postado por Tamiris Leitão em 16 fevereiro 2016

Resenha | Um Perfeito Cavalheiro


          



Chegamos na história de Benedict Bridgerton, segundo filho da família Bridgerton. Nessa história ele está querendo ceder aos desejos de Violet, sua mãe e finalmente casar. Em um dos bailes em que vai ele conhece uma dama misteriosa, que não diz seu nome ou de onde vem, mas com todo o seu jeito o conquista. Mas como nada é perfeito, a jovem vai embora sem deixar nenhum tipo de contato. Essa jovem é Sophie: uma filha ilegítima de um conde. Ao morrer, ele deixa Sophie aos cuidados da madrasta, que a faz arrumadeira, camareira, e empregada da casa para ela e suas duas filhas. Ao saber que Sophie foi ao baile de máscara escondida, sua madrasta faz com que ela suma de Londres.



Três anos depois, Benedict salva Sophie de uma situação problemática porém não a reconhece. Ele tenta cuidar de Sophie e ao fazer isso conhece uma jovem linda de diversas maneiras, e se vê apaixonado pela dama. Mas como Sophie é uma arrumadeira, ele tenta a fazer sua amante. Porém Sophie não aceita esse tipo de relação, e tenta negar a ele e a si mesma que nunca daria certo. Então eles devem arrumar uma forma de viver perto mas sem ir de encontro aos desejos de Sophie.

Nesse momento, viu uma mulher que devia ser a mais espetacular de todas em que já pousara os olhos. Ele não saberia nem dizer se ela era bonita. Os cabelos eram de um louro escuro bastante comum e, com a máscara presa em torno da cabeça, não era possível ver nem sequer metade do seu rosto. Mas havia algo naquela mulher que o deixou hipnotizado. Era o sorriso dela, o formato dos olhos, a forma como se portava e olhava ao redor do salão de baile como se nunca tivesse visto nada mais glorioso do que os tolos membros da sociedade vestindo fantasias ridículas. A beleza dela vinha de dentro. Ela brilhava. Cintilava. Era absolutamente radiante, e Benedict de repente se deu conta de que era porque parecia... feliz. Feliz por estar onde estava, feliz por ser quem era. Feliz de uma forma que Benedict não conseguia se lembrar de ter sido.

Bem, levando em consideração os dois primeiros livros maravilhosos, Um Perfeito Cavalheiro foi o que mais deixou a desejar. Mas isso não o categoriza como ruim, só não se encaixava no que eu procurava. Como releitura de Cinderela, a Julia trabalhou perfeitamente no timing da coisa e fez tudo acontecer perfeitamente na hora certa, gostei da criatividade dela e tal. O que eu mais gosto nos livros da Julia são os problemas pessoais que os personagens enfrentam durante a trama, fazendo empacar um pouco a história, afinal eles devem resolver seus demônios internos para encontrar o amor.

Benedict Bridgerton era tudo que ela lera no Whistledown. Bonito, forte, educado. Era o sonho de qualquer jovem, mas não o seu, ela pensou com tristeza. Um homem daqueles não se casaria coma  filha ilegítima de um conde. E com certeza não se casaria com uma arrumadeira. 

Os problemas desse livro são bem definidos: Sophie sabia a sua posição social, e sabia que um casamento era algo que estaria quase impossível nos seus pensamentos. E sabia que se apaixonar por um Bridgerton ainda se tornava pior, porque virava algo impossível de acontecer. Benedict por outro lado, se negava a casar com Sophie com medo do que iriam dizer do seu casamento, do que Sophie iria dizer, e porque ainda esperava pela mulher misteriosa do baile de máscara. E eles devem trabalhar isso, o que acho interessante.

Passara a vida seguindo o caminho mais seguro, mais prudente. Apenas em uma noite abandonara a precaução. E fora a noite mais emocionante, mágica e maravilhosa de toda a sua existência.

