postado por Funs Hunter em 12 outubro 2015

Resenha | O Protegido


          

– Ele se escondeu no porão porque estava com medo de morrer e se matou porque estava com medo de viver – disse Arlen. – Melhor se ele tivesse pegado uma machado e morresse lutando.
Página 48

Quando as proteções ainda não eram conhecidas e os terraítas assolavam a humanidade durante a noite, tudo parecia estar perdido. A Era da Ignorância não foi fácil a todos os habitantes.
Com a descoberta das proteções, e principalmente de uma que feria os terraítas, deu-se inicio a Era do Salvador e a Primeira Guerra das Trevas.
Com o desaparecimento dos terraítas, começou a Era da Ciência; e os humanos viveram tranquilamente por alguns milênios, até que as proteções, principalmente as de guerra, foram parcialmente esquecidas e os terraítas estavam livres para voltar. Começou a Era da Destruição e a Segunda Guerra das Trevas.

Arlen vive com a família no Riacho de Tibbet, as casas são protegidas com os símbolos que impedem o ataque dos terraítas, mas uma vez ou outra eles acabam encontrando alguma falha nas proteções e conseguem atacar e se alimentar. É em uma noite que parecia que tudo ficaria tranquilo que tudo acaba dando errado. Ao todo, 27 pessoas ficaram entre os mortos e desaparecidos. A mãe de Arlen foi atacada algum tempo depois, o que levou o jovem a uma busca na tentativa de encontrar uma forma de salvá-la. Se torna aprendiz de um protetor.
Leesha é uma moradora da Clareira do Lenhador e está prometida em casamento a Gared, jovem cobiçado pelas outras garotas. A Clareira também vivencia um ataque e Leesha acaba ajudando a velha ervanária no cuidado dos feridos. Uma mentira faz com que a jovem perca o seu prestígio alguns dias depois. Tentando esquecer o ocorrido e descobrindo algo que lhe faz bem, ela aceita ser a aprendiz de Bruna, a ervanária.
Rojer perdeu os pais em um terrível ataque, somente ele e Arrick, o menestrel que acompanhava o mensageiro, se salvaram. O jovem, apesar da pouca idade e de perder parte dos dedos no ataque, se torna o aprendiz do menestrel. Sua vida não será fácil, já que seu tutor perdeu completamente a fama que possuía.

O que os três jovens aprendizes nem imaginam é que o destino os irá unir e a salvação pode estar nas mãos deles!


– Queria que os terraítas a tivessem levado na noite passada – murmurou.
O pai ergueu os olhos para ela e falou:
– Não diga uma coisa dessas. De ninguém. – Ele lançou um olhar duro para Lessha até ela concordar coma  cabeça. – Além disso, eles provavelmente a devolveriam – acrescentou, com tristeza.
Página 111

Além de ter sido o primeiro livro da Darkside Books que leio e ganhei, me apaixonei completamente pela história; claro que isso levou umas 100 páginas para acontecer!
O Protegido é o primeiro livro da série Ciclo das Trevas, e não falha no que promete. O livro todo é uma mega introdução da história, mostrando os personagens ainda jovens e em treinamento. Também nos conta o que os levou a se decidir pelo destino que escolheram.
Sim! Não nego que achei o início chato e um pouco arrastado e achei que levaria muito tempo para terminar a leitura. Em determinado momento, as coisas começam a acontecer de forma que eu não queria mais parar de ler até descobrir o que aconteceria com cada um dos três personagens, já que eles viviam em lugares diferentes.
Ver o crescimento de Arlen, Leesha e Rojer, a motivação que os levantava a cada dia foi uma ótima experiência. O jovem aprendiz de protetor ainda mantém a sua vontade de se tornar um mensageiro e, em determinado momento após quase concluir seus 7 anos de aprendizado, ele parte em uma nova grande aventura. Aventura essa que lhe mostrará o poder de uma grande arma que a muito estava esquecida.
Leesha agora é respeitada por todos que um dia acreditaram na mentira de seu prometido. Mas a sua jornada não está mais na Clareira do Lenhador. A jovem, agora ervanária, ajuda a curar Rojer. Ele e Arrick foram atacados por outro menestrel, o jovem quase teve o mesmo fim do homem que o criou após a morte de seus pais; sua sorte foi ter caído nas mãos de Leesha.


A construção dos personagens é fantástica, até os demônios e proteções chegam a surpreender! Os terraítas são demônios de vários tipos: fogo, madeira, terra, vento, rocha... e são incapazes de cruzar um círculo de proteções bem construído. O problema é que nenhum dos símbolos pode ser "escondido" pela chuva, lama, areia ou qualquer outra coisa. Isso tira todo o seu poder!

Demônio (terraíta) de Rocha

A história é realmente fantástica e a introdução, que eu achei um pouco parada no início, é extremamente necessária e pertinente aos acontecimentos futuros, já que boatos de que O Protetor finalmente retornou estão surgindo pelos povoados. Um homem com o corpo coberto de símbolos de proteção... Tal necessidade nasceu após ele ter sido traído por alguém em que confiava a sua vida.

A edição da Darkside é belíssima! Em capa dura e soft touch, a diagramação está de encher os olhos, o livro é dividido em quatro partes e cada abertura está em folha preta com o círculo de proteção. Encontrei alguns erros durante a leitura, mas o que não gosto mesmo é o erro no nome de personagens, coisa que acontece nessa edição.

