como o R&B, o funk e o soul; tudo isso cria um disco bom, mas que não chega ao “magnífico”. De toda forma, esta é Kelis em sua melhor forma.
Melhores Faixas
  • Jerk Ribs
  • Breakfast
  • Runner
  • Change
  • Dreamer
Se ainda não a conhecem, conheçam Kelis com “Jerk Ribs”.

Donker Mag | Die Antwoord
Die Antwoord é um grupo de extremos: ou adora ou odeia. Isso se deve a vários motivos: a voz de gás hélio de Yolandi, o hip hop alternativo da maioria das faixas ou mesmo a extrema experimentação. “Donker Mag” é um disco que vai direto ao ponto, não trazendo nada de novo ao grupo; algo positivo para alguns e negativo para outros. É ouvir e tirar suas conclusões. Mas fica a dica, se você não gostar logo de cara, não se sinta obrigado a ouvi-lo até o final, nada de diferente aparecerá.
Melhores Faixas
  • Ugly Boy
  • Raging Zef Boner
  • Cookie Thumper!
  • Sex
Vejam toda a experimentação alucinante do grupo em “Cookie Thumper!”.

High Hopes | Bruce Springsteen
Lá atrás, nos anos 1980, o músico Bruce Springsteen já havia criado uma ótima reputação; reputação esta que o segue até hoje. Pode até ser que este esteja longe de ser um dos álbuns mais aclamados do artista, mas “High Hopes” agradou muito o público e também a crítica. O motivo é simples: é Springsteen! O rock visto aqui não traz nada novo ao mundo da música, é apenas rock. Mas é rock cantado por Bruce Springsteen, e isso faz muita diferença.
Melhores Faixas
  • High Hopes
  • American Skin (41 Shots)
  • The Ghost Of Tom Joad
  • Dream Baby Dream
Ouçam a faixa-título do álbum logo abaixo.

Rainha dos Raios | Alice Caymmi
Caymmi é uma daquelas artistas que são muito mais intérpretes do que grandes cantores. Sua voz não é refinada, não possui absolutamente nada incrível, mas seu senso artístico transcende a isso. Isso é facilmente visto do começo ao fim do teatral “Rainha dos Raios”, um disco fantasticamente artístico. Todos os covers feitos por Caymmi aqui ganham novas feições, por vezes até melhores que as originais, comprovando que Alice Caymmi é realmente uma ótima artista.
Melhores Faixas
  • Como Vês
  • Homem
  • Princesa
Vejam a arte altamente teatral de Caymmi com “Como Vês”.

If You Wait | London Grammar
“If You Wait” prende o ouvinte despreparado logo na primeira faixa. Por mais que seja um disco indie, o som deste disco possui uma essência única; os ritmos melódicos e calmos que percorrem as faixas soam como vindas de um sonho distópico e melancólico, algo sádico, mas belo. Os vocais fortes de Hannah Reid e as ótimas composições fazem com que o disco ganhe ainda mais credibilidade, fazendo com que ele se torne um grande destaque entre os lançamentos do ano passado.
Melhores Faixas
  • Hey Now
  • Stay Awake
  • Wasting My Young Years
  • Sighs
Confiram o belo estilo de London Grammar com “Wasting My Young Years”.

Begin Again (OST) | Vários Artistas
Mesmo Se Nada Der Certo não foi um filme que fez muito barulho no ano passado. Ainda assim, a trilha-sonora desse belo e doce musical conseguiu um ótimo reconhecimento; com nomes como Adam Levine (do Marron 5) e CeeLo Green a trilha sonora se encaixa perfeitamente com todo o filme, o que é ótimo tanto pra ela como para o filme. Além de tudo, temos Keira Knightley nos vocais e também a fantástica “Lost Stars”. Uma trilha que realmente merece ser ouvida.
Melhores Faixas
  • Lost Stars – Adam Levine
  • A Higher Place - Adam Levine
  • Dit It Ever Cross Your Mind – Cessyl Orchestra
  • Women Of The World (Go On Strike!) – CeeLo Green
  • A Step You Can’t Take Back – Keira Knightley
  • Tell Me If You Wanna Go Home (Rooftop Mix) – Keira Knightley & Hailee Steinfeld
Se emocionem com a belíssima “Lost Stars”.