Acho que o que me contrariou um pouco nessa história foram as atitudes de Benedict. Para um Bridgerton acredito que suas atitudes deveriam ter sido mais nobres e menos mesquinhas. Acho que no começo do livro o Ben ainda não havia amadurecido o suficiente para encontrar um matrimônio, mas isso foi resolvido com muito bom gosto durante a obra. Sophie é uma mulher incrível e linda por dentro e por fora e merecia o final feliz, com certeza.

O Romance acontece de forma drástica o livro inteiro, e você fica com o coração na mão a maior parte do tempo. A escrita da Julia continua impecável. As edições da Arqueiro são lindas sempre, então não tenho o que reclamar dessa capa. Com nenhum erro encontrado, acho a leitura bastante prazerosa e estou animada para a leitura do quarto livro.






Sobre a Autora: 
Tamiris
Tamiris é blogueira do Pausa Para Um Livro e depois de fã do Fun's Hunter, veio acrescentar um toque feminino no blog favorito. Lê tudo que o Paulo indica, mas também tem uma séria paixão por romances. Quando não está lendo, está cozinhando. Então não se assuste se ver um pouco de comida nas fotos.


9 comentários:

  1. Só lendo a sinopse vi que talvez esse seja um dos livros da série que eu menos goste. E sua resenha me confirmou isso. Apesar de gostar de releituras de contos de fadas, acho que essa não caiu bem, pode ser que eu esteja errada, só vou saber quando ler, e pretendo ler a série toda.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  2. Eu achei esse legal por ela incrementar uma releitura na série, foi uma ideia interessante. Não foi lá o melhor de todos, mas vale a pena e é uma trama gostosa e envolvente. E ele (personagem) é um tanto diferente dos outros, notei isso enquanto lia. Mas achei legal porque ficar naquela coisa de família perfeita e tudo do mesmo jeitinho é chato. Ele tem personalidade e é bom ver como vai mudando quando o amor aparece na vida dele. No todo é um bom livro.

    ResponderExcluir
  3. Amo essa série, curto muito um romance de época, Julia Quinn arrasa, sua escrita é excelente, já li até o sexto livro, ansiosa em ler os próximos.

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Li esse livro e gostei muito da historia principalmente da Sophie que foi uma personagem que fiquei do começo ao fim do livro torcendo para ela conseguir um final feliz e também concordo sobre o Benedict que em diversas parte do livro não concordei com suas atitudes e uma das melhores coisas foi ver os outros Bridgerton nesse livro !!

    ResponderExcluir
  5. Adorei saber mais desse livro também.
    Enquanto lia pensava Cinderela, Cinderela...
    Daí tu confirma isso...
    Adoro releituras... Romances de época também e estou amando essa família.
    Mesmo esse mano não sendo tão generoso e gentil quanto os outros.

    ResponderExcluir
  6. Amei a capa e a resenha.
    Faz tempo que quero ler essa série, mas ainda não obtive a oportunidade, de ler, amo romance de época e já ouvir muitos elogios a autora Júlia Quim.

    ResponderExcluir
  7. Não sabia que o livro era uma releitura da Cinderela, que tudoo!!!
    Ai vou ter que parar tudo, e ler essa série, porque to ficando supercuriosa, demais!!!
    A Sophie parece ser bem fofa e forte, e o Benedict, acho que sei lá, tem é medo de se amarrar mesmo kkk
    bjss

    ResponderExcluir
  8. Não sabia que era baseado na Cinderela, bem clichê, mas parece que a Julia sabe como renovar e se sair bem com um dos mais famosos clássicos. Fiquei muito curiosa para conhecer a história do Ben e da Sophie, já torcendo pelo amor deles.
    Um beijo

    ResponderExcluir
  9. Ah gente, a cada resenha de qualquer livro dessa série, eu só fico com mais vontade de ler e conhecer a escrita da Julia Quinn. Adoro romances de época e espero conhecer esses personagens que você tanto gostou em breve.

    beijos!

    ResponderExcluir