Sem dúvidas irei acompanhar a série, que já tem o segundo livro chegando por aqui!

As duas primeiras capas são as que temos no Brasil. As dos livros #3 e #4 são as capas que eu gostaria que a Darkside utilizasse.





Avaliação





Sobre o Autor:
Paulo Cezar
Paulo Cezar é Administrador e Cofundador do blog, descobriu o fantástico mundo dos livros quando leu, pela primeira vez, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. Além dos livros, também é apaixonado por filmes e séries.


12 comentários:

  1. Eu tenho bastante vontade de ler os livros da DarkSide, já que estou interessado em vários livros da editora, mas eu ainda não tive a oportunidade de ler nenhum. Vendo sua resenha de O Protegido, eu fiquei louco para lê-lo. Além da história ter me agradado, por envolver demônios e conter uma história bem intensa, eu adorei o fato de que os personagens são bem construídos. Sem falar que as capas da série são incríveis!

    ResponderExcluir
  2. Paulo, esta série, Ciclo das Trevas, já havia me interessado. Porém, agora estou super satisfeito com sua opinião sobre o livro e a minha curiosidade para ele só aumenta. O que mais me interessou no livro foi a divisão de suas épocas, como Era da Ignorância, Era do Salvador, Era da Ciência, entre outros. Como gosto de histórias deste tipo, minha ansiedade é cada vez maior para o livro.

    ResponderExcluir
  3. ADOREI O LIVRO. Pelo menos o que foi apresentado na resenha. O mundo criado me surpreendeu e é completamente diferente do que já li. Adoro conhecer novos cenários. É incrível a imaginação que certos autores têm.
    Gostei bastante do livro e vou querer acompanhar a série também.
    Das capas, a que eu mais gostei foi a primeira. Do Brasil mesmo. Pra mim é a melhor.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. É incrível!!! Eu não achei o início chato..shausha
    Cada parte, cada detalhe foi calculado maravilhosamente bem e saiu essa lindeza toda! E o design do livro é realmente INCRÍVEL! Altamente recomendável!

    ResponderExcluir
  5. Alessandra Fernandes13 de outubro de 2015 22:12

    Oi Paulo! Darkside faz um trabalho surpreendente com capas, né?!. E esse não seria diferente.
    Gostei muito de ler sua resenha e saber que a história nos traz um mundo de fantasia, com personagens únicos e histórias capazes de conquistar a todos.
    Estou curiosa para adquirir esse livro e ser fisgada por essa narrativa incrível.
    Abçs!

    ResponderExcluir
  6. Olá amor.


    Adorei sua resenha. Por mais que você tenha chorado para mim dizendo que o livro era parado, e depois se animado com a leitura e terminou dizendo "Tamiris, LEIA!" <3
    (Que eu vou fazer por sinal, até já comprei. Confio em você cegamente. )


    Adorei que tenha gostado, adorei sua empolgação e espero que o segundo livro (<3) lhe agrade como o primeiro.


    Beijos, te amo.

    ResponderExcluir
  7. Oii sei bem como é isso de a historia no começo ser chata e vc achar que vai demorar pra terminar o livro, já aconteceu isso comigo, igualzinho, o livro no começo foi super chato, cheguei a pensar em abandonar, mas depois o livro deu uma engrenada e vc nao conseguia parar de ler...rsrs
    os livros d Darkside tem as melhores capas, a editora é muito phoda nesse quesito...hahahaha
    Apesar de ser parado no começo fiquei interessado em ler, agora já sei que o começo é meio chato mas que melhora, melhor do que se fosse ao contrario né, imagina se fosse aquela coisa maravilhosa no começo pra depois ficar ruim... hahahahaha

    ResponderExcluir
  8. Vejo falarem muito bem dessa serie, mais também pelo que parece é realmente muito boa a historia, quando a leitura é assim arrastada é terrível parece que nunca vai acabar, mais claro temos que dar uma chance e esperar as coisas acontecerem principalmente quando é serie porque o primeiro livro busca dar uma introdução mais longa pra que se possa entender os desenrolar das coisas.

    ResponderExcluir
  9. Adorei as capas mto lindas, mas a história não faz muito meu estilo. Não sou mto fã de histórias de demônios e essas coisas, em filmes sim, mas em livros sempre acabo desistindo, não sei o porque então desisti de tentar lê-los!

    ResponderExcluir
  10. Paulo!
    A série parece muito boa, poder juntar 3 jovens para uma grande saga.
    A capa é fabulosa.
    Em breve quero poder ler.

    “Tudo é precioso para aquele que foi, por muito tempo, privado de tudo.”(Friedrich
    Nietzsche)

    cheirinhos

    Rudy

    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    Participem do nosso Top Comentarista, serão 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  11. Paulo, depois dessa resenha quero ler, deu vontade e curiosidade pelo seu entusiasmo com que resenhou o livro. A capa é linda, bem caprichada e em capa dura deve ser demais, a Darkside sempre capricha nas capas. Achei interessante o fato do livro acompanhar a evolução e o crescimento dos personagens.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  12. Eu amo todas as publicações da editora, acho que eles tem faro para boas histórias. Fiquei um pouco confusa no início, confesso, e acho que por isso essa introdução a que tu se refere, apesar de um pouco mais lenta que o restante do livro, ser tão importante. Gostei dos elementos que a história mistura, acho que isso dá uma complexidade grande ao enredo. A edição tá linda, como já é característica da editora!

    ResponderExcluir