postado por Funs Hunter em 28 outubro 2015

[Mês do Terror] Entrevista: Karen Alvares


Além da resenha do livro Alameda dos Pesadelos, também preparamos uma super entrevista com a autora Karen Alvares, assim vocês conferem um pouco mais da autora e seus livros.


Como “nasceu” a escritora Karen Alvares?

É difícil precisar exatamente. A escritora sempre esteve lá, acredito, aguardando seu momento de se revelar. Eu já escrevia coisas quando era criança, cheguei a ser publicada em jornais locais, e gostava muito de escrever na escola (apesar do pouco incentivo para se escrever ficção no ambiente escolar). Mas acho que só percebi mesmo que queria isso pra minha vida quando era adolescente e comecei a escrever fanfics de Harry Potter; foi quando percebi quão grande era o prazer de escrever, ser lida e ouvir a receptividade dos leitores. Mesmo assim, só comecei a escrever profissionalmente a partir de 2012.


Alameda dos Pesadelos é seu primeiro livro? Qual foi a inspiração para a história?

Alameda dos Pesadelos foi sim meu primeiro livro! A inspiração veio de um pesadelo que tive aos 17 anos. Sonhei com uma cena do livro, que acontece lá pelo capítulo 4 (quem já leu sabe o que é, quem não... spoilers! *fazendo a voz da River Song*).


Para o leitor é fácil associar dois lugares que são apresentados no livro, mas a Alameda pode ter várias interpretações. Como surgiu a ideia para a inserção da Alameda dos Pesadelos na história?

Nossa, é difícil dizer. Depois do sonho que tive e mencionei na pergunta anterior, a Alameda meio que apareceu naturalmente; só conseguia imaginar um local assim como cenário para abrigar os personagens de Vivian e Gabriel durante a história.


Como foi o “processo de nascimento” do livro Alameda dos Pesadelos?  Nos conte um pouco do seu caminho desde a ideia inicial até o lançamento do livro.

A partir daquele sonho que tive aos 17 anos, comecei a desenvolver todo o restante da história. Foi uma grande jornada escrever esse livro, demorei quase 10 anos para terminá-lo e publicá-lo desde a primeira ideia. Parei várias vezes de escrever, algumas porque não acreditava que publicaria, que chegaria a ser escritora... outras porque não sabia para onde a história queria ir. E, realmente, foi a história que me conduziu na escrita desse livro, vários acontecimentos dele surpreenderam a mim mesma. Por exemplo, no início eu detestava o Gabriel e depois ele foi me conquistando, comecei a me compadecer dele. Quando finalmente terminei de escrever, em 2012, saí procurando editoras e a que finalmente me acolheu foi a Cata-vento, com um projeto maravilhoso e que realizou um sonho. Sou muito grata à editora.


Você pretende escrever uma continuação para Alameda dos Pesadelos?

Uma continuação no formato de romance, não. Mas um tempo depois da publicação senti que a história precisava de mais algumas vozes, por isso escrevi dois contos, um narrado por Vivian e outro por Gabriel, que reuni na coletânea Dois Lados, Duas Vidas, também da Cata-vento. O livro serve como um complemento à Alameda dos Pesadelos, uma forma de entender melhor o que levou os personagens a se tornarem o que vemos no livro.


Que autor você gostaria de presentear com um exemplar de Alameda dos Pesadelos? Pode nos contar o motivo?

Raphael Montes. Ele é um autor brasileiro que admiro muito e que escreve terror de maneira magnífica (e perturbadora!). Seria uma honra que ele lesse meu livro do gênero que ele também escreve.



Está trabalhando na escrita de um novo livro? Pode nos contar um pouco da história?

No momento estou trabalhando na continuação do meu segundo romance, Inverso, publicado em maio pela Editora Draco. O nome desse novo livro é Reverso e ele fecha uma duologia. Mas o gênero agora é bastante diferente, dessa vez me aventurei em um romance Young Adult, com alguns toques de suspense.


Que gênero de livros você costuma ler e qual seu livro favorito?

Meu gênero preferido definitivamente é terror, suspense e thrillers, por isso mesmo meu primeiro livro seguiu essa linha. É difícil escolher um livro favorito, são muitos livros para ler e pouca vida para viver! Vou escolher uma das minhas melhores leituras esse ano: Caixa de Pássaros, de Josh Malerman.


Como você vê a literatura nacional nos dias de hoje?

