postado por Funs Hunter em 25 janeiro 2016

Resenha | Amém



          

"Todos os dias, quando eu acordo, morro um pouco mais."

Jesus é um detetive da Delegacia de Homicidios e faz parte da equipe da delegada Luzia. Na equipe também estão Lourenço, Jorge e Chico. O grupo é conhecido como "bonde do crediário" por serem de confiança e incorruptíveis.
Justo no seu dia de folga ele é convocado para ajudar em uma investigação. No dia de São Sebastião uma pessoa aparece morta amarrada em um poste e com três flechas em seu corpo. Coincidência ou não, o rapaz morto se chama Sebastião e, para infelicidade de todos, é irmão de um bandido que vive as suas regras.
O que Luzia e os demais desconfiam se mostra real, há um serial killer a solta, matando usando a religião como tema.
Ao mesmo tempo que eles precisam descobrir o assassino, também precisam acalmar o irmão de Sebastião, Vela Preta, que atacou a Unidade Pacificadora em retaliação.
O assassino não deixa evidências que levem a um possível suspeito, os detetives terão um longo caminho a percorrer!

Cortesia da Editora

Ao chegar na porta da igreja viu o corpo, banhado em vermelho, com o pescoço talhado de um lado a outro. Parecia degola, muito bem-feita.

Amém possui tudo que eu espero em um livro: leitura rápida, personagens cativantes, suspense e muitos caminhos a seguir.
Ao iniciar a leitura não sabia o que esperar, se iria gostar... essas coisas que sempre passam pela cabeça quando iniciamos uma nova leitura. Por ser de um autor nacional, resolvi não pesquisar nada sobre o livro e deixar que o passar das páginas me mostrasse o potencial de Arthur Chrispin. Sinceramente? Foi, até agora, a minha melhor leitura de 2016.

Em nenhum momento me vi em alguma explicação sem conseguir entender. Mesmo usando gírias pouco conhecidas no meio literário, mas conhecidas em filmes nacionais, a leitura flui perfeitamente bem e a todo momento te surpreende.

Outro ponto interessante de se observar na obra é a amizade entre os detetives. Até a delegada se mostra uma amiga e até uma boa ouvinte para os momentos que eles precisam. Acho que é isso que os torna tão unidos, saber que podem contar com cada um até m,e seus piores momentos.


A construção do assassino e de seus movimentos foi um ponto certeiro do autor, mesmo ele me fazendo ficar indeciso entre três personagens e só aos poucos ir mostrando a intenção do verdadeiro culpado. Sério! Você está todo contente imaginando que sabe quem é o assassino e é surpreendido no próximo capítulo. Uma reviravolta atrás da outra e sem deixar o ritmo cair.

Uma das coisas que eu achei que não iria gostar era a utilização da religião na história. Convenhamos que já é certo que sempre alguém quer polemizar com isso, mas Arthur fez completamente o oposto. Em nenhum momento as referências utilizadas por ele são para ofender, faz parte da história mesmo.

Não pensem que o autor poupa os seus personagens, alguns momentos são angustiantes e chocantes. Você se afeiçoa tanto a eles que é torturante vê-los em apuros.
Em relação ao final, só me resta aplaudir! Além de me fazer ficar pulando de um suspeito a outro, o autor soube muito bem o momento em que a verdade deveria ser revelada. Eu não acreditei! Como eu não percebi quem era o serial killer?
Como você foi capaz de terminar a história daquela maneira Arthur?



Em relação a edição, o Grupo 5W fez um excelente trabalho com o livro. Os espaçamentos e margens tornam a leitura confortável e nada cansativos, a capa chama a atenção para a história e a segunda e terceira capa apresentam uma ilustração mostrando documentos das investigações.

Amém é um livro angustiante e completamente viciante! Vale muito a pena reservar um lugar na sua estante!







Sobre o Autor:
Paulo Cezar
Paulo Cezar é Administrador e Cofundador do blog, descobriu o fantástico mundo dos livros quando leu, pela primeira vez, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. Além dos livros, também é apaixonado por filmes e séries.


14 comentários:

  1. Oi, Paulo. Amém é um livro incrível, eu, particularmente, gostei bastante do suspense imposto na história e da forma como o autor usou o tema religião em todo o momento, mas sem discriminá-la ou polemizar os tipos de fé. A história é bem envolvente e nos prende a todo momento.

