postado por Matheus em 30 outubro 2015

[Clássicos do terror] Review | O Exorcista (1974)

Boa noite, hunters! Aproveitando esse finzinho do Mês do Terror no blog??? Devido à alguns motivos, acabei atrasando as reviews dos filmes que prometi, mas se preparem que amanhã, dia 31, terá maratona de reviews aqui no blog a partir das 18:00! Fiquem ligados e não se esqueçam da promoção surpresa que eu prometi. Notícias em breve...


Direção: William Friedkin
Duração: 2h 2min
Lançamento: 1974
Gênero: Terror


Sinopse

Em Georgetown, Washington, uma atriz vai gradativamente tomando consciência que a sua filha de doze anos está tendo um comportamento completamente assustador. Deste modo, ela pede ajuda a um padre, que também um psiquiatra, e este chega a conclusão de que a garota está possuída pelo demônio. Ele solicita então a ajuda de um segundo sacerdote, especialista em exorcismo, para tentar livrar a menina desta terrível possessão.




Sempre que se fala em filmes clássicos de terror um dos primeiros nomes que vêm à mente de muitas pessoas é O Exorcista. Lançado em 1973, o filme foi o primeiro grande sucesso do gênero nos cinemas: mesmo com seu orçamento curto de 12 milhões de dólares, o filme conseguiu arrecadar mais de 400 milhões em bilheteria. O motivo disso é óbvio, O Exorcista era algo assustador, mas prazeroso de se ver; algo nunca antes visto nas telas do cinema.

Chris MacNeil é uma atriz de cinema que se dedica muito a seu trabalho; mesmo assim, ela ainda acha tempo pra cuidar sozinha de sua filha Regan. A vida de Chris segue da melhor forma possível, com uma carreira sendo construída e com uma ótima relação com sua filha. Mas tudo muda quando ela começa a perceber comportamentos estranhos em Regan. Chris percebe que tudo aquilo é realmente estranho quando Regan urina na sala da casa durante uma festa dada por ela. A partir de então, as coisas só tendem a piorar.
Depois de uma longa bateria de exames, Chris é recomendada a procurar ajuda religiosa, já que nenhum exame conseguiu identificar nada em Regan. É assim que ela [Chris] chega à Damien, um jovial padre dedicado a sua religião, mas desacreditado de sua fé. Relutante, ele decide ajudar Chris e sua filha, mas percebe que a força maligna que está em Regan é grande demais, e apenas um exorcismo será capaz de acabar com ela.
Enquanto Damien procura um jeito de ajudá-la, Regan vai piorando seu estado à medida que o demônio dentro dela mostra o quão poderoso e assustador ele consegue ser, fazendo com que a vida de todos à sua volta se torne um verdadeiro inferno.

É impossível citar todas as inovações que O Exorcista trouxe ao cinema como um todo. O primeiro deles talvez seja simplesmente sua seriedade.
Antes de O Exorcista houve vários filmes de terror que foram levados à sério pelo público e crítica, caso de O Bebê de Rosemary. Mas O Exorcista teve um alcance de público gigantesco, e mesmo assim continuou sendo levado à sério por boa parte da crítica. O fato de ele ter se tornado o primeiro filme de terror indicado ao Oscar de melhor filme comprova isso. Mesmo não tendo ganho o prêmio, o filme levou os merecidíssimos prêmios de som e roteiro. Destaque para o último, é claro! William Peter Blatty desenvolveu um trabalho magnífico sobre seu próprio livro, conseguindo manter o mesmo estilo obscuro e tenebroso do livro nas telas do cinema.
Mas se o filme se tornou a maravilha que é isso em muito se deve à Friedkin, que dirigiu o filme da melhor forma possível! A década de 70 continuava sendo um tanto fechada, não aceitando grandes escândalos cinematográficos. Mas Friedkin não ligou pra isso, e por isso não economizou em cenas pesadas que giram em torno de sexo ou religião, temas extremamente fortes para um filme co-protagonizado por uma criança.
Contudo, o mais fantástico do filme é que nenhuma cena, por mais forte e polêmica que seja, soa desnecessária. Tudo faz parte de uma reflexão muito maior sobre a própria religião; por mais que no livro esta reflexão esteja muito mais visível, ela também está no filme, pronta pra ser refletida por aqueles que conseguirem se concentrar em algo além de todo o terror que está vendo.


