postado por Matheus em 05 dezembro 2015

Resenha | Jurassic Park



          

Em inúmeras vezes a literatura se propôs a questionar o leitor sobre os limites da ciência. Com o passar dos anos e com o avanço incontrolável da ciência cada vez mais obras de ficção começaram a investir nesse tema. De certa forma, uma das mais marcantes ainda é Jurassic Park. Mesmo ofuscado pela fama dos filmes nos cinemas, o livro ainda mantém seu espaço entre as grandes obras de ficção científica parar refletir.
Os cientistas estão, na realidade, preocupados com realizações. Então, estão concentrados em descobrir se podem fazer alguma coisa. Eles nunca param para se perguntar se eles deveriam fazer alguma coisa.
Pág. 366



A ilha Isla Nublar, que se encontra perto da Costa Rica, é um grande mistério. É de conhecimento de muitos que o multimilionário John Hammond está investindo pesado na ilha, mas pouco se sabe sobre os detalhes do que ele planeja.
O paleontólogo Dr. Alan Grant e sua aluna Ellie Sattler acham um tanto estranho quando são levados a uma visita de fim de semana à Isla Nublar. Chegando lá, percebem que eles não são os únicos que passarão um fim de semana na “reserva biológica” de Hammond. O matemático Ian Malcolm e o advogado Donald Gennaro, que representa os investidores do projeto, também participarão dessa visita, além dos netos de Hammond, Lex e Tim Murphy.
Todos ficam extremamente perplexos quando descobrem que a ilha é um verdadeiro parque de dinossauros. Com uma tecnologia avançada, eles conseguiram reconstruir o DNA de dinossauros a partir do sangue encontrado em mosquitos da época que foram presos e preservados em âmbar. Mas aos poucos a euforia de todos vai dando espaço ao receio, já que nenhum dos visitantes imaginou os problemas que aquele parque poderá vir a ter. Realmente um problema ocorre, e os sistemas de segurança do parque são desligados. Com dinossauros praticamente soltos, os problemas que podem acontecer são inúmeros, e não demora a eles aparecerem, afetando os visitantes da forma mais aterrorizante possível. Afinal de contas, estamos falando de um parque que possui um tiranossauro rex!
Nós não recriamos o passado aqui. O passado se foi. Não pode ser recriado jamais. O que fizemos foi reconstruir o passado; ou ao menos uma versão do passado.
Págs. 167-168

Em ambos os filmes da série Jurassic Park a tensão é algo constante. É impossível não vibrar em inúmeras cenas e é ainda mais impossível não se arrepiar com o perigo iminente de quando o tiranossauro rex estava em cena. É fato que os filmes são muito mais famosos que o próprio livro; então, a todos que lerem o livro esperando a mesma experiência que a do filme, é melhor ir com calma.
Primeiramente, é bom destacar a forte descrição científica presente em grande parte do livro. Michael Crichton se mostra preocupado em dar toda uma base teórica a sua história, e consegue isso de fato. Tudo bem que boa parte destas passagens teóricas são extremamente científicas e, por muitas vezes, maçantes, mas é visível a facilidade de Crichton em desenvolver sua história em dois terrenos completamente opostos: a ciência e a aventura. Mesmo não conseguindo prender a atenção do leitor em todo momento, sua escrita continua muito boa.
Porém, é óbvio que boa parte da tensão vista nos filmes também está presente aqui, em doses tão fortes quanto. Quando enfim toda a aventura começa são incontáveis as passagens onde sentimos aquele frio na espinha, tudo devido aos perigos passados por todos os personagens; quando tem um tiranossauro rex envolvido na passagem a tensão fica ainda maior. Mas os velociraptors não ficam muito atrás, já que é deles uma das passagens mais amedrontadoras do livro, incluindo apenas Lex e Tim, os netos de Hammond.
Como já foi ressaltado no começo dessa resenha, Jurassic Park possui uma grande reflexão incluída em sua história. Por mais clichê e batida que seja, a forma como Crichton desenvolve sua reflexão de “quais os limites da ciência?” é ótima, conseguindo fazer o leitor parar e refletir sobre isso. Além do mais, ele sabe usar frases de impacto como ninguém, não exagerando nelas, mas sempre as colocando em cena quando quer “chocar” o leitor.


