postado por Funs Hunter em 22 março 2016

Resenha | Mares de Sangue


          

– Isso já foi longe demais.
Jean deixou sua machadinha cair visivelmente na mão direita e se postou de costas para Locke, junto a ele.
– Não cheguem mais perto! - gritou Locke. - Parem com essa merda bizarra ou vai haver sangue!
– Já houve sangue... - retrucou a menininha.

Locke e Jean sofreram muito com os acontecimentos do livro anterior e precisam recomeçar em uma nova cidade, a solução é sair de Camorr e ir para Tal Verrar. A viagem não foi nada fácil, já que Locke está muito feriado e parece ter desistido de tudo, até dele mesmo. Jean mantém a esperança de um dia ter seu amigo de volta.
Claro que uma hora isso acaba acontecendo e, Locke Lamora, não poderia voltar sem planejar o seu melhor golpe entre os golpes aplicados. Tal Verrar garantirá isso com a Agulha do Pecado, uma casa de apostas que Locke, também conhecido como Mestre Kosta, e Jean, usando o disfarce de Jerome de Ferra, pretendem atacar. O problema é que ninguém nunca saiu impune de uma trapaça nas cartas, imaginem só tentar roubar um cofre fortemente construído de vidrantigo ( uma espécie de vidro deixado pelos Ancestres).
São dois anos planejando o que fazer, aprendendo tudo sobre o local e finalmente... algo dá errado! Mas é a partir desse momento que a história realmente começa...

Cortesia da editora

– E as armadilhas... são uma coisa de louco, ou pelo menos é o que dizem os boatos. Placas de pressão, contrapesos, balestras nas paredes e nos tetos. Venenos de contato, jatos de ácido, câmaras cheias de serpentes ou aranhas venenosas... Um sujeito chegou a dizer que há uma câmara antes da última porta que se enche com uma nuvem de pó de pétalas de Orquídeas de Estrangulador e, enquanto você está sufocando, um bocado de fósforos de enrolar cai do teto, incendeia a coisa toda e você queima até virar carvão. Pior não pode ficar.

Mares de Sangue é o segundo livro da série Nobres Vigaristas, do autor Scott Lynch e publicado no Brasil pela Editora Arqueiro.
O primeiro livro, As Mentiras de Locke Lamora, me surpreendeu  positivamente após alguns desânimos no início da leitura. Com o segundo volume não foi diferente! Achei o desenrolar dos primeiros capítulos um pouco arrastado, a leitura não estava me conquistando e acabei demorando pra passar das primeiras 100 páginas. Sabendo do que o autor é capaz, claro que continuei lendo. Me surpreendi novamente, de uma forma que eu nunca iria esperar!
As situações em que Locke se encontra parecem não ter saída, visto que não é apenas Requin, o dono da Agulha do Pecado, que está em seu encalço; os vigaristas acabam despertando o interesse do Arconte de Tal Verrar, Maxilan Stragos.

É neste momento que a história se transforma e as mentiras de Locke precisam ser cada vez mais elaboradas!


Tendo esquecido o trabalho com as cordas, Jean sentiu o estômago se revirar ao vê-la passar em disparada. Ela estava com aquilo. Usava a coisa como uma capa. A mesma aura que ele já vira em Capa Barsavi, algo que dormia por dentro até ser puxado para fora pela raiva ou pela necessidade, súbito e terrível. A própria morte pisava ali nas tábuas do navio.

As mentiras de Locke deixam a terra para desbravar novos (m)ares.. O que acontece nessa parte da história é de fundamental importância para os planos dos nobres vigaristas. Jean e Locke estão novamente em apuros e escapam por muito pouco.

