postado por Matheus em 02 fevereiro 2016

[Maratona Pré-Oscar] Review | O Quarto de Jack

Direção: Lenny Abrahamson
Duração: 1h 58min
Lançamento: 2015
Gênero: Drama


Sinopse

Uma história moderna sobre o amor sem limites entre mãe e filho. O pequeno Jack (Jacob Tremblay), de cinco anos, não conhece nada do mundo, exceto o quarto em que nasceu e cresceu acompanhado apenas por Ma (Brie Larson).





O Quarto de Jack é um filme difícil. Não por sua estética, pois o filme não foge do típico do cinema independente. Também não por conta da história, que é extremamente acessível ao grande público. O grande motivo por ele ser “difícil” é a emoção transmitida por ele; isso porque é difícil ter nervos suficientes para aguentar os emocionantes 118 minutos de filme.

Uma das inúmeras coisas que tornam este filme magnífico é a surpresa. Mesmo vendo o trailer, muita coisa fica sem explicação, e existem diversas sinopses para o filme, cada uma delas entregando quantidades de informações diferentes para o público. Certamente, aquele que assistir ao filme sem saber muito a fundo sua história se surpreenderá em diversos momentos cruciais do filme, momentos esses inesperados para àqueles que não se prenderam às sinopses e afins.
Mas de toda forma o filme consegue prender a atenção do público do início ao fim. Tudo graças ao roteiro brilhante de Emma Donoghue, que foi baseado em seu próprio livro. Emma consegue adaptar sua história repleta de simbolismos de forma incrível para o cinema, construindo um roteiro que exala emoções e reflexões. Não precisa se esforçar para ver a questão da maternidade retratada no filme da melhor forma possível na personagem Ma (Brie Larson), que luta para cuidar de seu filho Jack (Jacob Tremblay) mesmo com todas as adversidades enfrentadas por ambos. Ainda assim, o roteiro se sobressai ao mostrar Ma não como uma heroína, mas sim como uma pessoa comum, que não sai ilesa de tudo o que sofre. Outras inúmeras reflexões podem ser encontradas no roteiro, mas falar sobre elas acabaria com muitas das surpresas que o filme guarda.
Por mais que o roteiro seja incrível, é difícil saber se ele causaria o mesmo impacto no público se o filme não contasse com Brie Larson e Jacob Tremblay, dois nomes pouco conhecidos, mas de um talento grandioso. A desenvoltura de ambos em cena é magnífica. Enquanto Brie Larson emociona a todos em seu papel fortíssimo e repleto de cenas marcantes, Jacob se sai extremamente bem à medida que seu personagem vai se desenvolvendo, exigindo cada vez mais de seu papel complexo. É difícil encontrar um par de atores que tenha tanta sincronia em cena quanto este.
O diretor também pouco conhecido Lenny Abrahamson desenvolve seu trabalho com desenvoltura em Room (título original). Por mais que tenha em mãos uma história repleta de emoção ele consegue fazer com que o filme escape do piegas, conseguindo arrancar lágrimas do público de forma sincera. E olha que lágrimas são o que não faltam ao público.

Mesmo sendo independente, O Quarto de Jack vem ganhando cada vez mais destaque entre a comunidade cinéfila, o que muito se deve aos prêmios e indicações que vem recebendo. Nada menos que merecido para essa obra magnífica e tocante, capaz de emocionar a todos e ainda por cima levantar questões pertinentes; toda a equipe do filme merece reconhecimento por esse filme belíssimo.

Avaliação:




Sobre o Autor:
Matheus
Matheus é Colaborador do blog, cinéfilo de carteirinha, leitor compulsivo e aficionado por música. Quando não está lendo, pode-se vê-lo re-assistindo Kill Bill ou então ouvindo música com os seus fones inseparáveis.


13 comentários:

  1. Vi falarem muito bem dele e está ganhando destaque mesmo. Mas fiquei confusa no começo porque vi muitas sinopses e pessoas falando uma coisa e fui ver trailer e parecia outra. Foi complicado saber o que pensar. Bem, só vendo mesmo. E parece valer a pena. Um filme que mexe com o emocional e penso que gostaria muito de assistir.

    ResponderExcluir
  2. Oi Matheus, as apostas estão bem altas para este filme. Não o vi ainda, mas parece ser bom mesmo.
    Bjs, Rose.

    ResponderExcluir
  3. rudynalvacorreiasoares4 de fevereiro de 2016 02:18

    Matheus!
    Fiquei aqui me perguntando o por que de ela manter o filho no uarto sem contato com ninguém?
    Vou ter de assistir para descobrir pelo visto...

    “Saber é compreendermos as coisas que mais nos convêm.” (Friedrich
    Nietzsche)

    cheirinhos

    Rudy

    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/

    Top Comentarista fevereiro, 4 livros e 3 ganhadores,
    participe!

    ResponderExcluir
  4. Eu também estava meio confuso sobre o ponto central da história. Mas, como eu disse, a surpresa que levamos com determinadas cenas é grande, e isso é um dos fatores que deixam o filme tão bom.

    ResponderExcluir
  5. Tinha ouvido falar do filme e de alguns prêmios que ganhou, mas não vi trailers nem sinopses, então não sei mesmo o que esperar, maas pretendo assistir, já que está sendo tão comentado.

    ResponderExcluir
  6. Pretendo em breve assistir.
    O enredo me chamou bastante a atenção, espero terminar, com algo positivo sobre esse filme, com certeza ele me intrigou,.
    Boa Tarde.

    ResponderExcluir
  7. Não conhecia esse filme, mas fiquei bem curiosa e pretendo assistir, parece ser ótimo.

    ResponderExcluir
  8. Oi!
    Quando vi a historia pela primeira vez não me interessei muito mas quando fui lendo as resenhas tanto o livro quanto o filme me conquistaram e quero muito ler e assistir é um forte concorrente ao Oscar !!

    ResponderExcluir
  9. Estou curiosa para assistir esse filme, porque as opiniões sobre ele são diversas, mas cadê o tempo para poder assistir?

    ResponderExcluir
  10. Eu fiquei sabendo desse filme há pouco tempo e não havia me interessado, daí soube que tem o livro e li comentários positivos do filme como o seu agora.
    Quero ver.
    Mesmo os envolvidos não sendo conhecidos.
    E me vale TB a indicação ao Oscar.

    ResponderExcluir
  11. Matheus esse filme é um dos outros que quero ver que são indicados ao top top oscar. Brie talvez ganhe como melhor atriz. Quero ver, é misterioso e emocionante, não sabia que o filme era baseado no livro da própria roteirista, taí um dos motivos do sucesso. Vou levar lencinhos.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  12. Só fui conhecer do livro agora, com toda a propagação do filme. E quero ler em breve, e depois assistir o filme.
    Achei a história fascinante, e as resenhas que li foram todas positivas.
    bjs

    ResponderExcluir
  13. Quando assistir ao trailer desse filme, achei a sua premissa bastante interessante e inovadora e logo descobrir que se tratava de uma adptação de um livro, o que só me deixou louca para lê-lo. Ainda não fiz nenhuma das duas coisas, assistir e lê-lo, mas pretendo fazer isso em breve, ainda mais depois dos comentários positivos do mesmo!!

    ResponderExcluir