Pegando carona na fama gigantesca de Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros, a Aleph decidiu relançar Jurassic Park esse ano. E não poderia ter feito um trabalho mais incrível! Com uma capa minimalista, mas ótima, o destaque dessa edição fica por conta da coloração vermelha utilizada nas laterais das páginas e por seu próprio interior, que conta com um ótimo design. Essas características podem fazer um leitor e colecionador aficionado adquirir o livro apenas por sua beleza, mas se essa pessoa se aventurar a lê-lo provavelmente não se decepcionará.  
-Vamos ser claros. O planeta não está em risco. Nós estamos em risco. Não temos o poder para destruir o planeta, nem para salvá-lo. Mas talvez tenhamos o poder para salvar a nós mesmos.
Pág. 466

Avaliação:




Sobre o Autor:
Matheus
Matheus é Colaborador do blog, cinéfilo de carteirinha, leitor compulsivo e aficionado por música. Quando não está lendo, pode-se vê-lo re-assistindo Kill Bill ou então ouvindo música com os seus fones inseparáveis.


19 comentários:

  1. Alessandra Fernandes6 de dezembro de 2015 20:49

    Infelizmente ainda não pude me desfrutar do livro Jurassic Park, mas posso dizer que assistir ao dois filmes lançados e sei o quanto foi esplêndido. Sou apaixonada por filmes que mostram ação, nos causa diversas emoções (a cena onde o tio.rex está presente, sempre nos dá uma tensão, né?), e esses não ficariam de fora da minha lista dos preferidos.
    Amei a resenha, e espero poder ler essa obra clássica em breve.

    ResponderExcluir
  2. Geralmente, quando há muitos detalhes científicos, os filmes acabam ficando "melhores", por serem mais dinâmicos e empolgantes.
    Nunca li o livro, mas, já vi os filmes. Gosto muito da história e, mesmo não tendo lido o livro, acho que a base téorico-científica é convincente.
    Fiquei curiosa para ler. E essa edição ficou realmente lindíssima. *--*
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Matheus! Eu não sou um grande fã da ficção científica. Mas, Jurassic Park como livro conseguiu me atrair bem mais que o mesmo como filme. Com uma proposta mais aventureira e investigadora, o autor consegue envolver o leitor nos planos de John com a ilha e suas futuras ações. Com certeza daria uma oportunidade.

    ResponderExcluir
  4. Se você gosta dos filmes provavelmente irá adorar o livro! E irá amar essa edição maravilhosa hahaha

    ResponderExcluir
  5. Gostei da resenha do livro e tenho bastante interesse me ler, pois o tema me interessa bastante, ainda mais que esta tudo bem explicadinho no livro.

    ResponderExcluir
  6. rudynalvacorreiasoares22 de dezembro de 2015 17:51

    Matheus!
    Agora parece que os filmes viram livros ou vice versa.
    Pelo jeito aqui ficou maravilhosa a adaptação e a diagramação do livro aguça e traz curiosidade para leitura, além é claro, o tema dinossauros que é fabuloso.
    Adoro suas análises.
    Rudynalva Correia Soares

    rudynalva@yahoo.com.br

    Participo e mais tarde
    sairá divulgação no blog.

    “E que não somente o Papai Noel esteja presente, mas principalmente o
    motivo pelo qual o Natal existe: JESUS!” (Tamy Henrique Reis Gomes)

    cheirinhos

    Rudy

    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    Participem do nosso Top
    Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  7. Oi!
    Meu amigo tinha indica esse livro para mim ler e fiquei surpresa quando ele tinha me contado dessa reflexão sobre os limites da ciência o que me fez ficar muito interessada no livro só que ainda não tive tempo de ler e só assisti ao primeiro filme da franquia mas quero assisti esse novo !!

