postado por Funs Hunter em 22 julho 2016

Resenha | O Guia Definitivo do Mochileiro das Galáxias


                    
“Muito além dos confins inexplorados da região mais brega da borda ocidental desta Galáxia, há um pequeno sol amarelo e esquecido.
Girando em torno deste sol, a uma distância de cerca de 148 milhões de quilômetros há um planetinha verde-azulado absolutamente insignificante, cujas formas de vida, descendentes de primatas, são tão extraordinariamente primitivas que ainda acham que relógios digitais são uma grande ideia...”



E assim é dada a largada para uma das aventuras mais estonteante e inteligente já escrita, com apenas este pequeno trecho do prólogo do Guia dos Mochileiros podemos notar que frases de efeito, tiradas geniais e críticas sarcásticas, porém engraçadas, estão por vir.

Nossa aventura começa com uma casa, no oeste da Inglaterra, e seu morador, Arthur Dent, um cara com cerca de 30 anos, alto, moreno, e estressado, que nunca estava em paz consigo mesmo. No dia em que sua casa precisa ser destruída para a construção de uma nova rodovia, somos apresentados a um outro personagem, Ford Prefect, que apesar de ter feições humanas, não tem nada que chame atenção, o que Douglas Adams deixa bem enfatizado.
Após um grande acontecimento que nos envolve, por prazos não checados pelos humanos (A doce ironia do Douglas Adams é algo que encanta e nos faz rir quando lemos), Vogons e rodovias, faz com que Arthur e Ford peguem uma carona numa nave Vogon, e após um fator de improbabilidade infinita acabam na nave coração de ouro, onde conhecem os nossos outros personagens principais, Zaphod Bleeblebrox, sete vezes eleito a criatura racional mais malvestida de todo o universo conhecido e não menos importante, presidente da galáxia, Trillian, uma humana que saiu da terra há um certo tempo, e Marvin, um robô com uma tecnologia PHG (Personalidade Humana Genuína), e por isso, é autodestrutivo, mal humorado e chato.



Em meio a nomes impronunciáveis, naves que andam com motores movidos a improbabilidade, viagens no tempo e muita confusão, não sendo uma história necessariamente linear (Tarantino mandou lembranças), temos, no decorrer dos 5 livros, muitos momentos em que lemos mais de uma vez o mesmo capitulo, e por conta da dificuldade de entender o que o autor quer dizer, acabamos cansando, porém, a curiosidade com o que está por vir é tanta, que esse cansaço logo desaparece. Mas se você começa a ler e pegar o fio da meada e entender que necessariamente algumas coisas não devem ter sentido, são porque são, e fim, a historia fica muito mais rica, engraçada e bem mais fluída, melhor.
Uma das coisas que mais conseguimos notar nos livros de Douglas Adams é a crítica velada com comédia num tempo perfeito, começando e terminando exatamente onde tem que terminar.



Avaliando a qualidade dos livros, temos um começo devastador com o primeiro livro, onde somos introduzidos a questionamentos que realmente nos fazem refletir e pensar “como eu nunca pensei nisso antes”. O segundo livro também, com muitas sacadas geniais, uma brincadeira com viagem no tempo, sabendo sempre como escrever sobre o passado e o futuro, sendo este, pra mim, onde vemos a genialidade de Douglas Adams.
No terceiro, porém... temos uma queda, os personagens se separam, e temos cada um buscando as respostas para os seus próprios questionamentos, mas mesmo assim, é muito sensacional. Já o quarto livro, que é o mais “fraquinho” na minha opinião, é, ainda por cima, muito superior a muito livro por aí, visto que temos momentos tristes, com personagens nos deixando, romances, ou seja, no quarto livro temos uma suavizada nas críticas que tanto marcaram a escrita peculiar do Douglas Adams. Portanto, na minha opinião, esse quarto livro é ruim, comparado aos outros livros, porém, é muito bom num contexto geral.
Já o quinto livro é um livro genial de ficção “non-sense”, pois as brincadeiras com teorias famosas, probabilidade e a volta de coisas que a gente nem lembrava mais, ditas nos primeiros livros, deixa o desfecho da história do Guia do Mochileiro das Galáxias mais impactante, pelo menos pra mim, deixou aquele sentimento de que eu sou um mochileiro, sentimento de envolvimento com a história, apego aos personagens e ao mundo “criado”.