A capitã pirata Zamira Drakasha, sua imediata Ezri Delamastro e toda a tripulação do Orquídea Venenosa nos dão o prazer de sua presença.
Drakasha é forte e destemida, não é alguém que qualquer embarcação gostaria de encontrar. Ela possui dois filhos - Paolo e Cosetta - e os leva junto no navio. Não tem medo de ameaças e ota ordem em seu navio. Delmastro não fica atrás da capitã, veio de uma boa família e não se arrepende do rumo que a sua vida levou.
Vários outros personagens fazem parte dessa parte da história, mas as duas são as que recebem um maior destaque pelo autor.



Scott Lynch mostra, mais uma vez, que é capaz de escrever uma ótima história, mesmo com o início sendo um pouco arrastado, e de surpreender em grandes momentos. Tudo vai se encaixando aos poucos para o grande desfecho da obra. É difícil não querer saber o que vai acontecer com os dois Nobres Vigaristas no próximo livro. O bom é saber que a editora já lançou o terceiro, República de Lacrões, por aqui!
Amizade, traição, mentiras, emboscadas e muitas surpresas... Mares de Sangue é um livro que te faz ansiar pelo que esta por vir, te faz sofrer junto aos personagens e te faz admirar o brilhantismo com que tudo acontece!

Falando em edição, a Arqueiro manteve o padrão utilizado no primeiro livro, tanto na capa como na diagramação. O livro é dividido em 3 partes e os capítulos são subdivididos em outras partes. O que a revisão deixou passar não interfere na compreensão da história e nem atrapalha durante a leitura.






Sobre o Autor:
Paulo Cezar
Paulo Cezar é Administrador e Cofundador do blog, descobriu o fantástico mundo dos livros quando leu, pela primeira vez, Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban. Além dos livros, também é apaixonado por filmes e séries.


6 comentários:

  1. Parece um livro interessante e me fez lembrar Jack Sparrow (por mais que possa não ter nenhuma conexão). Não sei se seria um livro que eu gostaria de ler, já que nunca li livros em que os personagens principais fossem ladrões e/ou piratas, mas fiquei intrigada com o enredo e com certeza darei uma chance a esses livros.

    ResponderExcluir
  2. cristiane dornelas23 de março de 2016 18:20

    Não cheguei a ler aquele primeiro livro ainda, infelizmente =/
    A história parece ser das que eu gosto, com boa narrativa e cheia de acontecimentos marcantes, um bom livro.
    Acho que iria gostar muito de conferir. E esse pode até ser meio arrastado no começo e tal, mas costumo olhar pelo geral e pelo visto ele compensa com bons momentos depois e detalhes que fazem a diferença.
    Seria legal ler.

    ResponderExcluir
  3. ainda não li o primeiro livro, mas fiquei muito interessada pq já vi ótimos comentários.
    obrigada por avisar que o livro começa arrastado, mas que depois compensa. pois quando eu for ler eu já sei que não posso desistir no começo e que bom q a ed manteve coerencia entre os livros da série é meio chato qd muda, fica estranho dá a sensação q não se trata de uma série

    ResponderExcluir
  4. Oi!
    Ainda não conhecia essa serie e o livro pareceu interessante principalmente os irmãos que parecem ser cheio de artimanhas e gostei de termos uma parte da historia no mar o que me deixou curiosa, mas quero ler a resenha do primeiro livro para ver se realmente gosto da historia !!

    ResponderExcluir
  5. Daniel Olhos Água28 de março de 2016 17:05

    Não tinha muito interesse por essa saga, mas parece ser muito boa! Uma história com reviravoltas e que faz o leitor não parar de ler até descobrir o que irá acontecer! As capas estão bem bonitas, quero muito ler. Abraços

    ResponderExcluir
  6. Fernanda Rodrigues Mendonça31 de março de 2016 00:04

    Não me lembro de ter ouvido falar de autor ou obra antes, mas o que são essas capas, hein? Que tiro!

    Tirando um ou outro clássico infanto juvenil, acho que eu nunca li nenhuma história do genero, mas por falta de oportunidade mesmo. Achei bem legal a premissa do livro e pretendo ler assim que a oportunidade se apresentar

    ResponderExcluir