    ResponderExcluir
  8. meeeu, essa edicao ta MUITO linda, socorro, toda vez que vou na livraria fico pirando loucamente nela!
    Tô querendo ler mais ficçao cientifica, conhecer um pouco mais sobre esse universo e creio que Jurassic Park seria uma otima pedida. Além de que nunca li nenhum Michael Crichton, acredita? #shameonme
    Alias, até recentemente (tipo ano passado, eu acho) eu nao sabia que Jurassic Park era um livro :O Fiquei mto feliz quando descobri isso.

    E na vdd, eu meio que gostei do fato do Crichton tentar descrever as coisas científicas, sou meio que da área, entao me interesso bastante pelo modo como eles tentam trabalhar essas coisas na ficção!

    Valeu pela resenha, ótima sugestao, tá na lista com toda ctz!

    ResponderExcluir
  9. Ainda não vi o novo filme,o antigo marcou minha infância.
    Jurassic Park não é aquele livro que preciso imediatamente(especialmente por já conhecer a história),mas se tivesse oportunidade leria sim,a reflexão que ele instiga é super válida,adoro quando a leitura faz isso .
    Interessante esse último trecho.A edição está muito bonita.

    ResponderExcluir
  10. Matheus, confesso que quando vi o livro pensei ahh eu já sei tudinho que vai acontecer!! Mas aí que se engana, livros sempre sempre surpreendem, tem um detalhe a mais. Já anotado para ler, porque o filme é um clássico que faz um tempão que vi e lendo sua resenha rolou um flashback na cabeça. Só também não curto quando o autor insiste em se ater a detalhes, no caso detalhes científicos. Fora isso, bela resenha!
    Um beijo

    ResponderExcluir
  11. Não sabia que tinha o livro, já assisti os filmes várias vezes e gostei muito desse universo dos dinossauros!!

    ResponderExcluir
  12. Matheus, sua resenha ficou muito boa e explicativa. Eu gosto muito dos filmes de Jurassic Park, logo o livro me interessou à primeira vista, mas sua história é tão boa quanto minhas expectativas esperavam, a base científica foi muito bem apurada e outros detalhes científicos muito trabalhados. Não sabia do teor reflexivo da trama, gostei.

    ResponderExcluir
  13. Tudo que sei sobre Jurassic Park é o que assisti no filme. Depois não tive oportunidade de assistir ao segundo filme e ainda não li o livro também. Espero poder corrigir essa falha em breve. Gostei da resenha.

    ResponderExcluir
  14. Olá!
    Eu amoooo Jurassic Park, assisti todos os filmes... Tenho mta curiosidade em ler o livro e saber mais detalhes dessa história que pra mim eh uma das melhores já escritas!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  15. Oi.
    Eu amo o filme Jurassic Park, e confesso que estou louca apara ler o livro, me parece ser uma boa leitura, amei saber quer o livro fala também sobre as experiencias cientificas e tudo mais, não vejo a hora de ler as partes emocionantes do tiranossauro rex.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  16. Oi, Matheus.
    Eu amo de paixão Jurassic Park, cresci vendo os filmes e os assisto até hoje. Assim que a Aleph lançou esse livro, não resisti em comprá-lo. Amei a leitura porque é como se eu estivesse vendo algo antigo com uma nova roupagem e estou super ansiosa para a leitura do Mundo Perdido!! Nunca antes havia imaginado a questão filosófica e foi uma grata surpresa!
    Gostei muito da resenha!

    ResponderExcluir
  17. Adoro o filme é certo que vou gostar do livro, essa edição está linda.

    ResponderExcluir
  18. A capa deste livro realmente está demais. Amei. Sou apaixonada pelos filmes de Jurassic Park. Não perco um filme. E estou ansiosa pra ler este livro. Estou sabendo que é muito bom também. Não vejo a hora de ler.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  19. Oi!
    Querendo muito esse livro! Adoro os filmes, não canso de ver. E poder ler um livro rico em detalhes, será maravilhoso. A capa está um encanto. Adorei sua resenha,muito bem elaborada e motivadora. Abraços.

    ResponderExcluir