Com otimismo! Acredito que seja um dos melhores momentos da literatura nacional: há novos autores despontando, fazendo sucesso, e as editoras finalmente estão se abrindo à produção nacional, assim como os leitores. Em setembro, estive na Bienal autografando e divulgando meu novo livro, Inverso, e senti o carinho dos leitores e a receptividade deles. É simplesmente mágico! Espero que toda essa energia se mantenha viva e que a literatura nacional floresça mais e mais!


O Fun’s Hunter e o Pausa Para Um Livro agradecem a sua participação em nosso especial “Mês do Terror”. Gostaria de deixar um recado aos leitores?

Eu que agradeço imensamente a vocês pelo convite, foi uma delícia responder à essa entrevista! Aos meus leitores, só tenho também a agradecer pelo carinho e por acompanharem meu trabalho. E aos leitores que ainda não conhecem, espero que leiam e que se divirtam com minhas histórias. Um escritor sem leitores não é nada, as histórias são de vocês! ;)







Sobre o Autor:
Paulo Cezar
Paulo Cezar é Administrador e Cofundador do blog, descobriu o fantástico mundo dos livros quando leu, pela primeira vez, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. Além dos livros, também é apaixonado por filmes e séries.


9 comentários:

  1. Gostei muito de conhecer um pouco mais sobre a Karen, fiquei ainda mais curiosa para ler Alameda dos pesadelos, já que foi inspirado num sonho/pesadelo dela. Também fico feliz que atualmente autores nacionais são mais valorizados. Desejo sucesso a Karen! Um beijo

    ResponderExcluir
  2. Paulo, gostei muito do livro Alameda dos Pesadelos. Logo, a entrevista com a Karen Alvares foi muito bem-vinda. Gostei bastante de conhecer um pouco mais da autora e, principalmente, das ideias iniciais para a construção do seu primeiro livro. Gostei bastante!

    ResponderExcluir
  3. Que fofa! É muito legal você ter um pesadelo e "Vou escrever um livro" hahaha Adorei saber que a Karen demorou um certo tempo para finalizar o livro, fazendo com que ela, nesse meio tempo, adquirisse mais experiência! Li Caixa de Pássaros nesse ano e, assim como ela, achei o livro espetacular! Eu já pretendia ler O Vilarejo, do Raphael Montes, e depois desse comentário, eu já quero! Alameda dos Pesadelos já está na minha lista de compras! Amei a entrevista <3

    ResponderExcluir
  4. Paulo!
    Muito bom poder conhecer o processo de formação do livro da Karen.
    Interessante saber que ele veio de um sonho, porque o sonho é a junção do imaginário com nossas experiências diárias.
    Desejo sucesso!

    “Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo.”(Friedrich
    Nietzsche)

    cheirinhos

    Rudy

    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  5. Eu senti pela resenha que esse é um livro meio perturbador, mas saber que a autora sonhou com a ideia é mto estranho, acho que piraria se tivesse um sonho assim! Gostei dela não resolver fazer continuações do livro, as vezes o livro é mto bom e resolvem fazer continuações que acabam com a história

    ResponderExcluir
  6. Eu admiro demais a trajetória da Karen no universo literário, acredito que ela tenha conquistado seu espaço por merecimento e talento, o que não é uma coisa que se vê muito hoje em dia, principalmente no cenário brasileiro. Já li alguns dos contos da autora, e é perceptível o dom que ela possui para envolver o leitor na história. Adorei a entrevista, só me deixou mais curiosa com relação a Alameda dos Pesadelos!

    ResponderExcluir
  7. Gostei bastante da autora. Explicativa, direta ao ponto e simpática. Foi muito interessante saber de onde surgiu a inspiração para seu primeiro livro porque eu já havia pensado nessa questão. Alguns sonhos são tão incríveis q merecem virar livros.


    beijo

    ResponderExcluir
  8. Olá!!
    Amei conhecer um pouco sobre a Karen Alves, nossa a ideia do livro surgiu de um sonho amie, se eu tivesse o talento dela desesvolveria meus sonhos também que são bem macrabos rsrs
    Bjocas

    ResponderExcluir
  9. Eu acho bacana demais saber um pouco mais dos autores, e a Karen Alves é uma autora que tenho muita vontade de ler, já gostei de saber que o gênero dela é o terror, pq adoro esse gênero tbm rsrs

    ResponderExcluir