postado por Matheus em 13 fevereiro 2016

[Maratona Pré-Oscar] Review | O Regresso

Direção: Alejandro González Iñarritu
Duração: 2h 36min
Lançamento: 2015
Gênero: Aventura, Faroeste


Sinopse

1822. Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) parte para o oeste americano disposto a ganhar dinheiro caçando. Atacado por um urso, fica seriamente ferido e é abandonado à própria sorte pelo parceiro John Fitzgerald (Tom Hardy), que ainda rouba seus pertences. Entretanto, mesmo com toda adversidade, Glass consegue sobreviver e inicia uma árdua jornada em busca de vingança.



Em diversos momentos o cinema se mostrou disposto a tomar sua forma mais contemplativa possível, se empenhando em mostrar não somente seus personagens e sua história, mas também toda a beleza que o cerca. Alguns diretores têm isso como marca registrada, caso de Terrence Malick, diretor dos incríveis Além da Linha Vermelha e A Árvore da Vida. O Regresso também segue este mesmo estilo, mas ele consegue ir além do simples “contemplativo”, se tornando assim um dos filmes mais belíssimos do século XXI.

Em meados do século XIX, Hugh Glass (Leonardo DiCaprio) faz parte de uma companhia de caçadores e exploradores dispostos a ganhar a vida com pele de animais, caçando pelo oeste americano para isso. As tribos indígenas são um dos perigos que eles têm que enfrentar, mas Hugh acaba ficando a beira da morte por outro motivo: um ataque de urso. Glass fica gravemente ferido, mas milagrosamente acaba sobrevivendo; seus companheiros de caça estão dispostos a seguir caminho junto com ele, mesmo que deitado numa maca. Exceto John Fitzgerald (Tom Hardy), que vê Hugh como um empecilho ao trabalho deles, preferindo deixá-lo morrer sozinho.
Depois de alguns problemas, Fitzgerald fica a cargo de cuidar de Hugh Glass, com eles se separando da maioria dos companheiros. Não demora à Fitzgerald criar toda uma situação para deixar Glass para trás; por fim, ele consegue seguir caminho sozinho, deixando Hugh Glass à sua própria sorte. E é aí que a verdadeira história começa.

Diante de tantos méritos grandiosos, a única ressalva aceitável para O Regresso é seu roteiro. Não que ele seja ruim, longe disso. Sua história de vingança é muito bem conduzida, e em alguns momentos o debate sobre religião – levantado principalmente nos diálogos de Fitzgerald – consegue trazer certas reflexões ao longa. Porém, num geral, o roteiro trata da busca da vingança, da sobrevivência e da relação do homem com a natureza de uma forma simples, demonstrando certa despreocupação em criar uma história grandiosa. De toda forma, grandiosidade é o que não falta ao filme.
Ao assistir aos 156 minutos de filme, é praticamente impossível não ficar maravilhado com tudo aquilo visto em tela; visualmente, O Regresso se mostra uma obra impecável como poucas conseguem ser. Os efeitos especiais simples, mas impressionantes (destaque para a tensa cena do ataque do urso), a maquiagem complexa e extremamente convincente e o figurino “de época”: tudo isso é captado com maestria pela câmera de Emmanuel Lubezki. O diretor de fotografia de filmes icônicos como Gravidade, Birdman e A Árvore da Vida mais uma vez cria um trabalho primoroso, com o diferencial de utilizar apenas luz natural para a gravação, contando somente com o fogo de tochas e fogueiras para as tomadas noturnas. Sua câmera captura todas as cenas com uma beleza estonteante, sejam elas simplesmente contemplativas – mostrando com perfeição toda a natureza ao redor – ou então extremamente tensas e complexas, como a cena do ataque do urso e todas as outras cenas de batalhas. Um trabalho impressionante, tanto por sua complexidade como pela beleza que o envolve.
Alejandro González Iñárritu, que cada vez mais vem se destacando em Hollywood, dirige o filme com uma força impressionante. Iñarritu consegue conduzir o longo filme de forma a não deixá-lo cansativo, ministrando muito bem às cenas repletas de emoção com aquelas mais calmas. Ele também desenvolve um grande trabalho com seu elenco, arrancando atuações incríveis dele por inteiro. Se Tom Hardy banca o típico vilão do velho-oeste com um sotaque incrível, diga-se de passagem, Leonardo DiCaprio vai além, entregando-nos uma atuação visceral, tanto no sentido emocional como no sentido físico da palavra.