Built On Glass | Chet Faker
“Built On Glass” é um disco repleto de nuances; por mais que todas as melodias possam soar no mesmo estilo calmo e envolvente, há muitas diferenças entre elas, diferenças que aos poucos vão sendo captadas pelos ouvidos, principalmente em faixas como “Melt (feat. Kilo Kish)” e “1989”, que nos transporta para o cenário eletrônico dos anos 1990. Pelo visto Chet Faker ainda tem muita coisa boa a nos mostrar no futuro.
Melhores Faixas
  • Talk Is Cheap
  • Melt (feat. Kilo Kish)
  • 1998
  • Cigarettes & Loneliness
Conheçam o trabalho de Chet Faker com “1989”.






Sobre o Autor:
Matheus
Matheus é Colaborador do blog, cinéfilo de carteirinha, leitor compulsivo e aficionado por música. Quando não está lendo, pode-se vê-lo re-assistindo Kill Bill ou então ouvindo música com os seus fones inseparáveis.


19 comentários:

  1. Boa Noite,
    O domingo foi bem legal, mesmo tendo que voltar a rotina amanhã.
    Bem interessante os discos que ouviu e o estilo de música.
    Tenho que confessar que a única música da Carly que já ouvi é Call me maybe. Acho que não tem ninguém que não conheça essa música. Não sou uma fã do trabalho dela, acho que por isso nunca ouvi outra. Pitty é uma referencia (na minha opinião) do rock nacional e acho que essa mistura que ela faz, fica bem legal ao estilo dela. Nunca tinha escutado essa música Adam Levine. O que conheço sobre o Adam se baseia no que sei sobre o Maroon 5 kk. As outras bandas ou cantores não conhecia, mas uma hora procuro mais sobre o trabalho deles.
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Thiago Roza Ferreira16 de agosto de 2015 23:56

    Achei o post interessante. Alguns cantores eu só conheço de nome, mas as musicas não me lembro de ter ouvido nenhuma delas.
    Posso dizer que o que da sua lista eu ouviria, por ja conhecer o trabalho, é a Pitty. Gosto bastante do som dela.

    ResponderExcluir
  3. Otimas musicas, fazia um tempo que eu não escutava Pitty.
    Tem algumas ai que não conhecia pois não sou muito de escutar musicas prefiro mais ficar lendo no silencio.

    ResponderExcluir
  4. Se você gostou dessa música da Carly pode procurar ouvir o disco todo que não se arrependerá!

    ResponderExcluir
  5. Também gosto bastante de músicas antigas. Neste post só resenhei discos do ano passado, mas volta e meia resenho um clássico também ;)

    ResponderExcluir
  6. Pode procurar outras músicas da Carly que você não se arrependerá! Este CD está realmente incrível.

    ResponderExcluir
  7. Thaís Dória de Góes26 de agosto de 2015 14:36

    Gostei das escolhas das musicas, apesar de não conhecer nenhuma delas. rsrs
    Eu fiquei até ouvindo algumas que achei muito boa.

    ResponderExcluir
  8. Oi Matheus,
    Não conhecia a maioria das músicas. Antes eu escutava bastante Pitty, mas parei de ouvir, embora ainda goste um pouco!
    Beijos
    umlugarparaleresonhar.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Poucas são as músicas que eu já conhecia dessa lista, mas gostei de todas. Comentando um pouco, realmente a Carly fez um trabalho incrível com essa música. Já conhecia Serpente da Pitty, e é maravilhosa. Lost Stars do Adam/Maroon 5 também já era minha conhecida. E a da Jennifer Hudson gostei bastante!

    ResponderExcluir
  10. Oi! Nossa, nunca tinha visto nenhum desses cantores, exceto Pitty que até acho algumas músicas dela legais, mas não são minhas preferidas. Olha, vou mais pelas músicas antigas, me causa nostalgia, uma sensação boa. Beijo.