Ellen Burstyn nunca esteve mais incrível que em O Exorcista (desconsiderando Réquiem Para um Sonho, é claro); sua atuação como a mãe aterrorizada de uma menina possuída é incrível, conseguindo demonstrar drama e terror na medida certa. Mas não tem como tirar os olhos de Linda Blair quando ela está em cena. Um verdadeiro show de atuação! É delas uma das cenas mais emblemáticas de filmes de terror, onde Ellen, sendo jogada contra a parede, realmente se machuca, soltando um grito de dor verdadeiro e que permaneceu na edição final do filme. É por essas e outras e outras que O Exorcista acabou se tornando um clássico. Nada mais justo.

Avaliação






Sobre o Autor:
Matheus
Matheus é Colaborador do blog, cinéfilo de carteirinha, leitor compulsivo e aficionado por música. Quando não está lendo, pode-se vê-lo re-assistindo Kill Bill ou então ouvindo música com os seus fones inseparáveis.


11 comentários:

  1. Matheus, O Exorcista é considerado, até os dias atuais, um dos filmes mais assustadores já lançados, se não o mais. Eu não tenho muito conhecimento sobre a sua história, ou melhor, não tinha. Gostei muito do começo do filme envolver artes, o teatro em específico, como profissão da cuidadosa mãe Chris. O comportamento de Regan é, realmente, muito estranho. Creio que despertar o pavor do exorcismo não foi uma boa ideia, risos.

    ResponderExcluir
  2. Olá!!
    É o que acho, não tem como falar em clássicos do terror sem falar em Exorcismo sem falar no "Exorcista" devo ter assistido esse filme ais 12 anos e foi o primeiro de uma sequencia enorme, amo o gênero e quando tem demônios pelo meio mais ainda. Sua resenha ficou super bacana deu vontade de assistir de novo
    Bjocas

    ResponderExcluir
  3. Esse filme aparentou ser muito bom, porém não tenho coragem de assistir. Pelo menos não sozinha. A história em si é arrepiante e pelas imagens que eu já vi, parece ser muito sinistro. Realmente, não tenho coragem!


    Beijo

    ResponderExcluir
  4. Nunca consegui assistir esse filme, só algumas cenas que eu já vi me deixaram morrendo de medo

    ResponderExcluir
  5. O Exorcista é um dos meus filmes preferidos há algum tempo. Como sou apaixonada pelo gênero terror, é impossível não amar esse filme também. Além das inovações tão bem destacadas por ti e dos assuntos polêmicos que ele evoca, a aura de medo e obscuridade que o envolve me fascina, não tem como não se sentir perturbado após assistir a esse longa. Acredito que por isso ele tenha sido esse sucesso todo: porque realmente mostrou a que veio!

    ResponderExcluir
  6. Nooossa eu já assustei muito vendo O exorcista viu, nossa muito mesmo hahahahaha
    Mas é muito bom, é um clássico mesmo, eu tenho vontade de ler o livro, teve um amigo meu que leu e disse que era muito bom

    ResponderExcluir
  7. Ah O exorcista é o filme que não me arrisco a assistir sozinha, tenho muito medo. Acho que nunca consegui assistir inteiro. É um clássico insuperável, vi vários filmes de exorcismos depois desse, mas nenhum chega a ser tão bom ou melhor.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  8. Conheço várias pessoas que sentem medo desse filme, eu nunca o vi até fazer 21 anos, sempre tive medo pelo que as pessoas falavam mas depois de assistir me decepcionei um pouco, é um filme mto bom, um clássico mas medo não dá, senti mais medo no exorcismo de Emily Rose do que nesse, mas é sim um bom filme e recomendo para quem gosta de um bom clássico do terror!

    ResponderExcluir
  9. Acredita que eu nunca assisti O Exorcista? Já vi partes do filme, mas nunca o assisti por completo. Apesar disso, sei bastante sobre a história, principalmente os mistérios que aconteceram durante as gravações. Espero não demorar mais do que eu já demorei para assisti-lo. Adorei esse clássico aqui no especial!

    ResponderExcluir
  10. O livro é simplesmente genial! Ele consegue botar tanto medo no leitor quanto o filme. É um dos meus livros favoritos! ♥

    ResponderExcluir
  11. Eu também sentia muito medo pelo que ouvia. Mas um dia me encorajei e fui assistir hahaha
    Olha, já vi algumas pessoas dizendo que também não sentem medo nesse filme. Então você não está sozinha! :p

    ResponderExcluir