Após o clímax tenso, a cena que vemos é uma das mais marcantes do filme; simples, mas com um significado grandioso. Esta cena final é comparável ao final de Gravidade, com a redenção da personagem principal à vida ou à morte. Em O Regresso, não importa se a redenção é à vida ou à morte, todo o caminho percorrido para chegar à esta redenção é o que importa.

Avaliação:




Sobre o Autor:
Matheus
Matheus é Colaborador do blog, cinéfilo de carteirinha, leitor compulsivo e aficionado por música. Quando não está lendo, pode-se vê-lo re-assistindo Kill Bill ou então ouvindo música com os seus fones inseparáveis.


11 comentários:

  1. Esse filme parece que ficou incrível, cheio de atuações fantásticas e uma trama muito bem produzida. A história chama atenção pela jornada árdua que propõe e parece que fizeram um filme bem realista, visceral mesmo em muitas cenas. Vi muita coisa legal dele e o trailer já dá vontade de correr para o cinema mais próximo e conferir. Torcendo pra levar muitos prêmios nesse Oscar e louca pra ver também =D

    ResponderExcluir
  2. Este filme parece ser muito bom, ainda não tive a oportunidade de assisti-lo, mas pretendo em breve.

    ResponderExcluir
  3. Vejo muitas pessoas falando sobre esse filme, e o quanto ele bom. Queria muito assistir, principalmente pelo Leonardo DiCaprio, que é um grande ator, na minha opinião.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Agora com as premiações do Oscar que ouvi muitas pessoas falarem sobre essa filme que ainda não conhecia e vi muitas criticas positivas o que me deixou curiosa para poder assistir !!

    ResponderExcluir
  5. Essa é a indicação do oscar que não estou tãão curiosa para assistir, acho que tem filmes melhores.

    ResponderExcluir
  6. Ahh Matheus quero muito ver O Regresso!!! Espero ir essa semana. Não li toda sua resenha, mas pode deixar eu volto depois. Acho que esse filme ganha o oscar e tomara que o Leonardo ganhe, estou na torcida. O único filme que vi indicado ao oscar foi Mad Max... adorei.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  7. O que me atrai é por sei baseado em fatos e pelo Leo.
    Adoro o ator...
    Eu li e ouvi cometários contraditórios.
    Uns gostam outros não.
    Uns acham legal outros acham chato.
    Eu pretendo ver esse findi pra ver se realmente Oscar será merecido haha.

    ResponderExcluir
  8. Ainda não assistir esse filme, mas já ouvir muitos elogios sobre ele, ainda não tive a oportunidade de assistir mas espero em breve mudar esse fato.

    ResponderExcluir
  9. Eu particularmente não me interessei pelo enredo, mas a crítica está bom, positiva, que preciso conhecer essa história!!
    E claro, estou torcendo pelo Leo DiCaprio levar a melhor =)
    bjos

    ResponderExcluir
  10. Pensando em assistir logo, parece ser muito bom e é um filme cheio de críticas, uma boa trama. Espero que valha a pena, o trailer conquista e dá vontade de conferir logo.

    ResponderExcluir
  11. Ainda não assistir a esse filme, e apesar de não fazer muito meu estilo no quesito de livros pra ler, quero muito lê-lo. Confesso que é mais pelos comentários positivos do filme do que qualquer outra coisa, mas mesmo assim, ele já está na minha lista!!

    ResponderExcluir