postado por Funs Hunter em 29 janeiro 2016

Resenha | Magimakía: A Busca por Merlin


          

— Daemonianos, protejam o mago e as bruxas! A qualquer custo!
Ah não! De novo essa história de magos e bruxas? Que bruxas? Poxa, bruxas é demais pra minha cabeça. Será que andam de vassouras?
Já faz muito tempo que Merlin Drake, sendo vencedor dos Duelos Élficos, fez um acordo com Elysium (elfos), Angelicorum (anjos) e Daemonion (demônios). Como resultado, ele diminuiu o poder dos magos para que a Terra não entrasse como prêmio dos duelos, já que o vencedor pode explorar um lugar durante 100 anos, e aceitou entrar em um estado de sono de hibernação por um determinado tempo. Houve uma traição e já faz mais de 500 anos que Merlin desapareceu.

Durante esse tempo muitas buscas aconteceram, até que James Drake, último descendente de Merlin, finalmente acha ter encontrado onde ele descansa. Levando um anjo e um demônio, necessários para a libertação, James parte com seu amigo Riley Drogo até o local.
Riley se junta ao demônio e trai James, matando o anjo e seu amigo. Tudo por poder, por querer se tornar um necromancer! Com a possível fim da linhagem de Merlin, os magos nunca terão o seu verdadeiro poder volta. Isso é o que eles pensam...
James mantinha um relacionamento proibido com a jovem Emily, que gerava em seu ventre a última esperança dos magos.

Oliver, uma garoto magro e nerd, sofre bullying na escola. Não gosta que sua mãe fique sabendo para não ir contar a direção, mas ela sempre desconfia. Mas o que o garoto não sabe é que ele é um mago; não um mago qualquer, ele é o último descendente capaz de libertar Merlin e dar uma chance de sobrevivência aos magos. A sua grande aventura está prestes a começar!

Cortesia do autor

As meninas...? Pera aí... Quem eram essas meninas afinal? E, outra coisa: como assim, um dia inteiro passou? E a prova de matemática? E a mãe? Nossa, a casa vai cair!


A Busca por Merlin é o primeiro livro da série Magimakía, do autor Rafael Lovato. Para uma introdução na série, o livro cumpre bem o seu papel e deixa um grande gancho para a continuação, mas vamos por partes...


Ser sequestrado no meio da noite por um goblin e um troll assusta qualquer pessoa, mas Oliver é irritante as vezes ao alegar que tudo é um sonho e que a qualquer momento ele vai acordar. Com tudo o que está acontecendo ao seu redor, o jovem demora a acreditar.
Ainda bem que Avery e Violet não o deixam na mão, as jovens bruxas o ajudam na aventura que está por vir. Mesmo tudo mostrando que eles podem fracassar, eles não desistem. Ao contrário de Oliver, as bruxas já cresceram nesse mundo e possuem alguns truques a mostrar. A bolsa que cada uma usa, e que elas não desgrudam, é fundamental para a ajuda que fornecem ao jovem e incrédulo mago.

A construção do "mundo" em que a história se passa é grandiosa, visto que são muitas dimensões visitadas através de portais que os magos são capazes de criar. A criação de Angelicorum foi o que mais chamou a minha atenção, uma dimensão só para os anjos e não pensem que eles são bonzinhos e protetores, Rafael os criou de forma a surpreender quem está lendo!



A forma como o autor escreveu a história é bem diferente e criativa, são traduções dos livros dos magos e dos goblins, tanto que cada capítulo é indicado por seu número de tradução. A maior parte é mostrada por Oliver, mas alguns capítulos são destinados aos nada modestos goblins.

São vários acontecimentos, desde lutas, fuga e a procura por aliados, até que finalmente tudo parece se resolver. É nesse momento que as partes mais angustiantes acontecem, tudo para que o final seja impensável. Foi inacreditável!

Duas coisas não me agradaram envolvendo a edição e até mesmo a história. A capa é muito escura (versão de Portugal) e me desagradou; acho que é um demônio, mas nem dá pra ver direito. Outra coisa foi uma palavra de efeito de Oliver, não sei se foi ideia do autor pra colocar algo que o lembrasse, mas me irritava toda vez que ele a pensava, pareceu algo forçado na história. Diagramação básica com espaçamento e margens de tamanho ideal para leitura.

