postado por Funs Hunter em 19 outubro 2015

Resenha | Cerberus: Entre Cobras e ursos


          

Os mordecais são seres que vieram provavelmente do Inferno, ou algo parecido a um plano maligno, enfim, eles têm verdadeira repulsa pela fé verdadeira e tudo que for abençoado por um padre pode afetá-lo. o alho não possui nada especial, poderiam ser cebolas, poderiam ser cebolas, o que realmente precisa existir é a benção por alguém de fé em cima do objeto.
Página 27
O que você faria se o mundo não fosse como antes? Se seres sobrenaturais (extraplanares) dominassem a noite e aterrorizassem povoados?
Quando isso aconteceu o Vaticano criou a Academia de Caçadores. São escolas que preparam jovens para a caça a esses seres; e é em uma dessas academias que a história começa.

Renan é um jovem da Academia Cerberus, localizada no Brasil, e aos poucos, e sem perceber, foi montando o seu grupo de caçadores. Nenhum caçador luta sozinho e, além de Renan, Mônica, Caio, Sebastian, João Pequeno e Ilian embarcam nessa aventura.
As aulas transcorrem normalmente, mas algo de perigoso escapa e pode acabar com essa tranquilidade dos jovens estudantes. Cabe a eles descobrir e impedir o que está sendo planejado. Se será possível, somente os caçadores irão descobrir!



A garota aproximou-se da mulher e chamou-a. Não houve resposta e Mônica tentou novamente. Um terror súbito subiu-lhe a garganta quando virou a mulher. Estava sem os olhos! Sangue seco coagulara nas órbitas e em suas bochechas transformando seu velho rosto em uma máscara de horror.
Página 69
Cerberus: Entre Cobras e Ursos foi o primeiro livro recebido da editora Tribo das Letras e confesso que me surpreendi com a história criada por Leonardo Monte. Existem alguns pontos negativos por conta da edição, mas o enredo é completamente instigante!
A Academia Cerberus é um lugar rigoroso em todos os sentidos. Existem aulas teóricas e práticas, de estudo da fé a lutas em equipe. Os professores querem tirar o máximo deles, mesmo eles não tendo nenhuma aptidão apara aquela área.

Renan e Ilian são os corsos do grupo, são guerreiros. Ilian é meio vampiro e uma grande ajuda para o grupo. Caio é o armeiro, membro responsável por cuidar das armas e armaduras, consertá-las quando preciso e forjar novas se necessário.
Mônica é a artilheira, perita no uso do arco e da besta de repetição; a melhor que Renan já viu nos últimos anos. João Pequeno é o cão de guerra, a força bruta e responsável por abrir caminho aos outros. Sebastian é o padre que fecha o grupo. Os jovens sem habilidades para as armas e combate são treinados para serem padres. Ele demonstrará o verdadeiro poder da fé verdadeira!
O que o destino planeja para esses jovens ainda é incerto!

Como de costume, entre as academias acontece uma espécie de olimpíadas entre os estudantes. A Academia Cerberus será a sede das Olimpíadas inter-colegiais este ano. Sim! Aposto que alguém lembrou de uma outra série onde um torneio assim também acontece, mas a semelhança acaba aí. Essas olimpíadas podem ser cruéis e mortais. As armas sempre são sem o fio de corte, mas não significa que alguém não saia ferido ou com algum osso fraturado.


– Foraaaa! – o grito de Sebastian ecou por todo o subsolo e era um misto de raiva e paixão. Izidro que olhava atônito ao exorcismo mais bizarro que já presenciara jurou ter ouvido a voz angelical de algum ser em coro com a voz do garoto.
Página 125
O rumo que a história leva é totalmente inesperado e o autor merece minha admiração por isso. Os acontecimentos não se arrastam e levam sempre a algo maior que se relaciona perfeitamente com toda a história.
O final é devastador para quem acompanhou o grupo, algo que não imaginei que poderia acontecer. Mas também mostra o que alguém é capaz de fazer em busca de poder e reconhecimento.

A capa mostra o mundo devastado, causado pelo medo, força e magia dos extraplanares que ninguém sabe ao certo de onde surgiram. Ela não possui nenhum efeito, mas chama a atenção e desperta a curiosidade do leitor. A revisão deixa um pouco a desejar, com frases com palavras que não deveriam estar lá, falta de palavras em outras... Incomoda, mas não interfere no entendimento do que está acontecendo. A diagramação conta com detalhes especiais (imagem e fonte) na abertura de cada capítulo. Não sei se é intencional ou falha na hora da impressão, mas em alguns capítulos a imagem só aparece algumas páginas depois e não no início.