Cada livro é fascinante, um jeito único de escrever ficção científica, onde não temos aqueles elementos básicos que vemos em Star Wars, Star Trek e outros livros e filmes por aí, temos aqui a mente do autor no papel, onde o mundo não necessita de uma lógica, somete de bom humor e uma escrita que consiga encaixar as coisas, uma ligação dos pensamentos.
Apesar de cada livro ser pequeno, eles são de um conteúdo absurdamente grande, e sem dúvida, um dos maiores clássicos da literatura de ficção científica do mundo.

Eu tenho as duas edições da arqueiro aqui, a primeira eu comprei quando tinha apenas 14 anos, e me apaixonei por cada linha, e quando me foi proposto ler novamente essa obra prima nessa nova edição, não pensei novamente, primeiro porque a edição está linda, capa dura, letras com um tamanho bom e paginas amarelas, e segundo porque eu já conhecia a história e queria reencontrar os personagens, que foram os primeiros de ficção científica que eu conheci.

Ah, mais duas considerações:
- Editora Arqueiro, parabéns, trabalho fantástico!
- Douglas Adams, eu te amo, você é um gênio!

Cortesia da editora

E ai mochileiros, estão prontos pra uma aventura por toda a galáxia? Só não esqueçam suas toalhas!






Sobre o Autor:
Caique
Caique é estudante de engenharia e aspirante a escritor nas horas vagas, gosta principalmente de livros clássicos, de guerra, ficção científica, fantasia, ou qualquer livro que seja recomendado pelas pessoas que gosta. É apaixonado por filmes e séries, além de viajar.


7 comentários:

  1. Sempre tive vontade de ler, mas nunca li por...bem, preguiça de comprar todos separados mesmo. Isso foi o que me desanimou. Mas veja se não surtei com essa ideia de juntar todo mundo num livro só. E o melhor: É capa dura! Ahh que beleza, amei isso na edição. E os livros são tão bacanas, nerdices pra todo lado e muita coisa doidinha, sarcasmo e bom humor na medida certa. Pode ter um ou outro que não seja tão legal, que dê uma caidinha em relação a outros, mas é tudo muito bom de qualquer forma. Desejando muito essa edição.

    ResponderExcluir
  2. Tenho curiosidade em ler esses livros, mas sempre acabei deixando de lado por colocar outros livros de gêneros que gosto na frente. Porém achei essa edição maravilhosa e acho que agora não tem mais desculpa hahaha
    Não é um gênero que eu pretendia ler, mas acho que é uma boa dica para começar. Fiquei ainda mais animada (e sem a sensação de não entender nada por ser um livro de Ficção-científica) por serem livros que a história flui e com humor ao mesmo tempo. Adorei!

    ResponderExcluir
  3. Oii Caique! Ameeeei sua resenha!
    Minha vontade de ler esse livro aumentou ainda mais com tantos detalhes!
    Morrendo de curiosidade aqui!
    Capa e enredo perfeitos!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Eu amei esse livro, a edição de capa dura ficou maravilhosa, a escrita do autor é inteligente e sarcástica, gostei dos personagens e os achei bem construídos, o autor narrou com tanta facilidade que nos envolvemos rápido com a história e os mistérios que o autor expõe durante o livro, principalmente do número 42, e as diversas referências que cria e usa, indico muito

    ResponderExcluir
  5. <3
    eu tenho os cinco livros separados (ou como ele diz a trilogia de cinco)
    eu amei essa história! as ironias, as sacadas desse livro são ótimas
    a única coisa que me impede de comprar esse guia definitivo é que eu já tenho tanto livro na lista
    ai comprar um só pela capa + edição...

    ResponderExcluir
  6. Faz dois anos que comecei a ler os livros do Douglas Adams mas empaquei no terceiro volume. Simplesmente não estou conseguindo colocar a leitura pra frente, mesmo que quando leio, rio bastante e gosto da história. De qualquer forma, pretendo terminar logo de ler todos e quero comprar essa edição de capa dura, é muito linda.

    Abraços :)

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    Sempre leio tão bons comentários sobre essas obras, que tenho muita curiosidade a respeito. Mas agora sabendo que tem um livro englobando vários, fiquei mais animada ainda! Com certeza uma ótima leitura. Adorei a resenha, muito motivadora. Abraços.

    ResponderExcluir