    ResponderExcluir
  2. cristiane dornelas25 de janeiro de 2016 17:03

    É a primeira vez que vejo e confesso que fiquei bem curiosa a respeito. Gosto muito de ler livros assim, trama policial é sempre gostosa de ler quando bem escrita. É bom tentar desvendar os mistérios, viciar na história. E se foi o melhor que leu até agora deve ser um baita livro. Gostei dos detalhes gráficos também, a ideia de colocar fotos de documentos da investigação dá um charme a mais. Bem legal, acho que adoraria se pudesse estar lendo.

    ResponderExcluir
  3. Paulo, eu pensei que Amém seria um livro espírita, mas me surpreendi com o assunto central do livro com muito suspense, mistérios e um serial-killer. O autor é tão inteligente ao usar a religião como adicional aos crimes e à série de confusões feitas na trama. Enfim, gostei muito.

    Resenha | Mulheres

    ResponderExcluir
  4. Eu não gostei de Amém. Em minha opinião, o autor não soube conciliar muito a religião com o crime, dois temas completamente opostos. A história e narrativa principais são muito bem trabalhadas e uma construção de personagens bem fiéis, mas a história num todo com a união de outros aspectos não me agradou.

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia o livro, também não gostei da história. Apesar de o autor ter construído bem o assassino da história e ser uma história angustiante e chocante, confesso que ela não me chamou atenção suficiente para adicioná-la as minhas leituras. Ah, o título a meu ver não tem nada haver com a história, talvez durante a leitura se encontre a explicação do por que esse título do livro, mas só em ler a resenha não parecem combinar muito.

    ResponderExcluir
  6. Oi Caio,
    Poxa, pena que não gostou da leitura!
    Eu já achei que casou certinho com a história, visto que o assassino teve imprevistos e precisou se adequar a eles.

    ResponderExcluir
  7. Oi Ycaro,
    A primeira impressão só vendo a capa e o título pode ser essa mesmo, mas é um livro surpreendente!

    ResponderExcluir
  8. Oi Cristiane,
    Sim, esses detalhes fazem toda a diferença em uma boa edição. Vi várias editoras adotando isso.

    ResponderExcluir
  9. Sim, a história cativa logo nas primeiras páginas.
    Que bom que gostou!

    ResponderExcluir
  10. Alessandra Fernandes25 de janeiro de 2016 22:28

    Paulo, estou surpresa com sua resenha. Olhando este livro e jugando-o pela capa, jamais imaginaria que se passa de uma narrativa cheia de suspense, contendo até mesmo um serial killer.
    Até então, não conhecia o autor e muito menos sua obra, mas agora que pude conhecer um pouco de seu trabalho através de sua resenha que é só elogios, só me resta adicioná-lo em minha lista de leituras. Adorei!

    ResponderExcluir
  11. marlene conceiçao28 de janeiro de 2016 09:56

    Ai meu Deus, preciso desse livro.
    Fiquei com o pé atrás na sinopse e na capa do livro, por conter religião relacionado, mas quando chegou a parte que eu vi que tinha um serial killer, pronto me ganhou, amo o tema, suspense, mortes sem explicação, policia envolvida, investigação.
    Amei a resenha, me deu mais confiança ainda de que essa seria um boa leitura, e fiquei feliz em saber que não é uma critica a religião, acho que para mim vai atrapalhar um pouco a leitura o fato deu não acreditar em santos e imagens, como a nossa senhora que estar na capa, mas não desistirei desse livro, por nada kkk.
    Bom dia.

    ResponderExcluir
  12. Daniel Olhos Água28 de janeiro de 2016 16:58

    Aparenta ter uma história elétrica e bastante intensa, acho que quem começa a ler, se curtir o gênero, como eu, não vai conseguir parar haha. O trabalho de edição está lindo, os vários pontos usados na obra me fazem querer ler p/ ontem. Abraços

    ResponderExcluir
  13. Achei o livro interessante e me enganei completamente quando pensei que se tratasse de um livro de religião, só não entendi direito o motivo desse titulo já que o livro é de suspense e mistério.

    ResponderExcluir
  14. Oi!
    Gostei muto dessa historia adoro os livros policias e esse parece ter um ótimo enrendo com um bem escrito assassino e gosto quando não conseguimos acertar quem é, pois ficamos até o ultimo minuto tentando descobrir o que me deixou muito curiosa para esse final !!

    ResponderExcluir