A Busca por Merlin é um livro de leitura rápida e de momentos mágicos. Um bom livro para se aventurar e deixar a imaginação fluir!







Sobre o Autor:
Paulo Cezar
Paulo Cezar é Administrador e Cofundador do blog, descobriu o fantástico mundo dos livros quando leu, pela primeira vez, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. Além dos livros, também é apaixonado por filmes e séries.


10 comentários:

  1. Daniel Olhos Água29 de janeiro de 2016 20:56

    A capa não ajuda mesmo, mas a história parece bacana, apesar de meio clichê. Aparenta bem divertido e bom p/ passar o tempo ^^Adorei a resenha, abraços.

    ResponderExcluir
  2. É difícil um livro de magia me conquista e Magimákia: A Busca Por Merlin não conseguiu me atrair de nenhuma maneira. Não gostei da premissa do livro e fiquei confuso com vários termos diferentes e completamente estranhos. Essa busca por uma pessoa por 500 ANOS me deu certa preguiça também. Os conflitos são fracos e não chamou a minha atenção.

    ResponderExcluir
  3. Adorei a indicação do livro. Livros de fantasias são meus favoritos. Gostei do enredo aventureiro, dos portais mágicos e das diversas dimensões. Um livro para imaginarmos muito. Além das lutas, fugas e toda ação que o livro envolve. Tá aí uma série que gostei de conhecer e pretendo colocar como meta desse ano :)

    ResponderExcluir
  4. A Busca Por Merlin superou as minhas expectativas. Eu vejo muita gente que gosta deste livro, mas nunca me interessei. Você despertou a minha atenção para o livro e fiquei totalmente satisfeito com as narrativas e problemáticas que o autor coloca. O que mais me interessou foi a relação entre o anjo e o demônio na investigação.

    ResponderExcluir
  5. Oi, Paulo. Eu não gosto de livros com bruxaria, e esse do Rafael Lovato não me surpreendeu para gosta do gênero, mas acho que seria uma ótima pedida para sair da zona de conforto. Fiquei me perguntando sobre as dificuldades dos termos Elysium, Daemonion, etc, não gostei disso, mas a narrativa flui normalmente.

    ResponderExcluir
  6. cristiane dornelas30 de janeiro de 2016 20:18

    Ahh, parece legal. Mas não sei se leria, esse não chamou muita atenção. E a coisa da palavra lá? Dá um treco em mim quando o personagem começa a pensar demais em uma frase ou palavra de efeito e aquilo fica forçado. Isso foi um pequeno fator que me deixou pé atrás e não sei se leria, mas achei interessante o jeito que foi escrito. É diferente mesmo e gostei da ideia, acho que isso me faria gostar do livro. Mesmo assim, não sei se leria. Confusa aqui :S

    ResponderExcluir
  7. marlene conceiçao30 de janeiro de 2016 21:07

    Gostei muito da resenha.
    Mas esse livro não faz meu gênero literário, gostaria de ler-lo, mas sei que compraria só para ficar guardado na minha estante, sem uso algum.
    Boa noite.

    ResponderExcluir
  8. Alessandra Fernandes30 de janeiro de 2016 21:29

    Paulo, olhando para a capa, posso dizer e ficar de acordo com você. Ela é realmente muito escura. Mas por lado, acredito que a história cheia de aventuras e de uma leitura fluida, contida no livro venha a compensar este defeito.
    Adorei a resenha!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Goste desse livro, o enrendo é interessante é gostei desse mundo que o autor criou mesmo o inicio sendo meio confuso parece fantástico e cheio de magia e sempre gostei muito das historia sobre Merlin !!

    ResponderExcluir
  10. Pelo jeito o livro é repleto de fantasia, com elfos etc, único livro que li com elfos foi O Hobbit. Gostei da resenha e tenho interesse em ler o livro, mas antes foi ter que procurar o primeiro pois não conhecia a serie Magimakia ainda.

    ResponderExcluir