O arco se fecha nesse primeiro volume, sem nos deixar uma pista do que esperar no segundo livro da trilogia. Mas pela aventura que os amigos viveram aqui, pouca coisa não vai ser. Com certeza o autor ainda guarda muitas surpresas para a história!

Avaliação


As 3 edições do livro


Cortesia da editora







Sobre o Autor:
Paulo Cezar
Paulo Cezar é Administrador e Cofundador do blog, descobriu o fantástico mundo dos livros quando leu, pela primeira vez, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. Além dos livros, também é apaixonado por filmes e séries.


12 comentários:

  1. Eu já vi algumas resenhas desse livro e gostei muito, tenho esse livro aqui, ainda nao li mas vou ver se encaixo em minhas proximas leituras, eu gosto desse gênero, seres sobrenaturais, mundo devastado *-*

    ResponderExcluir
  2. Paulo, eu imaginava uma coisa totalmente diferente para Cerberus, pois até então não havia percebido o seu sub-título, Entre Cobras e Ursos. A Academia de Caçadores criada no Vaticano já é altamente suficiente para chamar a nossa atenção para o livro, mas para aumentar ainda mais nossa ansiedade há um furo, uma abertura sobrenatural para a entrada de um maldito vilão, risos. Bem, fico feliz que o autor tenha surpreendido em sua escrita e te agradado. Pretendo ler!

    ResponderExcluir
  3. Paulo, o livro está sendo revisado e editado novamente com todo o capricho para uma nova edição, também será feita uma nova diagramação ;)

    ResponderExcluir
  4. A capa do livro me atraiu de cara, por conta desse cenário de destruição. Além disso, eu gostei bastante da história. O mundo que o autor criou aparenta ter sido incrível, e sem falar que o livro é repleto de reviravoltas. Adorei!

    ResponderExcluir
  5. Alessandra Fernandes20 de outubro de 2015 22:53

    Oi Paulo! Eu ainda não conhecia esse livro, achei o enredo muito curioso, e o instituto que o autor criou é fantástico, fiquei realmente interessada em conhecer um pouco mais. Gosto muito de histórias que se passam em um ambiente apocalíptico, elas são sempre as mais surpreendentes.
    É um tipo de leitura que não costumo fazer, mas eu gostei e quem sabe mais pra frente eu venha ver.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia esse livro, curto muito história com seres sobrenaturais, fiquei bastante interessada em conferi essa trilogia.

    ResponderExcluir
  7. Gostei bastante da historia, e esses erros de edição acabam sendo irrelevantes quando se trata de um enredo tão fascinantes, e eu particularmente gostei bastante dessa historia envolvendo o vaticano ja vi que vou me envolver bastante com os personagens principais da Cerberus, amei as paginas também.

    ResponderExcluir
  8. Embora não seja mto bem meus estilo eu gostei da história, principalmente por ser de um autor brasileiro, acho que eles tem evoluído bastante, tornando suas histórias tão boas e interessantes quanto os autores internacionais, fiquei bem intrigada pelo que vc falou do desfecho, quero mto ter a oportunidade de lê-lo!

    ResponderExcluir
  9. Paulo!
    Menino! Estou com esse livro aqui para leitura e nem sabia que era tão bom.
    Vou ter de priorizar a leitura dele, porque fiquei tão curiosa por desvendar todos os segredos do livro.
    Obrigada.

    “Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo.”(Friedrich
    Nietzsche)

    cheirinhos

    Rudy

    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  10. Fiquei intrigada com a capa, ela me deu bem a ideia do mundo devastado, como tu comentou na resenha, acho que a intenção foi exatamente essa, então o trabalho foi muito bem feito. Quanto ao enredo, achei interessante o mote principal do livro, mas fiquei com impressão de que ele se perde em algum momento da história, com a chegada das Olimpíadas. Talvez na hora da leitura essa impressão seja desfeita, mas foi isso que a primeira impressão me demonstrou. Mesmo assim, pela ação frenética do livro, acredito que a leitura valha a pena, sim.

    ResponderExcluir
  11. Gostei da capa, a história também parece bem interessante. Mas onde vai as cobras e os ursos? Acho que só lendo mesmo. Gostei que o autor priorizou o Brasil, com local da Academia e nos nomes dados aos personagens.Quando tiver a oportunidade irei ler. Um beijo

    ResponderExcluir
  12. Não conhecia o livro e fiquei animada quando vi Brasil na resenha. Adorei!

    A história parece fascinante por ser algo diferente do que venho vendo ultimamente e com certeza teria uma ótima aventura pelas páginas. Vou conferir a obra!


    beijo

    ResponderExcluir