    ResponderExcluir
  11. Gostei do Post.
    Eu não escuto muita musica, mas gostei da Carly Rae Jepsen. Vou tentar parar para ouvir algumas musicas dela.
    Eu escutava antigamente muito a Pitty, mas faz tempo que não a ouço.

    ResponderExcluir
  12. Eu não ouvi nenhuma dessas musicas, se já ouvi realmente não me lembro.
    Acho a Pitty maravilhosa, gosto muito de suas musicas. Sempre estou ouvindo elas.

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    A Carly me surpreendeu com esse novo álbum, Run away with me é muito viciante! As músicas de Begin again são ótimas, na verdade o filme como um todo é muito bom. Agora, o que mais gostei nesse post foi descobrir Marissa Nadler, Drive é perfeita :)
    Abraços

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Gostei muito dessas musicas com certeza tem um pouquinho de cada gostei bastante do novo álbum da Carly e já conhecia o álbum da Pitty que esta demais e ainda não conhecia o Broods mas gostei bastante deles !!!

    ResponderExcluir
  15. Eita Matheus!
    Arrasou!!
    Muita coisa não conhecia e fiquei fascinada.
    Amo música e conhecer boas, me alegra, obrigada.

    Desejo uma ótima
    semana, cheia de luz e paz!

    “A alegria evita mil
    males e prolonga a vida.”(William Shakespeare)

    cheirinhos

    Rudy

    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    Participem do nosso Top Comentarista!

    ResponderExcluir
  16. Eu também gosto bastante do filme Begin Again, por mais que seja clichê eu achei ele bem tocante.
    Ah, fico feliz em saber que conheceu músicas novas por aqui! :D

    ResponderExcluir
  17. Eita post caprichado, hein?! Recheado de novidades que eu desconhecia, boa parte. Carly é divertida, leve... Pitty já enjoei de tanto ouvir serpente, Maroon é sempre bom ... Quero muito ver Begin again. Um beijo

    ResponderExcluir
  18. Oi Matheus

    Vc fez eu ouvir todos os vídeos que vc linkou. kkkkkk sim, eu sou curioso e a maioria das bandas e cantores mencionados eu nunca tinha ouvido falar. Como eu gosto de sempre estar ouvindo coisas novas foi uma obrigação ouvir cada vídeo.

    Primeiramente, parabéns pelo gosto música. Acho que o único cantor que não curti ouvir, dos citados, foi a Alice Caymmi e a dupla Carne e Doce.

    Foram tantos citados que o meu texto ficaria longo se citasse o motivo das escolhas. Vou apenas citar o nome daqueles que suas vozes me tocaram e estão fazendo eu escutar os seus álbuns nesse momento no meu celular: Jennifer Hudson (que já conhecia), Carly Rae Jepsen, Sharon Van Etten, Sun Kill Moon, Marissa Nadler, The Veronicas (que eu já conheço, mas nunca escutei um álbum inteiro delas),Àsgeir, Broods, SZA, Chet Faker.

    Dos álbuns mencionados eu já escutei o da Pitty, do Die Antwoord (que eu gosto), London Gramma e a OST de Begin Again.
    Os álbuns que eu não citei eu desejo escutar, mas não agora agora. Quem sabia daqui alguns meses.
    Enfim, gostei bastante desse post, Matheus. Não sou um entendedor de música, mas sempre gosto de escutar algo novo.
    Continue com essa coluna. Só tente reduzir um pouco ou vou passar horas pra responder ela. kkkkkk
    Abraços


    http://peregrinodanoite.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  19. Fernanda Rodrigues Mendonça31 de agosto de 2015 23:31

    Vocêpromete nao me julgar se eu disser que, com exceção à pitty eu nunca tinha ouvido nenhuma das bandas?? (vou deixar as musicas rolando enquanto comento, mas por enquanto to gostando das q não são pop hahahaha)
    Você curte folk? Ouve Tuatha de Danann - Lover of the queen e Malditos Gnomos, que eu não lembro a banda. São muito boas <3

    ResponderExcluir